Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Astrologia

Oração das 7 chaves de São Pedro para abrir os caminhos da sua vida

 

Esta é uma poderosa oração para abrir os caminhos da sua vida, atraindo as boas oportunidades, a sorte e a abundância quando a energia parece estar parada.

Glorioso apóstolo São Pedro,
com as tuas 7 chaves de ferro,
eu te peço, rogo, imploro,
que abras as portas dos meus caminhos,
que se fecharam diante de mim,
atrás de mim,
à minha direita e à minha esquerda.

Abre para mim os caminhos da felicidade,
os caminhos financeiros,
os caminhos profissionais,
com as tuas 7 chaves de ferro,
e concede-me a graça de poder viver sem obstáculos.

Glorioso São Pedro,
tu que sabes todos os segredos do céu e da terra,
ouve a minha oração e atende a prece que te dirijo.
Que assim seja.

Ámen.

São Pedro

 

O dia 29 de Junho é consagrado aos apóstolos São Pedro e São Paulo, e é feriado em Évora, Sintra, Montijo e noutras localidades do país.

O nome original de Pedro era Simão, e era pescador. Conta-se que Jesus lhe pediu um lugar numa das suas barcas, para poder pregar a uma multidão de gente que o queria ouvir. Pedro deu-lhe um lugar na barca que acabou por se afastar um pouco da margem.

Quando Cristo acabou de pregar, disse a Simão para ir para águas mais profundas, e ele assim fez. Como resultado, teve uma pescaria muito rica e ajoelhou-se perante Jesus pedindo que se afastasse dele já que era um simples pescador. Jesus Cristo encorajou-o a segui-lo e a tornar-se “pescador de homens”.

Jesus chamou-lhe Pedro, que significa “rocha” e representa a estabilidade a defender a fé de cristo.

Juntamente com São Paulo, São Pedro fundou a Santa Sé de Roma.

São Pedro é considerado pelos católicos como o primeiro Bispo de Roma, e consequentemente o primeiro Papa da Igreja Católica.

 

      Oração de São Pedro

Senhor Deus Todo-Poderoso,

Com a ajuda do Apóstolo São Pedro,

 eu vos peço que envies o Espírito Santo
 para que me defenda de todos os perigos,

me ilumine o entendimento

e me leve a conhecer a verdade da Vossa doutrina.

 Por Nosso Senhor Jesus Cristo

na unidade do Espírito Santo.

Ámen.

São Pedro, rogai por nós.

Oração a São Paulo

 

O dia 29 de Junho é dedicado aos Apóstolos São Pedro e São Paulo. São Paulo protege contra as picadas e é também protetor das pessoas que sofrem de surdez.

A história de São Paulo é um dos exemplos de conversão do Cristianismo. De seu nome Saulo, era um cidadão romano, de origem judaica, que perseguia os cristãos. Um dia, conta-se, uma luz muito forte fê-lo cair do cavalo, pois cegou-o. Terá, então, Saulo ouvido uma voz que lhe disse: "Saulo, Saulo, porque me persegues?" Depois desse dia, Saulo mudou o seu nome para Paulo e dedicou o resto da sua vida a Cristo.

Oração a São Paulo

Ó glorioso S. Paulo,
que de perseguidor do nome cristão
vos tornastes um Apóstolo ardentíssimo pelo vosso zelo.
E para tornar conhecido o nome do Salvador Jesus
até os últimos confins do mundo sofrestes cárceres,
flagelações, lapidações, náufragios,
perseguições de todo o género e,
enfim, derramastes todo o vosso sangue
até à última gota
por Cristo.
Obtende-nos, pois,
a graça de receber como favores da Divina Misericórdia,
as curas das nossas enfermidades
e o alívio das nossas atribulações,
a fim de que as vicissitudes desta vida
não nos esmoreçam no serviço de Deus,
mas nos tornem sempre mais fiéis
e fervorosos.
São Paulo Apóstolo,
rogai por nós!

 

Oração a São Paulo (II)

Ó S. Paulo, Apóstolo das gentes, olhai com amor para o nosso tempo. 
O vosso coração dilatou-se para acolher e abraçar todos os povos num amplexo de paz. 
A caridade de Cristo nos impulsione a iluminar todos os homens com a luz do Evangelho e a estabelecer o Reino do Amor. 
Suscitai vocações; animai os operários do Evangelho; que todos conheçam e amem Jesus Cristo. 
Que todos os povos encontrem em Cristo o Caminho, a Verdade e a Vida, façam brilhar no mundo a sua luz, e procurem sempre o Reino de Deus e a sua justiça. 
Ó Santo Apóstolo, pregador do Evangelho, fazei que sejamos iluminados pela fé que vós anunciastes diante de reis e nações, e que a Igreja de Jesus Cristo se manifeste sempre como mãe e mestra de todos os povos.
Ámen.

O poder protetor do Agnus Dei

 

O Agnus Dei é um dos mais poderosos amuletos protetores que podemos trazer connosco quando enfrentamos um desafio importante na nossa vida.

Sabia que Agnus Dei, em latim, significa Cordeiro de Deus? Na verdade, "Agnus Dei" é uma expressão utilizada no Cristianismo para referir Jesus Cristo.

O Agnus Dei é representado por um cordeiro ao lado de uma cruz. Esta designação surge na  Bíblia, no Novo Testamento, no Evangelho do apóstolo João, onde João Batista diz a respeito de Jesus: 

"Eis o Cordeiro de Deus, aquele que tira os pecados do mundo".


O Agnus Dei é uma medalha em forma de coração, pendurada numa correntinha ao lado de Jesus na cruz e da chave das portas do Céu, e é usado pelos católicos como um amuleto para proteção divina.

Os hebreus tinham o costume de matar um cordeiro em sacríficio a Deus, para remissão dos pecados. O sacrifício de animais era frequente em várias partes do mundo.

Na Bíblia é narrado, por exemplo, o caso de Abraão que, para provar a sua fé em Deus, teria de sacrificar o seu único filho, queimando-o numa pira de lenha, como era costume para os sacrifícios de animais - o relato bíblico refere, contudo, que Deus não permitiu tal execução.

A morte de Jesus Cristo, filho unigénito de Deus, tornou estes sacrifícios desnecessários, já que sendo filho de uma virgem e tendo sido concebido sem pecado seria o sacrifício supremo, interpretado como o maior ato de amor de Deus para com a humanidade.

Já as nossas avós traziam um Agnus Dei escondido no soutien. Deve andar sempre escondido, por exemplo dentro de um saquinho de pano, pois perde o seu poder se alguém souber que o trazemos. 

Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós.
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós.
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, dai-nos a paz.

 

O poder do hipericão (erva de São João)

 

Também conhecida como hipericão, a Erva de São João durante séculos foi considerada uma planta capaz de afastar os maus espíritos e por isso foi amplamente usada no tratamento de doenças mentais. Conheça os benefícios desta erva.

A Erva de São João já não é usada para tratar doenças mentais, contudo, tem sido alvo de inúmeros testes para verificar a sua ação no tratamento de estados depressivos suaves a moderados, ansiedade, insónia, dores nevrálgicas e, ainda, atividades antiviral e antibacteriana.

Esta erva é adstringente, antidiarreica, antisséptica, vermicida, antimicrobiana, calmante, sedativa. Pode ser utilizada no combate à caspa, acne, problemas digestivos, gota, hemorróidas e problemas urinários.

 

Chá de erva de São João contra estados nervosos

Ingredientes:

15g de folhas secas de erva de são joão

4dl de água

Leve ao lume a ferver durante 10 minutos á hgua e as folhas secas de erva. Retire do lume, coe, deixe arrefecer e quando estiver morno beba.

 

Chá contra a fibromialgia

Ingredientes

1 colher de chá de folhas de Erva de São João

5dl de água

Leve ao lume todos os ingredientes numa cafeteira. Quando começar a ferver,retire do lume,tape e deixe em infusão. Quando estiver morno, coe e beba. Deve beber 3 ou 4 chávenas deste chá com intervalos de seis a oito horas para relaxar e aliviar os músculos.

Advertência: embora não tenha qualquer contraindicação, a Erva de São João consumida em excesso produz alguns efeitos secundários, nomeadamente, cansaço, boca seca, aumento da frequência urinária, aumento da transpiração.

 

Remédio para feridas, pequenas queimaduras e reumatismo

Ingredientes

1 punhado de flores de Erva-de-São-João

2dl de azeite ou óleo de girassol

 

Deixe as flores a macerar no azeite ou óleo de girassol dentro de um frasco transparente e bem fechado durante 2 semanas. Agite o frasco de vez em quando e exponha-o à luz solar. A mistura vai adquirir uma tonalidade vermelha. Coe a mistura e mantenha o preparado fechada numa garrafa térmica. Aplique um pouco do remédio três vezes ao dia sobre as feridas ou queimaduras.

Este preparado também pode ser usado em caso de tendinite ou dores musculares.

 

Advertência: Não se exponha à luz solar nas 24 horas que se seguem à aplicação deste preparado.

Ritual de renovação de energias

 

Realize este ritual para dinamizar a sua vida e atrair o sucesso no amor, no trabalho, nos negócios e em tudo aquilo que desejar.


Vai precisar de:
- 1 vela amarela – cor do sol, representa a luz e a vida
- 1 copo com água - acalma as emoções 
- 1 punhado de sal grosso - absorve a energia negativa
- 3 cones de incenso - trazem a paz e a harmonia
- 1 punhado de alecrim - limpa as energias
- Queimador para ervas e incenso, fósforos 

Preparação:
1 – Acenda a vela e peça ao seres elementais da natureza que a protejam.
2 – Deite o sal dentro do copo com água. 
3 – Coloque no queimador os cones de incenso e um punhado de alecrim e deite-lhes fogo.
4 – Assim que começar a fazer fumo, pegue com cuidado no queimador e dirija-se à porta de entrada de sua casa.
5 – Dê então uma volta completa a todas as divisões, começando pela porta de entrada, no sentido dos ponteiros do relógio.
6 – Quando terminar, coloque o queimador ao pé do copo com água e da vela e reze um Pai-Nosso.

Oração a São João Batista

 

O dia 24 de Junho celebra o nascimento de São João Batista, um dos fiéis discípulos de Jesus, que o batizou. 

O seu nome em hebraico significa "Javé o abençoou". O seu pai, Zacarias, era na época um sacerdote em Jerusalém; a mãe, Isabel, era prima de Maria, mãe de Jesus.

João Batista nasceu quando os pais já eram idosos; este acontecimento foi anunciado pelo anjo Gabriel a Zacarias. De acordo com as palavras de Jesus, João Batista foi o maior de todos os profetas.

Vestia-se como os sábios eremitas essénios da época, que usavam uma túnica grosseira feita de pele de camelo atada a um cinto de couro (representação da liberdade, da escolha do destino de cada um), e alimentava-se de gafanhotos e mel silvestre.

Para que se salvassem do pecado, as pessoas recebiam, por intermédio de João, o baptismo nas águas do rio Jordão, razão por que passou a ser conhecido como João Batista.

Uma vez Jesus procurou-o. João baptizou o próprio Cristo, embora se achasse indigno até mesmo de lhe desatar as sandálias. No momento em que Jesus saiu da água, conta-se que disse: "Ele é mais do que um profeta. Jamais surgiu entre os nascidos de uma mulher alguém maior que João Batista".

Por várias vezes, o rei ordenou a sua presença e descobriu que ele era um homem bom e caridoso. Porém a sua sobrinha, chamada Salomé, nutria uma antipatia por João Batista. Um ano depois, na comemoração do seu aniversário, Salomé dançou para o rei. Diante de tanta beleza, este prometeu-lhe que atenderia a qualquer pedido que fizesse. Ela pediu-lhe a cabeça de João Batista. 

 

Oração a São João Batista

São João Batista,

ajuda-me a fazer

penitência das minhas faltas

para que eu me torne digno do perdão

daquele que anunciaste com estas palavras:

"Eis o Cordeiro de Deus, eis aquele

que tira os pecados do mundo".

São João, pregador da penitência,

Rogai por nós.

São João, precursor do Messias,

Rogai por nós.

São João, alegria do povo,

Rogai por nós.

Ámen!

 

Oração a São João Batista (II)

“Ó Glorioso São João Batista,

 príncipe dos profetas, precursor do divino Redentor,

primogénito da graça de Jesus e da intercessão da

sua Santíssima Mãe, que fostes grande diante do Senhor,

pelos estupendos dons da graça que  

maravilhosamente recebestes desde  o

seio materno, e por vossas admiráveis virtudes,

alcançai-me de Jesus, ardentemente que com fé,

a graça que necessito, lhe suplico… (peça a graça)

Alcançai-me também, meu excelso protetor,

singular devoção a Virgem Maria Santíssima,

que por amor de vós foi com pressa à casa de vossa mãe Isabel,

para serdes livre do pecado original

e cheio dos dons do Espírito Santo.

Espero conseguir essa graça se for da vontade Divina,

meu Santo protetor.

São João Batista, rogai por nós!”

 

(reze: 3 pai nossos, 3 ave-marias, 3 glórias)

A história de São João Batista

 

Ao designar Cristo como "o Cordeiro de Deus", João inspirou muitos dos seus seguidores a seguir Cristo. Conheça a história do precursor de Jesus.

João Batista era filho de Zacarias, um sacerdote do Templo de Jerusalém, e de Isabel, prima de Maria, mãe de Jesus. Uma antiga tradição do Sec. V defende que João Baptista nasceu em Aim-Karim, aldeia situada a sudoeste de Jerusalém. O nascimento de João Baptista foi anunciado a seu pai pelo Anjo Gabriel. Incrédulo, Zacarias duvidou do que o anjo lhe anunciava, já que tanto ele como Isabel estavam já com uma idade avançada.

João Baptista viveu como um eremita no deserto da Judeia até cerca do ano 27 DC. Aos trinta anos começou a pregar nas margens do rio Jordão, alertando as multidões que o ouviam para os males dos tempos e dos homens chamados à penitência e ao batismo como forma de purificação, pois dizia: “o Reino dos Céus está próximo”.

“1. Naqueles dias, apareceu João Batista, pregando no deserto da Judeia. 2. Dizia ele: Fazei penitência porque está próximo o Reino dos céus. 3. Este é aquele de quem falou o profeta Isaías, quando disse: Uma voz clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas.”

(Mateus 3,1-3)

 

O reconhecimento do Messias

O profeta João atraiu grandes multidões e, quando Cristo veio ter como João para que o batizasse, este reconheceu-o como o Messias e não se achou digno de o fazer.

“4. João usava uma vestimenta de pêlos de camelo e um cinto de couro em volta dos rins. Alimentava-se de gafanhotos e mel silvestre. 5. Pessoas de Jerusalém, de toda a Judeia e de toda a circunvizinhança do Jordão vinham a ele. 6. Confessavam seus pecados e eram batizados por ele nas águas do Jordão. 7. Ao ver, porém, que muitos dos fariseus e dos saduceus vinham ao seu batismo, disse-lhes: Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da cólera vindoura? 8. Dai, pois, frutos de verdadeira penitência. 9. Não digais dentro de vós: Nós temos a Abraão por pai! Pois eu vos digo: Deus é poderoso para suscitar destas pedras filhos a Abraão. 10. O machado já está posto à raiz das árvores: toda árvore que não produzir bons frutos será cortada e lançada ao fogo. 11. Eu vos batizo com água, em sinal de penitência, mas aquele que virá depois de mim é mais poderoso do que eu e nem sou digno de carregar seus calçados. Ele vos batizará no Espírito Santo e em fogo. 12. Tem na mão a pá, limpará sua eira e recolherá o trigo ao celeiro. As palhas, porém, queimá-las-á num fogo inextinguível. 13. Da Galileia foi Jesus ao Jordão ter com João, a fim de ser batizado por ele. 14. João recusava-se: Eu devo ser batizado por ti e tu vens a mim! 15. Mas Jesus lhe respondeu: Deixa por agora, pois convém cumpramos a justiça completa. Então João cedeu. 16. Depois que Jesus foi batizado, saiu logo da água. Eis que os céus se abriram e viu descer sobre ele, em forma de pomba, o Espírito de Deus. 17. E do céu baixou uma voz: Eis meu Filho muito amado em quem ponho minha afeição.”

Mateus 3,4-14

O encarceramento de João

Quando Cristo deixou de pregar na Galileia, João continuou a pregar no vale do rio Jordão e envolveu-se em apuros quando começou a acusar Herodes de cometer adultério com Herodiades, esposa do seu meio-irmão Filipe. Receoso do poder que os discursos de João exerciam sobre o povo, Herodes Antipas, tetrarca da Pereia e Galileia, ordenou a prisão de João na fortaleza de Macaeros, junto ao Mar Morto. João esteve encarcerado cerca de dez meses e terá sido decapitado a pedido de Salomé, instigada pela sua mãe, Herodiades. A sua cabeça ter-lhe-á sido entregue numa bandeja.

Ao designar Cristo como "o Cordeiro de Deus", João inspirou muitos dos seus seguidores a seguir Cristo. Segundo o Novo Testamento João é o último dos profetas e o precursor do Messias. Todos os anos, no dia 24 de Junho celebra-se a festa do seu nascimento; a sua decapitação terá ocorrido no dia 29 de Agosto.

“3. Com efeito, Herodes havia mandado prender e acorrentar João, e o tinha mandado meter na prisão por causa de Herodíades, esposa de seu irmão Filipe. 4. João lhe tinha dito: Não te é permitido tomá-la por mulher! 5. De boa mente o mandaria matar; temia, porém, o povo que considerava João um profeta. 6. Mas, na festa de aniversário de nascimento de Herodes, a filha de Herodíades dançou no meio dos convidados e agradou a Herodes. 7. Por isso, ele prometeu com juramento dar-lhe tudo o que lhe pedisse. 8. Por instigação de sua mãe, ela respondeu: Dá-me aqui, neste prato, a cabeça de João Batista. 9. O rei entristeceu-se, mas como havia jurado diante dos convidados, ordenou que lha dessem; 10. e mandou decapitar João na sua prisão. 11. A cabeça foi transportada num prato e dada à moça, que a entregou à sua mãe. 12. Vieram, então, os discípulos de João transladar seu corpo, e o enterraram. Depois foram dar a notícia a Jesus.”
(Mateus 14, 3-12)

O poder mágico do freixo, do vidoeiro e do carvalho

 

Todas as árvores têm energia. Fonte de oxigénio e de vida, sem elas o planeta morreria. Os primeiros povos que habitaram a Terra, e todas as civilizações antigas que lhes seguiram, séculos depois, tiveram sempre consciência do seu extremo valor e importância, como forma de abrigo e de recolher recursos indispensáveis à vida humana. Foram, e continuam a ser, veneradas por várias civilizações. De todas elas, saiba que há três árvores consideradas especialmente "mágicas" pelos povos antigos, tais como os Celtas, os Gregos e os Romanos.

Uma das árvores que, para os Celtas e os Gregos era é detentora de um grande poder energético é o Freixo que, existindo também em Portugal, tem algumas histórias curiosas a ele associadas, dando nome a várias localidades tais como Freixo-de-Espada-à-Cinta ou Freixial. Reza a lenda que, certo dia, D. Dinis dormiu a sesta à sombra de um frondoso freixo e que foi a árvore que lhe segredou, durante o sonho, como havia de gerir Portugal. Conta-se que essa árvore é aquela que ainda hoje existe junto da Igreja matriz de Freixo-de-Espada-à-Cinta.

                                                      Veja também: Podemos ter premonições?

 

Os Gregos representavam a Árvore da Vida como um freixo, cujas longas raízes se estendiam pela terra, fazendo a conexão entre o mundo dos vivos e o dos mortos. Era costume as grandes decisões serem tomadas à sombra de um freixo.

Também os povos nórdicos seguiam esta simbologia: diz-se, nas lendas Vikings, que o Yggdrasill, a Árvore do Mundo para os nórdicos, era um freixo. Esta árvore de dimensões estrondosas segurava o mundo e fazia a ligação entre o submundo, as criaturas malignas que habitavam ao nível das suas raízes, e o mundo da superfície. Na parte equivalente ao tronco (chamado Midgard) encontramo-nos nós, homens. Os ramos mais altos definiam Asgard, o reino dos deuses, cheio de castelos, e onde também se encontra o Salão dos Mortos, chamado Valhalla, para onde iam os que morriam em batalha. O Universo em que vivemos existia, pois, à sombra desta árvore grandiosa. Ela auto-regenerava-se; chegando aos céus, fazia com que chovesse hidromel (a bebida dos deuses) que a alimentava e fazia crescer. As runas, método divinatório usado pelos nórdicos, eram feitas com madeira de freixo. Até ao século XIII, era costume os chefes das tribos nórdicas reunirem-se à sombra de um freixo para tomarem decisões importantes.

Para os Celtas, havia cinco árvores mágicas espalhadas no Mundo para proteger a Terra: três freixos, um carvalho e um teixo. Ainda hoje se acredita, na Irlanda, que foi com um bastão de freixo que São Patrício, o padroeiro da Irlanda, expulsou as serpentes deste país.

                                          Veja também: As lendas de São Patrício                                                

O Freixo era, para os Celtas, a Árvore associada à Renovação e à Ressurreição. Está relacionado com o Elemento Ar e com o Elemento Fogo e, por atingir alturas muito elevadas, faz a ponte de ligação entre a Terra e o Céu. Os druidas consideravam esta árvore a fonte da cura e a protetora das crianças. Quando uma criança adoecia, obrigavam-na a passar através de buracos de velhos freixos, para se curar.

Assim, tinham diversas superstições ligadas ao freixo; as varinhas mágicas dos magos eram feitas de freixo. Acreditavam que uma cruz ou uma chave feitas de freixo protegiam contra as más energias, e que colocar algumas folhas de freixo debaixo da almofada ajudava a ter sonhos proféticos. A famosa cruz celta, que se usava para proteger os barcos gauleses e irlandeses, era feita de freixo. 

                           Conheça a personalidade de quem nasceu sob o signo do Freixo

 

O vidoeiro (ou bétula)

Esta é considerada a árvore da limpeza e da purificação. Por esse motivo se diz que as vassouras das bruxas (que se tornaram tão famosas) eram feitas com ramos de vidoeiro e serviam para limpar as más energias sendo usadas na manhã seguinte ao Solstício de Inverno, a noite mais longa do ano. A casca do vidoeiro era usada para proteção espiritual e com a sua seiva era feita uma poção mágica para tratar alguém que estivesse a ser vítima de ataques espirituais. Era com galhos de vidoeiro que se acendiam as fogueiras de Beltane e, por estar associada aos começos, era com a madeira desta árvore que se faziam os berços, protegendo assim as crianças contra as energias negativas. 

                                       Veja também: A noite de Beltane

Por ter um tronco esbranquiçado, o vidoeiro era chamado, metaforicamente, a "Dama branca da floresta".

Os berços eram feitos desta madeira com o propósito de proteger as crianças indefesas de todo e qualquer malefícioou doença. 
Tradicionalmente os galhos de bétula eram usados ​​para acender os fogos Beltane.  
Esta árvore é reconhecida por seu tronco esbranquiçado e muitas vezes associada a grande Deusa Branca. É denominada a 'Dama Branca da Floresta'.
                                Conheça a personalidade de quem nasceu sob o signo do Vidoeiro

 

O carvalho

O carvalho é, sem dúvida, uma das árvores consideradas sagradas pela maior parte das civilizações antigas europeias, destacando-se, de entre elas, os celtas e os vikings. 

Porque demora muito tempo (cerca de 50 anos) a produzir bolotas e chega a viver mais de 1000 anos, o carvalho representava o poder, a sabedoria, a força e a resistência. Alcançava os céus graças à sua altura (chega a 40 metros), resistindo às mais duras intempéries. Atrai os raios das tempestades, mas sobrevive-lhes.

Os Celtas chamavam-lhe "duir", o que significa porta (e de onde vem a palavra inglesa door), pois acreditavam que esta árvore era um portal para o mundo espiritual.
A palavra celta para carvalho era "Duir" que significa "porta". Estudiosos acreditam que, nas religiões dos antigos celtas, a árvore facilitava a passagem para o mundo espiritual através de seus portais. Em inglês, porta é "door", e acredita-se que tenha esta mesma origem. As fogueiras do Solstício de Verão era acendidas com madeira de carvalho; é nesta estação que o carvalho dá flor. Nos bosques de carvalho viviam, acreditava-se, as fadas e os espíritos das florestas.

                                               Veja também: O Solstício de Verão

Hoje é o dia do Solstício de Verão!

 

O Solstício de Verão, celebrado desde tempos antigos, corresponde ao dia mais longo do ano no Hemisfério Norte, e é também aquele em que o Sol se encontra mais perto deste lado do globo. Este é o primeiro dia do Verão, a celebração da vida, da luz e do fogo.

A palavra "solstício" deriva do Latim "sol sistere", que significa "sol parado" e designa o momento em que o Sol parece estar imóvel sobre a Linha do Equador porque os raios solares atingem a sua maior declinação em latitude. (Saiba mais sobre os solstícios aqui). A partir do Solstício de Verão o Sol "afasta-se" do Hemisfério Norte, e por isso os dias tornam-se cada vez mais pequenos, até ao Solstício de Inverno, em Dezembro. 

Por se terem apercebido da espectacularidade deste fenómeno, em que o Sol iluminava o Hemisfério Norte durante mais horas, erguendo-se mais cedo e pondo-se mais tarde, as civilizações antigas começaram a prestar-lhe um culto especial, e este dia, que se repete por alturas do dia 20 ou 21 de Junho de cada ano, passou a ser considerado especialmente forte em termos energéticos. Tanto os Maias, como os Incas, Egípcios, Romanos e Gregos adoravam o sol e tinham os seus cultos a ele dedicados.

Os Celtas celebravam o início do verão em Stonehenge, um círculo de pedras que existe há mais de 5000 anos na Inglaterra, onde as pessoas se reúnem na madrugada deste dia para assistir ao nascer do Sol entre os pilares centrais. No calendário pagão, esta festividade chama-se Litha, e representa a celebração do Sol, da Luz e do Fogo.

Uma das tradições mais comuns nesta festividade consiste em acender fogueiras, exaltando assim o poder do Sol,  chama da vida. Não é por acaso que a Igreja Católica fez coincidir esta festividade com a celebração de  São João Batista, na qual existe a tradição de acender uma fogueira, sobre a qual se deve saltar para garantir o sucesso vindouro. O ritual de "saltar sobre o fogo" é um poderoso rito purificador. Em tempos antigos, eram queimados enormes rolos de palha, que se lançavam pelos montes abaixo, para assegurar a fertilidade da terra e para banir as energias negativas. O Solstício de Verão celebra a vida, lembrando que o Sol fecundou a Terra e que os frutos desta união em breve estarão prontos a ser colhidos.

As fogueiras acesas atraem a boa fortuna, a fertilidade, a força e a prosperidade. Para atrair a sorte e o sucesso para a sua vida acenda uma vela nesta noite, ou queime ervas como alecrim, manjericão fresco, erva-de-são-joão.

Neste período estão em destaque a coragem e a força de vontade. O Sol dá vida a tudo e afasta a energia negativa, a escuridão, a inveja, aquilo que nos deixa em baixo. Esta efeméride evidencia a forte energia solar, sendo por isso uma data especialmente favorável à realização de rituais, principalmente aqueles que se relacionam com o amor, a paixão, a conquista do sucesso e o dinheiro. Os jovens casais costumavam saltar juntos a fogueira, para dessa forma fortalecerem os seus votos e a sua união.

Nos países nórdicos, como a Finlândia, a Noruega, a Islândia e partes da Suécia, o Solstício de Verão corresponde ao chamado "Sol da Meia-noite", pois esses países assistem a 24 horas seguidas de luz solar. A atmosfera féerica deste dia que se sobrepõe à noite, cheio de luminosidade, foi desde cedo na História da Humanidade associado ao misticismo, à magia e à previsão do futuro. Até o poeta Shakespeare escreveu a conhecida peça Sonho de uma noite de verão ("A Midsummer night's dream"), que exalta toda a mística desta efeméride.

O que podemos fazer para aproveitar o Solstício de Verão?

Uma vez que a energia deste dia é tão forte, aproveite para dar um novo fulgor aos seus projetos, aos seus sonhos, a um relacionamento, e a tudo aquilo que deseja ver prosperar na sua vida.

Uma vez que o Fogo, Elemento exaltado neste dia, tem um forte poder transmitador de energia, ele pode também ser usado para "queimar" aquilo que o incomoda, aquilo de que deseja libertar-se na sua vida. Entregue as suas preocupações ao fogo e veja-as reduzirem-se a cinzas. 

O Fogo é responsável pelos processos alquímicos, sublimando os elementos e criando uma nova vida. É também o fogo que transforma os alimentos, cozinhando-os e criando a base do nosso sustento. Por isso, este é também o momento para "alimentar" tudo aquilo a que deseja dar forma na sua vida, o que deseja ver crescer. Como? Acenda uma vela, de preferência amarela, azul ou verde, cores associadas ao Solstício de Verão, e concentre-se na chama da vela, enquanto esta arde, mentalizando os seus pedidos, que poderá dizer em voz alta ou escrever num papel, o qual poderá queimar na chama da vela ou colocar debaixo desta.

Uma vez que nesta altura do ano as plantações atingiam a sua força máxima, estando depois prontas a serem colhidas, existia a tradição antiga de colher ervas neste dia, pois acreditava-se que estas seriam mais fortes. Se tiver a possibilidade de dar um passeio no campo, componha um belo ramo, que irá proteger a sua casa. 

As plantas especialmente usadas nesta celebração são a Erva-de-São-João, a salva, a menta, o manjericão, a lavanda e o girassol. Componha um ramo com elas, faça uma decoração especial para a sua casa, ou queime algumas destas ervas, deixando que o fumo purifique o seu lar.

Uma vez que a força criadora da vida está enfatizada, o Solstício de Verão é ideal para renovar os votos de matrimónio, para formalizar uma relação ou para assumir um romance.

Esta é a altura ideal para realizar rituais de protecção. Se possui um ou mais amuletos de protecção, deverá deixá-los durante todo o dia e toda a noite, para ganharem ainda mais força.

Faça o seu amuleto protetor no Solstício de Verão:

Junte um raminho de arruda, outro de manjericão e outro de sorva (aquele arbusto que tem muitas baguinhas vermelhas), e una-os com uma fita vermelha. Guarde tudo dentro dentro de um saquinho pequeno, de pano branco. Deixe-o durante todo o dia no parapeito da janela, para absorver a energia positiva do Sol. Traga este amuleto sempre consigo, ao longo de todo o ano.

Pág. 1/3