Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Astrologia

As leis do Karma: o que fiz eu para merecer isto?

karma.jpg

Destino

"Isto é Karma!" é uma das expressões que todas as pessoas já ouviram, ou já disseram, pelo menos uma vez na vida. Sempre que um acontecimento que nos irrita ou aborrece se repete de forma inesperada ou até imprevisível, temos tendência para delegar responsabilidades num passado remoto, numa espécie de castigo por algo que  não temos memória consciente de ter feito. Mas afinal, o que é o Karma?

Por "karma" (também escrito "Carma") entende-se "acção" ou "causa": a energia que é gerada pelas nossas acções numa vida, repercutindo-se noutras vidas. A palavra Karma deriva do sânscrito e surgiu associada ao Budismo e ao Hinduísmo, sendo mais tarde adoptada pelo Espiritismo. Também a Cabala — filosofia que tem origem no Judaísmo — defende a existência da vida após a morte, acreditando que a alma regressa à Terra tantas vezes quantas forem necessárias para completar o seu Tikkun (termo associado ao Karma), superando sempre as provas que recebe como consequência dos seus actos.

Segundo a Lei do Karma, cada uma das nossas acções gera uma reacção ou um efeito, razão pela qual temos de "pagar" por cada acção negativa que praticamos, ou algo a "receber" por cada acto positivo. Neste último caso, trata-se do Dharma – aquilo que temos a receber pelas boas acções praticadas.

Tanto o Budismo como o Hinduísmo defendem que a alma encarna ao longo de sucessivas vidas, visando sempre a evolução espiritual. Para que esta possa acontecer, a alma tem de superar provas e ultrapassar desafios, para que a sua aprendizagem possa acontecer, fazendo a alma evoluir e crescer até chegar à Luz. Assim, as acções que praticamos numa encarnação têm uma consequência, que geralmente nos confronta numa encarnação futura.

Assumindo como verdadeira a teoria da Reencarnação, existente desde as civilizações e filosofias mais antigas, aquilo que vivemos em cada uma das nossas encarnações terá repercussões nas encarnações seguintes.

Antes de encarnar, a alma "escolhe" aquilo que virá fazer e aprender na encarnação que se lhe apresenta. O livre-arbítrio, contudo, faz com que este "esquema prévio" não determine a vida que vamos viver. Embora sejamos confrontados com os desafios que "escolhemos" antes de encarnar, cabe-nos sempre a nós escolher a forma como os encaramos. É claro que pessoas que vivem uma vida de miséria ou atravessam situações traumáticas se podem facilmente insurgir contra esta ideia "Então mas eu escolhi ser pobre?", "Aquela mulher escolheu ser vítima de violação?", mas para poderem compreender esta dinâmica têm de se distanciar e ver a vida numa perspetiva mais abrangente: se somos almas que sucessivamente encarnam, o nosso propósito e a nossa essência é MUITO maior do que aquilo que hoje vivemos. A pobreza, as injustiças, a dor, são apenas um episódio, que diz respeito ao presente, o momento que conta AGORA, mas a totalidade do nosso ser é muito maior que isso. De acordo com a Lei do Karma e da Reencarnação, a alma escolhe, conscientemente, os desafios que lhe irão proporcionar as maiores oportunidades de crescimento. Assim, uma pessoa que, imaginemos, viveu como um poderoso magnata noutra vida, e que não soube dar valor à riqueza que possuía, desperdiçando-a ou usando-a para subjugar outros, irá reencarnar numa condição de pobreza, para que possa aprender a dar valor ao dinheiro e a respeitar os outros. O Karma não é um castigo – é uma oportunidade de aprendizagem.

 

Padrões Kármicos

Por representarem desafios difíceis, nem sempre superamos, à primeira, um acontecimento kármico. Por essa razão, é frequente depararmo-nos, ao longo da nossa vida, com padrões que se repetem, com acontecimentos que nos marcam e que são muito semelhantes a outros que já vivemos, e que já nos fizeram sofrer anteriormente. Estes acontecimentos irão repetir-se sempre, ao longo da nossa vida e, se não forem aprendidos, de outras encarnações, até aprendermos essa lição.

Assim, para superar o Karma, é necessário em primeiro lugar compreender que lição aquele acontecimento, ou pessoa, nos está a querer ensinar. Depois, é necessário aceitar e perdoar, fazendo de outra maneira desta vez. A aceitação não é resignação, assim como perdoar não é condescender que a outra pessoa tem razão. Ao perdoarmos libertamo-nos, acima de tudo, a nós próprios, e só assim podemos viver sem esse peso nos ombros.

 

Relacionamentos Kármicos

É no terreno dos relacionamentos – amorosos e familiares - que o Karma mais se faz sentir, pois é nas relações que temos com os outros que mais aprendemos e, também, que mais erramos e temos para aprender.

A família é um dos mais importantes elos Kármicos que temos, pois geralmente escolhemos encarnar com outras almas que nos acompanham ao longo de encarnações sucessivas, sendo geralmente aquelas com quem temos mais assuntos para resolver aquelas que, nesta vida, encarnam na pele de nossa mãe, pais, irmãos. Mas as relações familiares nem sempre são kármicas – podem existir almas "novas", que ainda não conhecemos antes. Podem, também, ser "companheiros de alma", almas com quem tivemos boas experiências noutras vidas, que agora encarnam connosco para que possam estar ao nosso lado e facilitar-nos a nossa caminhada sempre que precisarmos de ajuda. De um modo geral, as pessoas que compõem uma família são almas que estão num estádio de evolução espiritual idêntico. Geralmente, existe um propósito comum, que faz com que esse grupo de almas encarne associado. Por estarem vinculadas pelos laços de sangue, é entre estas almas que surgem os mais íntimos conflitos, e são eles que maiores aprendizagens nos proporcionam, já que muitas vezes apresentam as provas mais difíceis de superar. Um amigo ou um parceiro amoroso podem ser erradicados da nossa vida e finalmente esquecidos, mas mesmo que não haja um contacto físico ninguém esquece a mãe, o pai, um irmão – ou a ausência dele. E quer a sua presença quer a sua ausência são, sem dúvida, importantes mestres na nossa evolução espiritual. É muito frequente reencarnarmos tendo com familiares chegados aqueles que, noutra vida, nos fizeram mal, ou a quem nós fizemos mal, para termos a oportunidade de, nesta vida, reparar o mal que foi feito, corrigindo-o. Por essa razão, ao alimentar quezílias familiares e rancores, estamos apenas a agravar o nosso Karma, pois se não resolvermos essas questões agora seremos confrontados com elas mais tarde, até as ultrapassarmos.

 

Dívidas Kármicas

Existem pessoas que surgem na nossa vida de forma aparentemente mágica, pontual, como se viessem cumprir uma missão. De acordo com a teoria da Reencarnação, vêm mesmo. Ao longo das nossas vidas podemos, com as nossas acções, criar dívidas kármicas – quando alguém nos faz um favor, quando faz algo especial em nosso benefício, ficamos em dívida para com essa alma, e mais tarde voltaremos a cruzar-nos com essa pessoa, numa situação em que possamos nós fazer algo por ela, retribuindo-lhe o favor. Do mesmo modo, quando desejamos fazer algo e não o concretizamos, criamos uma Dívida Kármica para connosco, que teremos de "pagar" mais tarde ou mais cedo na nossa evolução. Se quis agradecer algo a alguém e não teve possibilidade de fazê-lo, voltará provavelmente a reencontrar essa alma noutra vida, para que possa cumprir a Dívida Kármica com que ficou para com ela.

 

O merecimento e o perdão

Seja qual for a situação que a sua vida lhe apresenta, ou apresentou, procure vê-la sempre a uma escala maior. Não veja o Karma como algo fatalista a que não pode escapar, pois o nosso livre-arbítrio pode sempre alterar o curso dos acontecimentos que estavam destinados de uma certa maneira. A Lei do Karma serve o propósito da evolução e da aprendizagem, e ela existe para que possamos superar os desafios que nos permitem melhorar. Encare sempre cada situação como parte do todo das suas vidas, procure encontrar a lição que tem para aprender e, ao fazê-lo, aceite o passado, pense que na altura fez o melhor que podia e sabia segundo as circunstâncias, e siga em frente.

karma.jpg 

Veja grátis as previsões diárias, clique aqui!

 

Envie-me um e-mail em branco e receba uma surpresa! Clique aqui!

 

Mais informações para:

Telefone: (00351) 21 092 9000

E-mail: mariahelena@mariahelena.pt

Site: http://www.mariahelena.pt/

Facebook: www.facebook.com/MariaHelenaMartinsMHM

logo dra.png

Transforme o seu Karma em algo positivo!

Por “Karma” entende-se aquilo que trouxemos de vidas anteriores para resolver nesta vida.

De acordo com a teoria da reencarnação, ao longo das sucessivas encarnações vamos acumulando recompensas pelas ações que praticamos bem (o Dharma), mas, por outro lado, quando agimos de forma incorreta para com outra pessoa ou quando as nossas ações não são positivas isso transforma-se em Karma – algo que trazemos para superar.

O objetivo das sucessivas encarnações é, pois, evoluirmos o mais possível enquanto almas, até nos aproximarmos da Luz.

 

De acordo com o ano em que nascemos é possível determinar que tipo de conduta tivemos na nossa encarnação anterior e, consequentemente, que tipo de karma temos para superar nesta vida. Consulte a tabela seguinte ara identificar o seu Karma, e depois leia aquilo que pode fazer para superá-lo!

 

Se nasceu entre…

O seu Karma está em:

Se nasceu entre…

O seu Karma está em:

08.07.1930 – 28.12.1931
26.01.1949 - 26.07.1950
20.08.1967 – 19.04.1969
07.04.1986 – 05.05.1986
09.05.1986 – 02.12.1987
27.12.2004 – 22.06.2006

Carneiro

12.09. 1939 - 24.05. 1941
17.06. 1958 - 15.12.1959
08.01.1977 – 05.07.1978
01.08.1995 – 25.01.1997

Balança

03.08.1947 - 25.01. 1949
20.02.1966 – 19.08.1967
12.09.1984 – 06.04.1986
06.05.1986 – 08.05.1986
14.04.2003 – 26.12.2004

Touro

04.03. 1938 - 11.09. 1939
05.10.1956 - 16.06.1958
11.07.1975 – 07.01.1977
02.02.1994 – 31.07.1995

Escorpião

03.12. 1945 - 02.08. 1947
25.08.1964 – 19.02.1966
17.03.1983 – 11.09.1984
14.10.2001 – 13.04.2003

Gémeos

15.09. 1936 – 03.03. 1938
03.04. 1955 - 04.10.1956
28.10.1973 – 10.07.1975
02.08.1992 – 01.02.1994

Sagitário

12.05. 1944 - 02.12. 1945
24.12.1962 – 25.08.1964
21.09.1981
25.09.1981 – 16.03.1983
10.04.2000 – 13.10.2001

Caranguejo

09.03.1935 – 14.09.1936
10.10.1953 – 02.04.1955
28.04.1972 – 27.10.1973
19.11.1990 – 01.08.1992
22.08.2009 – 03.03.2011

Capricórnio

22.11. 1942 - 11.05. 1944
11.06.1961 – 23.12.1962
06.01.1980 – 07.01.1980
13.01.1980 – 20.09.1981
22.09.1981 – 24.09.1981
21.10.1998 – 09.04.2000

Leão

25.06.1933 – 08.03.1935
29.03. 1952 – 09.10. 1953
03.11.1970 – 27.04.1972
23.05.1989 – 18.11.1990
19.12.2007 – 21.08.2009

Aquário

25.05. 1941 - 21.11. 1942
16.12. 1959 - 10.06.1961
06.07.1978 – 05.01.1980
08.01.1980 – 12.01.1980
26.01.1997 – 20.10.1998

Virgem

29.12.1931 – 24.06.1933
27.07.1950 - 28.03. 1952
20.04.1969 – 02.11.1970
03.12.1987 – 22.05.1989
23.06.2006 – 18.12.2007

Peixes

 

 

 

 

Como superar um Karma em…

 

Carneiro

No seu caso, a questão da liderança e da individualidade é extremamente importante, porque tem uma necessidade instintiva de prestar muita atenção a quem o cerca. Muitas vezes cede, submetendo-se a situações em que se sentiria muito mais feliz se tomasse a dianteira e a chefia. Os seus assuntos funcionam melhor quando se pergunta a si próprio o que é que realmente quer, e não o que é que as outras pessoas querem. Se deixar virem à tona as suas qualidades de liderança, acabará por descobrir que pode também usar o seu dom de perceção para entrar em harmonia com os outros e para aceitar compromissos só quando for realmente necessário. Apesar disso, no entanto, também poderá cumprir o seu destino – servir de exemplo para os outros – sem deixar de ser fiel à sua própria maneira de ser.

 

Touro

A primeira parte da sua vida pode ser governada por paixões profundamente enraizadas, que lhe trazem agitação emocional. Pode ter grandes dificuldades em controlar sentimentos irracionais de ciúme, que se apoiam em dúvidas profundas acerca do seu próprio valor. Os impulsos sexuais exercem um forte poder sobre si, porém a sua satisfação é fugaz. Quanto mais tenta satisfazer os seus desejos, mais vazio se sente. Deseja um porto seguro, onde que possa experimentar segurança emocional e económica, que virá a seu devido tempo. A paz virá de um lugar inesperado, quando adotar os valores que conservam em vez de destruir. Talvez seja apenas uma questão de se harmonizar com a riqueza dos seus sentidos, para que possa apreciar plenamente o que tem, em vez de lamentar o que perdeu.

 

Gémeos

As questões da inteligência e da aprendizagem desempenham um papel central no seu desenvolvimento como pessoa. No decorrer da sua vida, haverá uma mudança de ênfase, de um elitismo intelectual para um toque de humanidade mais simpático. A sua verdadeira satisfação é alcançada ao encontrar pessoas no seu próprio nível e adotar uma atitude de maior disponibilidade para escutar e aprender. As suas maiores satisfações virão do trabalho em projetos de comunicação compartilhados. Desde cedo na vida sentia a nostalgia dos horizontes distantes e sem fronteiras, além de uma ânsia exagerada de liberdade. Mais tarde, surpreendentemente, encontrará grande satisfação nos prazeres simples do mundo que o rodeia.

 

Caranguejo

Na primeira parte da sua vida sentirá um profundo impulso interior para causar impacto na sociedade e ganhar o respeito dos seus iguais. O sucesso poderá chegar cedo, mas a satisfação que esperava que ele lhe trouxesse estará ausente. Acabará por se aperceber de que a necessidade de estatuto social ou de reconhecimento nunca poderá dar-lhe a verdadeira sensação gratificante de cumprimento das suas aspirações. Existe um vazio nas suas ambições. A falha está nas necessidades emocionais não preenchidas que não poderão ser satisfeitas, uma vez que investe toda a sua energia no impulso da sua carreira. Uma reorientação profissional que lhe permita estreitar os contactos com os seus sentimentos e intuições é fundamental para ser feliz.

 

Leão

Um dos dilemas mais importantes da sua vida é a dicotomia entre a sua realização pessoal e a perda da sua identidade no grupo. Nos seus anos de juventude teve fortes vínculos com os amigos ou com algum grupo particular que pode, de algum modo, ter-se situado à margem da sociedade. As suas amizades significam muito para si. No entanto, estes envolvimentos parecem esgotar a sua energia e impedi-lo de fazer a sua própria declaração pessoal ao mundo. A experiência vai acabar por lhe mostrar que não deve confiar tanto nos outros. Tem que pôr a sua criatividade em campo e permitir que o foco de luz incida mais sobre a sua pessoa. Os filhos podem desempenhar um papel importante nesse processo de transformação.

 

 Virgem

Nasceu com uma considerável sensibilidade espiritual e uma sólida noção do seu lugar no cosmos. Apesar disso, pode ser que se sinta sozinho no Mundo. Teve que lutar contra uma sensação de isolamento desde a mais tenra idade, podendo ter sentido, em alguma ocasião, a sensação indefinível de que tudo se poderá dissolver e de que não se pode confiar em nada. Assim, nasceu dentro de si um forte desejo de criar a ordem a todos os níveis. Isto pode implicar prestar maior atenção à sua alimentação e às necessidades do seu corpo e fazer grande esforço para estabelecer uma vida diária disciplinada. Uma sombra de dor pode afetar a sua boa-disposição, e é essencial que rejeite sentimentos de passividade e de martírio. Poderá ter havido acontecimentos importantes no inicio da sua vida que podem dar-lhe motivos de infelicidade, mas o trabalho é quase sempre a melhor solução, bem como uma atitude de aceitação em relação ao que não pode ser mudado.

 

Balança

Um dos dilemas mais importantes na sua vida é encontrar o equilíbrio entre escutar e agir de acordo com as suas próprias necessidades pessoais, em vez de tomar em consideração e fazer concessões às necessidades dos outros. Em jovem inclinava-se a seguir exclusivamente a sua própria voz interior, com a desculpa de que precisava de cuidar de si mesmo em primeiro lugar. Contudo, essa independência poderá trazer-lhe solidão ou vazio. Uma profunda nostalgia surge em si, que o aconselha a partilhar as experiências da sua vida. Acontecerá assim uma transição, caracterizada por um despertar para as necessidades dos outros. Aceitando o desafio que representa lidar com outra pessoa a um nível de intimidade e trocando a sua independência por uma relação enriquecedora, alcançará a verdadeira harmonia na sua vida.

 

Escorpião

A primeira parte da sua vida profissional é definida por uma atitude materialista e por um forte impulso para alcançar a segurança económica. Tem tendência para trabalhar arduamente, para acumular muitos bens e para se apegar demasiado a eles e aos prazeres que lhe proporcionam. No entanto, e à medida que o tempo passa, parece que vai tendo que pagar um preço cada vez mais alto pelo seu conforto e segurança. Começa a notar que o seu trabalho é cada vez mais duro. Alguma espécie de transformação pode ocorrer mais tarde na sua vida profissional, através da qual abandonará completamente o seu apego pelas posses materiais e pelas garantias de segurança, e embarcará num processo de investigação interior. Verá então surgir um novo interesse por assuntos ocultos, por psicologia e pelas profundidades emocionais, o que poderá conduzi-lo a uma direção radicalmente nova na sua carreira. Aí, finalmente, trocará a segurança material por recompensas emocionais mais profundas e de certa maneira mais gratificantes.

 

Sagitário

As principais questões da sua vida concentram-se em torno do conhecimento, da comunicação e do entendimento. De início, era fortemente influenciado pelas ideias dos outros e passava muito tempo a transmitir o conhecimento proveniente das autoridades intelectuais. Em muitas ocasiões é atraído para uma troca de conversas e boatos que parece dissipar a sua energia mental. Conhece demasiadas pessoas, está sempre a ir de um lugar para o outro e sente, em geral, dificuldade em formular com exatidão aquilo em que acredita.     À medida que for envelhecendo, sentirá maior necessidade de permitir a germinação das suas próprias ideias. É importante para si expandir os seus horizontes espirituais para contrabalançar os desvios que o mundo lhe causa.

 

Capricórnio

Alcançar o sucesso, no seu caso, envolve a superação das suas tendências para a dependência e para a vulnerabilidade. No inicio da sua vida profissional poderá ter escolhido um trabalho de assistência aos outros ou um emprego que lhe desse segurança. Espera ser sustentado, protegido, e que cuidem de si. À medida que o tempo passa, contudo, virá a descobrir que o preço da dependência é a sensação de estar a ser sufocado. Vai surgir uma necessidade íntima de manifestar os seus talentos de executivo, o que envolverá uma intensa transição emocional, através da qual demonstrará que está a assumir responsabilidade total pela sua vida. Em tais momentos, poderá querer recomeçar a trabalhar como seu próprio chefe, e irá manifestar grande determinação e autodisciplina nesse processo.

 

Aquário

Durante o curso da sua vida, poderá ter que lutar com um dilema interior de identidade. O resultado dessa luta fará a transição do seu comportamento egocêntrico para um compromisso mais desapaixonado com o grupo. Quando jovem, quer gozar a vida ao máximo. Gasta uma grande quantidade de energia em casos de amor, procura de luxo e outras coisas semelhantes, e pode construir uma imagem orgulhosa de si mesmo.

Porém, à medida que for amadurecendo, os prazeres e a vaidade vão parecer-lhe um enorme vazio onde a chama da sua identidade se consome. Está destinado a um processo espetacular de realização pessoal, que irá dar lugar a uma atitude muito mais humilde da sua parte. Vai sentir a necessidade de se envolver com os outros e de oferecer os seus préstimos para incrementar a energia do grupo. Os interesses humanitários vão substituir a autoindulgência e vai encontrar realização e significado quando se dedicar a um objetivo compartilhado com outras pessoas.

 

Peixes

No decorrer da sua existência, haverá uma mudança nos valores referentes ao significado da sua vida. Uma tendência anterior para estruturar a sua vida através do trabalho, do planeamento e da ordem tem o efeito de tornar o seu dia a dia numa coisa mecânica e vazia de conteúdo significativo. O trabalho, que tende a dominar todas as horas da sua existência, traz-lhe cada vez menor satisfação.  Uma crise existencial ou uma experiência espiritual conduzi-lo-á a uma reavaliação de como utilizar melhor o seu tempo. Haverá uma nova orientação, através da qual passará de uma existência planeada ao pormenor para outra em que será uma pessoa mais aberta e flexível. Passa a dar prioridade aos interesses espirituais, artísticos ou criativos, o que lhes dará um novo sentido de importância. Este processo de transição pode envolver algum tipo de sacrifício da sua parte, mas este sacrifício vai purificar a sua alma.

 

 

Mais informações para:

Telefone: (00351) 21 092 9000

E-mail: mariahelena@mariahelena.pt

Site: http://www.mariahelena.pt/

Facebook: www.facebook.com/MariaHelenaMartinsMHM

logo dra.png

 

 

 

 

 

Libertação do Karma

vacua quantico.jpg

 

A palavra karma deriva do sânscrito e significa "ação" ou "causa". O karma refere-se à energia criada pelas nossas ações negativas, que, segundo a teoria da reencarnação, teremos de "pagar" noutras vidas.

 

O conceito de karma surgiu associado ao budismo e ao hinduísmo. O espiritismo e a cabala também acreditam na vida após a morte e na existência do karma.

 

O Karma está ligado à teoria de que a alma reencarna sucessivas vezes na terra com vista à sua evolução espiritual.
São as lições que aprendemos nas diversas vidas que permitem à alma evoluir em direção à luz divina.

 

Segundo a Lei do Karma, cada uma das nossas ações gera uma reação ou um efeito, razão pela qual temos de "pagar" por cada ação negativa que praticamos, ou algo a "receber" por cada ato positivo. Neste último caso, trata-se do dharma – aquilo que temos a receber pelas boas ações praticadas.

 

Para nos libertarmos do nosso karma temos de aprender as lições. Tudo aquilo a que a alma resiste, persiste. Quando não aprendemos uma determinada lição, vamos voltar a ser confrontados por ela.

 

É por essa razão que, por exemplo, algumas pessoas se queixam de repetir sempre os mesmos erros ou de atraírem o mesmo tipo de situação para a sua vida.

 

Só podem libertar-se dela quando compreenderem o que aquele erro ou aquela situação lhes está a querer ensinar. Depois, é necessário aceitar a situação, perdoar-se a si próprio e deixar ir. É quando finalmente aprendemos e encaramos a situação que ela deixa de se repetir: aprendemos a lição e libertamo-nos do karma.