Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Astrologia

Hidromancia - Adivinhação através da água

hidromancia maria helena adivinhacao.jpg

A água, um dos elementos mais preciosos da Natureza e vital ao corpo humano, pode ser usada como oráculo. A adivinhação através da água é tão antiga quanto os deuses que nela habitam...

A Hidromancia ou adivinhação através da água terá tido início há muitos séculos, tudo começou com a adoração do deus grego dos mares - Nereu, um deus marinho primitivo, representado como um personagem idoso, o Velho do Mar. Nereu tinha o dom da profecia e tal como acontecia com outras divindades, podia mudar de aparência.

No início do século XVII, o jesuíta M. A. Del Rio descreveu vários métodos de Hidromancia:

 

O anel mágico

Neste método era usado um anel preso a um fio que era colocado num recipiente de vidro com água. Depois abanava-se esse recipiente e as previsões eram feitas em função do número de vezes que o anel batia no vidro e da intensidade e localização dessa batidas.

 

Sistema dos três seixos

Para fazer este método, enchia-se um alguidar com água, depois atirava-se três seixos para dentro do alguidar. Eram feitas observações sobre o futuro em função dos círculos descritos na água antes de as três pedras chegarem ao fundo.

 

Ondulação e correntes

O terceiro método descrito fala da agitação da água do mar ou dos rios. O hábito de ler o futuro na ondulação e nas correntes prevalecia no início do milénio entre os cristãos orientais, que observavam os movimentos da água durante os batismos.

 

As fontes dos desejos

Este método refere as cores e as figuras que apareciam na água e teve a sua origem nas fontes mágicas às quais milhares de pessoas se deslocavam para fazer os seus pedidos. Ao atirarem moedas para  o fundo da fonte, ficavam a saber se o pedido seria atendido ou não. A interpretação fazia-se observando o lado para o qual a moeda se deslocava depois de cair na água e até chegar ao fundo: indo para o lado esquerdo a resposta era "não"; indo para o lado direito havia grandes probabilidades de o pedido ser atendido; se a moeda caísse a direito para o fundo, o desejo concretizava-se em pouco tempo.

 

As fontes mais famosas foram destruídas por céticos que consideravam as práticas divinatórias bruxaria que devia ser combatida e erradicada da face da terra. Contudo, o hábito manteve-se ao longo dos séculos e ainda hoje se crê nas virtudes de determinadas fontes, muitas delas situadas na Sicília.

 

Relatos históricos

No século II a. C. Pausanius, nos seus escritos históricos da Grécia Antiga, descreveu uma fonte junto à qual as pessoas recebiam os oráculos das deusas. Para consultar o oráculo, as pessoas atiravam  pequenos pães para dentro de água. Se os pães se desfizessem em pedaços, isso significava que estavam a ser aceites pelas deusas e que estas iam trazer sucesso e sorte; se os pães fosse ao fundo sem se desfazer, estavam a ser rejeitados pelas deusas e isso significava que os pedidos não seriam ouvidos.

 

J.J. Bosiard, antiquário, recolheu histórias sobre adivinhação com água. Na antiga Alemanha havia o costume de deitar os recém-nascidos ao rio Reno. O povo acreditava que se a criança fosse ilegítima iria afogar-se; mas se fosse legítima, começaria a nadar e iria salvar-se.

 

A História relata um outro método de adivinhação através da água, que consistia em dizer palavras misteriosas para dentro de um copo com água quente. Colocado no chão, o copo faria com que a água entrasse espontaneamente em ebulição. Despejando depois a água sobre terra ou areia, os desenhos formados daria pistas sobre o futuro da pessoa.

 

Outro método de adivinhação consistia em deitar para uma tigela com água uma gota de óleo ou azeite. Essa gota teria o miraculoso efeito de fazer surgir imagens tornando-as visíveis e percetíveis. Essas imagens eram depois interpretadas.

 

Clemente de Alexandria, escritor e teólogo grego, descreve também um outro método no qual mulheres observavam os remoinhos dos cursos dos rios e das ribeiras para fazer prognósticos sobre política e vida social dos seus países ou localidades. Factos idênticos são alvo de referência em livros biográficos sobre Santo Agostinho.

 

Houve em tempos em Itália um costume que consistia no seguinte: quando os juízes tinham mais de um suspeito e não sabiam que decisão tomar, escreviam o nome de cada um deles em esponjas que atiravam à água. Apenas uma das esponjas afundaria - a que tinha o nome do verdadeiro culpado!

 

A Lua mais favorável

A melhor fase da Lua para praticar a Hidromancia é Lua Cheia ou Lua Nova, sempre à noite. Usando um cálice de água pura e colocando-o numa janela baixa onde existam reflexos de luz, pode fazer-se previsões analisando as cores e as formas que surgem na água. Se acender uma vela branca do lado esquerdo do copo, os efeitos podem ser surpreendentes.

 

O povo cigano prevê o futuro despejando nessa água algumas gotas de "líquido de feitiços ciganos", obtendo respostas muito concretas sobre infidelidades, vigarices, mentiras ou fraudes. Assim conseguem proteger-se contra situações de risco financeiro ou amoroso.

 

Abençoar a água

A água ganha boas energias se for colocada sob a luz da Lua Cheia. Para reforçar os efeitos e melhor captar a energia da lua, coloque dentro do recipiente dois ou três cristais de quartzo e faça a seguinte oração:


Mãe Lua, com as tuas poderosas energias curativas,

abençoa esta água e retém nela o teu poder,

para que possa ser usada como meio de adivinhação e de cura.

Faz com que cada uma das suas miraculosas gotas abençoe a terra.

 

Deixe a água exposta aos raios da lua durante nove minutos. Leve o recipiente para o seu quarto e medite, passando as mãos sobre a água. Assim vai concentrar e projetar as energias da água. Use uma parte dessa água para misturar na água do banho juntamente com uma pedra alumbre para desenvolver os seus dons mediúnicos.

 

Para limpar a sua mente, molhe a nuca com algumas gotas da água; nas alturas em que sentir dores de cabeça, estiver a viver um dilema ou se se sentir muito triste e deprimida, faça o mesmo procedimento.

 

A energia da água abençoada pela energia da Lua há muito é usada e quem já experimentou esta prática, garante resultados.

 

Rituais de hidromancia

 

Ritual do espelho e do vapor de água

O vapor de água também pode ser usado para fazer previsões. Pendure um espelho na parede à altura do seu coração. Também pode colocar o espelho em cima de uma mesa. Encha um pote com água a ferver e coloque-o junte ao espelho. Retire o pote e veja os traços que ficaram desenhados no espelho. Observe com atenção o espelho à medida que o vapor  se condensa e escorrega. Essas gotas podem formar letras, nomes, números ou imagens que deve registar até que o espelho fique limpo. Esses dados dão-lhe pistas sobre o futuro.


Ritual da contemplação da água

Encha um recipiente de cerâmica azul com água. Vá para um quarto e feche as persianas para o ambiente ficar mais escuro, não totalmente às escuras. Sente-se com as costas viradas para a luz, concentre-se e faça a sua pergunta. Verta sobre a água algumas gotas de corante ou tinta azul e observe a água. Começará a ver símbolos ou figuras. Anote tudo o que observar: letras, formas, imagens, etc. Quando deixar de as visualizar, faça a sua interpretação. Se desejar, acenda uma ou várias velas, de modo a que a luz se reflita na superfície da água.

 

Para fazer este método, também pode levar este recipiente para o exterior e, captando os reflexos da lua, interpretar as formas que surgem na água.

Veja grátis: Horóscopo diário ! 

 

Clique aqui para marcar uma consulta de Tarot, ou falar comigo! 

maria helena.jpg


Envie-me um e-mail em branco e receba uma surpresa!

Clique aqui!

 

Mais informações para:

Telefone: (00351) 21 092 9000

E-mail: mariahelena@mariahelena.pt

Site: http://www.mariahelena.pt/

Facebook: www.facebook.com/MariaHelenaMartinsMHM

logo dra.png 

Como livrar-se das pragas rogadas

10903858_406503342842958_1146614596711066768_o.jpg

 

Acredita que lhe rogaram alguma praga ou que lhe fizeram algum trabalho para lhe fazer mal? Saiba que isso pode ser anulado. Não há nada que o Homem faça que Deus não desfaça!

 

"Rogar uma praga" é algo que faz parte da vida humana desde os tempos mais remotos, porque já as civilizações primitivas se sentiam ameaçadas pelas forças da Natureza e como tal dizer a alguém "raios te partam!", por exemplo, é algo que ainda hoje é dito quando nos sentimos irritados com alguém. Na Bíblia existem inúmeras passagens que relatam "pragas" – algo de terrível que se abate sobre o Homem, impotente para o combater.

 

"Maldição", como a própria palavra indica, significa dizer algo de mau a alguém, contra alguém. Já os Romanos acreditavam que as palavras que diziam em voz alta eram ouvidas e atendidas pelas divindades, e por isso ao lançarem uma maldição a alguém essa pessoa receberia a energia negativa que lhe é dirigida.

 

A palavra dita tem muita força, as palavras emitem vibrações energéticas para o universo, que as devolve como um eco. Assim, antes de mais a praga recai sobre a pessoa que a roga. Contudo, uma vez que somos compostos por energia, também a pessoa a quem a praga é dirigida sofre com ela, sentindo-se cansada, sem energia, doente, ou tendo inúmeros problemas na sua vida, que acontecem sem perceber porquê.

 

Para cortar com uma praga, antes de mais tenha fé em Deus e pensamentos positivos. Depois, recorra a alguns amuletos que pelos seus poderes especiais são usados desde tempos antigos para cortar todo o mal que tenha sido feito.