Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Astrologia

Como estão os astros em setembro de 2021? Conheça a energia do mês!

Como estão os astros em setembro de 2021? Conheça a energia do mês!

Setembro traz-nos a paz e a serenidade e ajuda-nos a retomar as rotinas habituais do dia-a-dia. O Sol atravessa o signo Virgem, conhecido pela sua ponderação e sensatez, ajudando a nossa mente a estabelecer metas realistas e a concentrar-se, com disciplina, nas tarefas que temos em mãos.

image-asset.jpeg

A energia de setembro é marcada pela passagem do Sol pelo signo Virgem, que traz maior serenidade e prudência aos nossos corações. Esta é a altura certa para nos prepararmos para as mudanças que chegarão a partir de outubro, sendo um período essencial para alicerçarmos as nossas bases e fortalecermos a nossa estrutura interior e a nossa vida. No final do mês teremos seis planetas retrógrados, o que nos dá tempo para refletir e ponderar antes de escolher um novo caminho.

No dia 6, o Sol e a Lua Nova encontram-se neste signo, o que faz com que esta energia esteja ainda mais evidenciada. Os dias que antecedem e sucedem a Lua Nova em Virgem são especialmente favoráveis para pôr a sua vida em ordem, para arrumar a sua casa - lembre-se que ela é o seu templo e que afeta diretamente o seu bem-estar e equilíbrio -, para definir metas e objetivos e para se empenhar na organização da sua vida, a todos os níveis. Contará com a ajuda de Vénus, que ainda se encontra em Balança, e que vai ajudá-lo a trazer beleza e harmonia ao seu quotidiano.

No dia 10, Vénus entra em Escorpião, o que intensifica as emoções e pode despertar paixões escondidas ou reacender uma chama que se encontrava mais apagada. Vénus em Escorpião torna-nos mais exigentes, ciumentos e possessivos, ao mesmo tempo que nos dá a motivação necessária para perseguir os nossos sonhos e reclamar os nossos direitos no que diz respeito aos afetos, sentimentos e relacionamentos.

A Lua entra na fase de Quarto Crescente no dia 13 e está no signo Sagitário, sendo muito favorável para a expansão intelectual e para o alargamento de horizontes. Esta energia incentiva-nos a aprofundar conhecimentos e pode motivar-nos a fazer uma viagem ou a increver-nos num curso que nos permita aprender sobre novos temas e desenvolver as nossas aptidões e competências.

No dia 14, Marte entra em Balança, e isso ajuda-nos a encontrar uma maneira mais diplomática de fazer valer as nossas opiniões, fazendo com que seja mais fácil trazer harmonia para a relação com os outros e com a nossa própria vida. Marte esteve em Virgem, onde acentuou o nosso rigor e também as nossas exigências, tanto em relação a nós próprios como também para connosco mesmos e, em Balança, essa energia torna-se mais descontraída, deixando-nos menos ansiosos em relação àquilo que não controlamos. Marte em Balança acentua o nosso poder de sedução e faz com que estejamos mais disponíveis para conhecer pessoas novas, aceitando-as como são e procurando compreendê-las mesmo que sejam muito diferentes de nós.

No dia 20, a Lua Cheia em Peixes é uma das mais profundas do ano, permitindo-nos mergulhar na profundidade do nosso ser e compreender a vida sob uma perspetiva mais transcendental, para lá daquilo que vemos e conhecemos no plano visível. A Lua Cheia em Peixes tem uma forte ligação ao plano espiritual, pelo que deve redobrar a atenção aos acontecimentos e sinais que surgem na sua vida nesse período. Pode ter sonhos reveladores e receber mensagens importantes enquanto dorme, por isso procure registar aquilo que sonha, conforme se recorda dos seus sonhos ao despertar. Esta Lua Cheia é especialmente favorável para atividades relacionadas com a espiritualidade, para o desenvolvimento da sua intuição e para atividades que contribuam para um maior auto-conhecimento.

A 22 de setembro temos o Equinócio de Outono no Hemisfério Norte, o qual marca um momento de viragem na energia dominante, ajudando-nos a reajustar melhor as nossas vidas e a encontrar um equilíbrio que nos permita conduzir melhor as nossas ações para que elas nos tragam maior sentido de propósito e para que nos aproximem mais das nossas metas.

No mesmo dia o Sol entra no signo Balança, que se carateriza pela sua elegância, harmonia e sentido de justiça. Enquanto o Sol transita por este signo somos ajudados no sentido de melhorar a nossa relação com os outros e de criar condições mais agradáveis para viver, quer seja ao melhorarmos o quotidiano que nos rodeia como, também, através de uma postura mais recetiva, tolerante e compreensiva para connosco próprios e para com os outros.

Mercúrio fica retrógrado no dia 27, o que traz uma paragem forçada - as situações começam a apresentar-nos desafios que nos obrigam a reavaliar melhor os nossos procedimentos, a redefinir as nossas escolhas e a apurar melhor as nossas estratégias. Mercúrio está em Balança, o que é favorável para rever contratos e parcerias, mas que também pode trazer um certo impasse no que diz respeito aos relacionamentos. Pode ser mais difícil compreender e, portanto, expressar aquilo que sentimos, o que por sua vez pode dar azo a problemas de comunicação. Evite tomar decisões nesta fase, pois pode sentir-se inseguro e confuso e acabar mesmo por chegar à conclusão que não era aquele o caminho a seguir.

No dia 28, a Lua entra na fase de Quarto Minguante e está no signo Caranguejo, sendo favorável para deixar partir situações que nos incomodam, para superar traumas antigos e medos ligados a feridas profundas e a mágoas do passado.

Não se preocupe, faz tudo parte do plano da sua alma

 

Para além do seu corpo físico, para além do plano material, você é a sua alma. A alma é a energia que dá vida ao seu corpo e que tem um propósito que é superior a tudo o que se passa na sua vida neste momento.

Antes de encarnar, antes de chegar à Terra para viver uma nova vida, a sua alma escolheu o seu corpo, a sua família, o contexto onde devia nascer para poder cumprir melhor a missão que veio realizar. Nos momentos em que lhe parece que a sua vida é injusta ou não consegue compreender por que motivo acontecem determinadas situações ou tem de lidar com algo que nã faz sentido para si, compreender que a sua alma tem um plano superior a cumprir pode fazer toda a diferença para que consiga aceitar e lidar melhor com o que a vida lhe está a apresentar.

                  Bem dentro de si, a sua alma sabe o caminho que tem de seguir.

A vida na Terra é uma aprendizagem constante, encarnamos para aprender, para ensinar, para ajudar e ser ajudados, para crescer e, deste modo, evoluir. 

A nossa evolução espiritual expande a nossa consciência e, desse modo, expande a energia universal, isto é, o próprio Universo. 

Nem sempre é fácil sentirmo-nos motivados para sair da cama e cumprir as exigências do nosso dia-a-dia; no entanto, a nossa alma sente-se sempre empenhada para cumprir a sua aprendizagem, e sabe que todos os desafios e dificuldades que enfrentamos são preciosas oportunidades de crescimento, que não só nos ajudam a compreender melhor quem somos como nos tornam melhores e mais fortes.

Existem outras dimensões para além do plano físico. No plano espiritual, as almas estão todas ligadas e estão ligadas a tudo o que existe. É por isso que todos nós, seres humanos, contemos dentro de nós a energia do Universo ou, se assim quisermos chamar-lhe, a Centelha Divina. 

             Vimos à Terra para viver a nossa individualidade, para saber quem somos. 

As experiências que vivemos na Terra são muito importantes porque são elas que nos permitem aprender. Ainda que sejam dolorosas, difíceis de enfrentar e de compreender, a nossa alma sabe que elas são temporárias. 

                                       Tudo o que vivemos na Terra é transitório.

Quando deixamos a vida na Terra e regressamos ao plano espiritual, a alma sabe que tudo volta a estar em paz, e que voltamos a sentir-nos em profunda comunhão com o Universo. 

 

Antes que isso aconteça, porém, a alma tem de realizar as suas importantes aprendizagens e tem de viver o oposto daquilo que conhece para poder alcançar um estado de equilíbrio e para poder estar completa. 

- Para expandir a nossa consciência, para crescer e para compreender a nossa individualidade precisamos de viver a dualidade.

Somos feitos de amor puro. Vimos à Terra experimentar a falta de amor para nos obrigar a aprender a encontrá-lo e a torná-lo mais forte, maior.

                     O amor é A grande lição que vimos aprender na Terra, mas há outras. 

Quando a alma encarna, ela sabe exatamente que lições deseja aprender nessa vida. Estabelece acordos com outras almas e decide que irá encontrar-se com elas na Terra para viver os desafios que lhe irão ensinar essas importantes lições. 

                                           Antes de encarnar, a alma decide que lições vai viver e a família em que vai nascer, pois o contexto em que nasce tem um papel muito importante na vida que irá viver. 

A alma é feita de energia pura e, por isso, traça planos ambiciosos, que muitas vezes nos deixam exaustos, porque a vida na Terra pode ser muito esgotante. 

Embora a sua alma tenha um plano traçado antes de encarnar, o livre arbítrio e as escolhas que fazemos ao longo do caminho modelam esse plano, podendo alterá-lo. Por isso, não há um "guião" definido; apesar disso, há certos "destinos" que teremos de cumprir, de uma forma ou de outra.

Os pormenores relacionados com a forma como vamos cumprir o nosso plano ainda não estão decididos quando vimos à Terra, mas a nossa energia espiritual - a marca que distingue cada alma de todas as outras - já lá está, contendo em si as possibilidades que a sua vida lhe pode trazer.

Cada um de nós tem a sua própria montanha para subir e, embora haja milhares de caminhos e oportunidades nesta montanha, o destino é sempre o mesmo. A vista que nos espera é única para cada um de nós.

Para a nossa alma, não são os acontecimentos da nossa vida que são importantes, mas sim aquilo que eles nos trazem e o que desperta, em nós. A forma como lidamos com o que nos acontece é o que realmente importa. É isso que nos faz crescer e evoluir.

Estamos constantemente a ser ensinados a voltar a um estado de amor puro, mas a nossa viagem é sempre diferente, de acordo com o que a nossa alma quer aprender em cada vida. De um ponto de vista humano, é cruel pensar que uma alma escolhe sofrer atrocidades e desgraças para crescer. Porém, se assumirmos a perspetiva da alma, não há um juízo de valor. As experiências mais dramáticas e mais intensas podem fazer parte de algo que é superior a nós. Tudo, absolutamente tudo, o que cada um de nós faz na vida cria um efeito na energia universal. Aquilo que você supera ou enfrenta pode ser uma dádiva que a sua alma está a oferecer ao Mundo e às outras almas. Pode estar a sacrificar-se pelos outros como, noutro momento, outros também se sacrificam por si, num plano espiritual. Nenhuma lição é desperdiçada. Nenhum sofrimento é em vão. Nada acontece por acaso.

Não é fácil conhecer o plano da nossa alma, porque não compete à mente consciente ter acesso a ele, mas podemos ter pistas importantes a seu respeito, pois o Universo envia-nos sinais constantes e provas recorrentes.

 

Pistas importantes sobre o plano da sua alma:

- A família onde nasceu, o seu papel na família

- Os sentimentos e emoções que associa à sua infância

- Aquilo que sempre o atraiu, a(s) cultura(s) que sempre quis visitar

- Os talentos naturais com que nasceu

- As suas paixões - representam aquilo que dá força à energia da sua alma

- Os pontos de viragem na sua vida até aqui, os acontecimentos mais importantes - indicam pontos importantes no seu plano de alma, mostrando-lhe quando "subiu de nível" na sua evolução espiritual ou progrediu na sua aprendizagem. Os temas que surgiram de forma recorrente em cada um desses momentos mostram-lhe melhor o padrão que subjaz ao seu plano de alma.

- Os assuntos e temas que se repetem na sua vida - eles são o maior indicador das lições que a sua alma veio aprender.

- Doenças que enfrentou, doenças crónicas e problemas de saúde fazem parte do seu plano de alma.

- O tipo de pessoas que geralmente o atrai - as pessoas que escolhe ter à sua volta e as pessoas com quem sente uma maior conexão energética estão ligadas àquilo que a sua alma veio alcançar.

- As pessoas com quem tem dificuldade em entender-se - as pessoas com quem temos maiores dificuldades de relacionamento são os nossos professores mais importantes.
- As aprendizagens, os temas e assuntos que nos atraem...

Ao ter consciência dos padrões que se repetem na nossa vida e das "linhas-mestras" que têm estado sempre presentes é mais fácil compreender o plano da nossa alma e, a partir daí, perspetivar aquilo que nos acontece e enquadrar cada situação em função de um plano superior.


Ainda assim, importa lembrar que não faz parte da nossa função (nem do nosso plano!) ter consciência dele nem conhecer os seus pormenores. Estamos aqui para viver cada experiência no momento presente, pois apenas dessa forma podemos aprender e partilhar os nossos dons com os outros. É importante lembrar-se que uma parte de si conhece o seu plano superior: confie na sua alma, entregue-se ao que ela decidiu para si. 

Se a sua vida lhe está a pedir paciência, coragem, força, determinação... se enfrenta dificuldades, se tem de superar provas duras... lembre-se que está a caminhar de volta à fonte primordial de amor, de onde viemos e à qual retornamos. Seja o que for que você fizer na sua vida é indispensável ao Universo. E nunca, nunca, está sozinho. É do amor que nasceu. É no amor profundo e perfeito que a sua alma vive.

Desamores do passado: relações conflituosas que vieram de outras vidas

 

A ideia do reencontro com a nossa alma-gémea ou com alguém com quem vivemos uma história de amor no passado é mágica e enche o coração de alento e esperança. No entanto, e segundo a teoria da Reencarnação, saiba que temos uma grande probabilidade de reencarnar também com as pessoas com quem vivemos histórias que não acabaram bem, e com quem trazemos "karmas" para resolver. Essas são, muitas vezes, as pessoas que nos estão mais próximas: mãe, pai, irmão, irmã, com quem temos conflitos que não sabemos explicar e que parecem anteceder a nossa própria história...

É fácil de compreender, se acreditarmos na reencarnação, que a alma, no seu constante propósito evolutivo, escolha encarnar sucessivas vezes junto daquelas almas com quem foi vivendo histórias marcantes noutras vidas. Só desse modo terá oportunidade de, numa vida seguinte, sanar e resolver aquilo que não ficou resolvido numa vida passada. Por esse motivo, muitos teóricos defendem que a alma encarna sucessivas vezes com o mesmo grupo de almas. Embora, de vida para vida, os papéis que vivem se vão alterando - o seu pai nesta vida pode ter sido, numa vida anterior, seu filho - as almas continuam a encarnar muito próximas, acompanhando-se durante grande parte da sua estadia na Terra. Mas tal não quer dizer que a convivência seja pacifica (nem que todas as pessoas que nos rodeiam são sempre as mesmas almas, vida após vida). A sensação "a minha mãe nunca gostou de mim", por crua que pareça, é mais comum do que imagina. Porque é que temos tanta dificuldade em dar-nos com certas pessoas? Embora obviamente aquilo que vivemos NESTA vida seja A NOSSA VIDA, pode haver razões escondidas num passado distante, numa outra encarnação, que despoletam sentimentos inexplicáveis e reações que não sabemos compreender. 

Como identificar um "desamor" de outra vida?

Alguns sinais podem ajudar-nos a apurar se uma relação conflituosa pode ter origem numa encarnação passada. Contudo, apenas com uma consulta de Regressão podemos esclarecer, analisando detalhadamente o nosso caso com o devido acompanhamento de um terapeuta especializado, quais são os reais bloqueios que trazemos de outras vidas, nomeadamente os conflitos com pessoas que nos são próximas.

De entre os aspetos que nos deixam a pensar na possibilidade de este "desafeto" ser anterior ao nosso nascimento um dos mais fortes é aquele "alarme interno" que parece disparar de forma inesperada perante uma palavra ríspida, uma atitude egoísta, um gesto inexplicável:

Porque é que esta pessoa não gosta de mim? Porque é que, faça eu o que fizer, nada é suficiente nem bom para ela?"

Certamente já lhe aconteceu conhecer alguém e, de imediato, sentir antipatia pela energia dessa pessoa. Ou então, mesmo sem ter motivos concretos por não a conhecer bem, não conseguir confiar em alguém. Atenção, todos nós possuímos uma intuição e um instinto que nos guiam (embora nem todas as pessoas os sigam) e que nos alertam para um potencial perigo, para alguém que não tem boa índole ou que não é digno da nossa confiança. No entanto, há casos e pessoas que, mesmo sem nos fazerem mal, pura e simplesmente não parecem agradar ao nosso "alarme interno". Esse pode, também, ser um poderoso indicador de que aquela pessoa, noutro corpo, noutra vida, teve connosco uma história que não terminou bem... ou que não terminou.

Mas o mesmo pode passar-se em sentido inverso: talvez já lhe tenha acontecido conhecer alguém que, sem que você possa entender o motivo, parece estar sempre contra si, critica as suas ideias, sendo mesmo ríspido ou desagradável consigo.

Se, no dia-a-dia, estas situações, embora desagradáveis, são relativamente fáceis de gerir, elas tornam-se muito mais complicadas quando acontecem no nosso núcleo mais chegado. Este é o caso de um pai ou de uma mãe que parece ter uma "embirração" inexplicável com um dado filho, ou de um filho que não se dá com um dos pais (ou com ambos), sem que tenha havido, ao longo do seu crescimento e educação, um motivo que o possa justificar. Este pode ser, também, o caso de irmãos que parecem odiar-se desde a nascença, ou daqueles casais que, passados os primeiros tempos de paixão, entram numa espiral eterna de conflitos, e que mesmo separados continuam a alimentar o ódio um pelo outro, com uma tal intensidade que essa zanga parece ser um poderoso elo de união (aqueles casos de "nem contigo nem sem ti").

Nessas situações há um ponto muito importante, essencial para desatar este nó kármico que vos prende: independentemente da atitude da outra pessoa, VOCÊ TEM O PODER DE ESCOLHER PERDOAR. Se, no seu coração, você for capaz de manter sentimentos positivos em relação a ela, não lhe está a fazer nenhum favor a ela, mas sim a si próprio. Está a libertar-se dessa situação negativa, a deixá-la ir, a curá-la. E, se conseguir fazê-lo, não voltará a ter de enfrentar essa pessoa de um modo negativo noutra vida, porque o vosso "espinho" foi finalmente curado.

Quando nos fazem mal mas nós não retribuímos na mesma moeda (o que é MUITO diferente de permitir que o maltratem de algum modo ou de expor-se ao lugar de vítima, atenção!), quando nos afastamos sem sentimentos de rancor e dissipamos a mágoa, aceitando, simplesmente, que aquela pessoa ainda não aprendeu a lição que ambos têm para aprender, Deus nunca nos deixa desamparados, e cuida sempre para que haja outras portas a abrirem-se na nossa vida, outros focos de luz que possam guiar a nossa alma nos momentos de maior escuridão. Quando, em vez de alimentar zangas e ódios, atritos e hostilidade, sabemos distanciar-nos dessa pessoa ou situação e ter em relação a ela sentimentos de compaixão, estamos a evoluir enquanto almas, na nossa caminhada interior rumo à Luz. Estamos a ser mais evoluídas que ela, que continua presa à teimosia, ao rancor, aos sentimentos negativos e destrutivos.

O primeiro passo a dar, nessas situações, é deixar de ser um alvo. Ao dar-lhe oportunidade de continuar a fazer-lhe mal estará a alimentar mais karmas, mais nós para desatar no futuro. Afaste-se dessa situação, tanto quanto lhe for possível, e aprenda a manter-se indiferente a ela. Se já sabe que aquela pessoa, mesmo que seja alguém muito próximo, não vai ser simpático consigo, afaste-se dela. Aceite que é assim e que não há nada que pode fazer. Não permita que ela o magoe mais, mesmo que se trate de um pai ou de uma mãe. Procure a ajuda de alguém que possa trazer-lhe de volta a auto-estima que muitas vezes perdemos em virtude dos ataques dos outros. O apoio de um terapeuta pode ser essencial. Aceite-se a si próprio e aceite que todos nós cometemos erros e falhas: só perdoando os nossos erros e imperfeições podemos ser capazes de perdoar os dos outros. Peça ajuda a Deus, seja qual for a sua fé: a oração é um poderoso escudo contra as energias negativas, defendendo-nos do que não nos faz bem. Cure o seu coração sem se manter preso a um passado que lhe fez mal. O que lá vai, lá vai. Dê oportunidade a si próprio para ser feliz: agora.

A oração de Maria Helena a Santo Agostinho

No dia 28 de Agosto celebra-se o dia de Santo Agostinho de Hipona, porque supõe-se que Santo Agostinho morreu neste dia. 

Santo Agostinho nasceu no norte da África, no ano 354. Filho de Patrício, e de Mónica, profundamente cristã, que depois se tornaria santa.

No ano 386, Agostinho lê as Cartas de São Paulo que afirmam que "Não é nos prazeres da vida, mas em seguir a Cristo que se encontra a felicidade", convertendo-o em cristão.

É autor de muitos escritos religiosos e fundamentais na doutrina cristã, e a sua influência religiosa é sentida ainda hoje.

 

No programa Maria Helena - Ponto de Equilíbrio Maria Helena rezou uma oração de força e proteção para esta semana, e que é a oração de Santo Agostinho.

 

Meu bom Deus,
que deste a Santo Agostinho
a santidade e o Dom
de servir o Evangelho,
faz com que eu também
saiba converter
todos os meus dias e horas
em ocasiões para Vos servir e amar,
seguindo a Vossa Verdade.


Por Nosso Senhor Jesus Cristo,
Ámen.
Santo Agostinho, rogai por nós.

Oração milagrosa de santo Agostinho

Reze esta poderosa oração de Santo Agostinho nos momentos de maior aflição da sua vida. Ela é muito antiga, remonta ao século IV pois Santo Agostinho viveu entre 354 e 430, mas é muito eficaz para trazer milagres à vida de quem mais precisa deles.

Amabilíssimo Senhor Jesus Cristo, verdadeiro Deus, 
que do seio do Pai omnipotente foste mandado ao mundo 
para absolver pecados, remir aflitos, soltar encarcerados, 
congregar vagabundos, conduzir para a sua pátria os peregrinos,
compadecer-vos dos verdadeiramente arrependidos, consolar os oprimidos 
e atribulados; 
dignai-vos de absolver e livrar a mim (dizer o nome),
criatura vossa, da aflição e tribulação em que me vejo,
porque vós recebestes de Deus Pai Todo Poderoso o género humano para o resgatares;
e, feito humano, prodigiosamente nos compraste o Paraíso com o vosso precioso sangue,
estabelecendo uma inteira paz entre os Anjos e os homens.
           
Assim, pois, dignai-vos Senhor, de introduzir e confirmar 
uma perfeita concórdia entre mim e os meus inimigos,
e fazer com que sobre mim resplandeça a vossa paz,
a vossa graça e misericórdia; mitigando e extinguindo todo o ódio e furor
que contra mim tiverem os meus adversários,
como praticastes Esaú tirando-lhe toda a aversão que tinha contra o seu irmão Jacob.
           
Estendei, Senhor Jesus Cristo, sobre mim (dizer o nome), criatura vossa, o vosso braço e a vossa graça,
e dignai-vos livrar-me de todos os que me têm ódio,
como livrastes Abraão das mãos dos caldeus;
a seu filho Isaac da consumação do sacrifício; 
a José, da tirania dos seus irmãos, a Noé, do dilúvio universal; 
a Ló do incêndio de Sodoma;
a Moisés e Aarão, vossos servos,
e ao povo de Israel, do poder do faraó e da escravidão do Egito; 
Davi das mãos de Saul e do gigante Golias; 
a Suzana do crime e testemunho falso; 
a Judith, do soberbo e impuro Holofernes; 
a Daniel da cova dos leões; 
aos três mancebos Sidraque, Misaque e Abdenego, da fornalha de fogo ardente; 
a Jonas do ventre da baleia; 
a filha da cananéia da  vexação do demônio; 
a Adão da pena do inferno;
a Pedro das ondas do mar; 
e a Paulo das prisões do cárcere.


Oh, pois, amabilíssimo Senhor Jesus Cristo, filho de Deus vivo, 
atendei também a mim (dizer o nome), criatura vossa,
e vinde com presteza em meu socorro, pela vossa encarnação, pelo vosso nascimento,
pela fome, pela sede, pelo frio, pelo calor; 
pelos trabalhos e aflições; 
pelas salivas e bofetadas; 
açoites e coroade espinhos; 
pelos cravos, fel e vinagre; 
e pela cruel morte que padecestes; 
pela lança que transpassou o vosso peito e pelas sete palavras que na Cruz dissestes,
em primeiro lugar a Deus Pai Omnipotente: 
- Perdoai-lhes, Senhor, que não sabem o que fazem.
Depois ao bom ladrão que estava convosco crucificado:
 - Digo-te na verdade que hoje estarás comigo no Paraíso.
 Depois ao mesmo Pai: - Eli, Eli, Lamá Sabactani, que vem a dizer :
- Deus meus, Deus meu, por que me desamparaste?
Depois a vossa Mãe: - Mulher, eis aí o teu filho. Depois ao discípulo:
- Eis aí a tua Mãe, mostrando que cuidáveis dos vossos amigos.
Depois dissestes: - Tenho sede, porque desejáveis a nossa salvação
e das almas santas, que estavam no limbo.
Dissestes depois a vosso Pai:
- Nas vossas mãos  encomendo o meu espírito.

E por último exclamastes, dizendo:
- Está consumado, porque estavam concluídos
todos os vossos trabalhos e dores.
           
Rogo-vos, pois, por todas estas coisas,
e pela vossa descida
ao limbo, pela vossa ressurreição gloriosa,
pelas frequentes consolações que destes aos vossos discípulos,
pela vossa admirável ascensão, pela vinda do Espírito Santo,
pelo tremendo dia do juízo! 
Como também por todos os benefícios que tenho
recebido da vossa bondade (porque vós me criastes do
nada, vós, me redimistes, vós me concedestes a vossa
santa fé, vós me fortalecestes contra as tentações do demónio, e
me prometestes a vida eterna);
por tudo isto, meu Senhor Jesus Cristo,
humildemente vos peço que agora e sempre
me defendais do maligno adversário e de todo o perigo
para que depois da presente vida
mereça gozar na eterna bem-aventurança
a vossa Divina Presença.
           
Sim, meu Deus e meu Senhor, compadecei-vos de mim,
miserável criatura, em todos os dias da minha vida.
Ó Deus de Abraão,
Deus de Isaac e Deus de Jacob, compadecei-vos de mim (dizer o nome),
criatura vossa, e mandai em meu socorro o vosso santo Miguel Arcanjo,
que me guarde e me defenda de todos os meus inimigos carnais e espirituais,
visíveis e invisíveis.
           
E vós, Miguel Santo, Arcanjo de Cristo, defendei-me na última batalha,
para que não pereça no tremendo juízo.
Arcanjo de Cristo, Miguel Santo, rogo-vos pela graça que merecestes,
e por nosso Senhor Jesus Cristo, que me livreis de todo mal, e do último perigo,
na última hora da morte.
São Miguel, São Gabriel e São Rafael, e todos
os outros Anjos e Arcanjos de Deus, socorrei esta miserável criatura:
Rogo-vos humildemente que me presteis o vosso auxílio, para
que nenhum inimigo me possa causar dano, tanto no caminho,
como em casa, assim na água como no fogo, ou velando ou
dormindo, ou falando ou calando; tanto na vida como na morte.
           
Eis a Cruz do Senhor; fugi, adversos inimigos.
Venceu o leão da tribo de Judá, descendente de David,
Aleluia.
           
Salvador do mundo, salvai-me. Salvador do mundo, ajudai-me.
Vós, que pelo vosso sangue e pela vossa Cruz me remistes, 
salvai-me e defendei-me hoje e em todo o tempo.

Deus Santo, Deus Forte, Deus Imortal, tende misericórdia de nós.
Cruz  de Cristo salvai-me, Cruz de Cristo protegei-me,
Cruz de Cristo defendei-me.
Em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo.
Ámen.

O que significa "ter o cofre aberto"?

"Ter o cofre aberto" é uma expressão muito antiga, que já ouvíamos as nossas avós usar. Esta expressão tem origem no Espiritismo, e por "cofre" entende-se a alma da pessoa, a sua essência mais pura e genuína, a sua vertente espiritual, a mediunidade.

Uma pessoa que tem o cofre  aberto tem uma mediunidade especialmente desenvolvida, mas na maior parte das vezes não sabe como usá-la, sendo também uma pessoa mais susceptível ao contacto com espíritos de pessoas que já partiram.

Pode ser uma pessoa que tem pressentimentos, que recebe mensagens nos  sonhos, que pode ver ou ouvir coisas que estão para além da nossa realidade ou que pode  simplesmente estar mais susceptível às energias que a rodeiam, porque capta com muita facilidade tudo aquilo que a rodeia.

Uma vez que nem todos os espíritos encontraram a Luz, alguns podem ser "encostos" que se aproximam e acompanham essa pessoa, alimentando-se da sua energia.

Para se proteger o essencial, acima de tudo, é a Fé. Deus e os seus Anjos protegem-nos em todos os momentos, e aqueles que se fixam na Luz não são perturbados pelas trevas.

Reze com convicção e fé, traga consigo um símbolo de Luz e de Fé como é o caso da Cruz de Caravaca, que é um poderoso amuleto de proteção espiritual.

O Agnus Dei é outro dos amuletos que pode usar consigo e que irá proteger nesta situações porque representa o amor e o poder Divino.

Uma  vez que "o cofre" também designa os chakras – que são os sete centros de energia que temos no nosso corpo – uma forma muito eficaz de proteção é aprender a fazer uma limpeza espiritual com regularidade ou uma consulta de Reiki, por exemplo.

Caso a situação continue a persistir deverá procurar a ajuda espiritual de um médium, que saiba libertá-lo da influência negativa do espírito obsessor.

Poderosa oração de Santo Agostinho para proteger-se contra um encosto

Esta é uma das orações mais poderosas de proteção contra encostos, isto é, almas perdidas que se alimentam da energia de uma pessoa. Peça a Santo Agostinho que o proteja:

No poder de Deus e de Santo Agostinho,
peço que todas as almas penadas, sem luz, atormentadas,
e que todo o sofrimento sejam retirados da minha vida, da minha casa,
da minha família (filhos, marido/esposa, familiares)
e que elas sejam levadas para o colégio de Santo Agostinho,
aprisionadas, acorrentadas pela força de Santo Agostinho,
dominadas, que tenham paz e sossego
e me dêem paz e sossego
.

Rezar um Credo e uma Salvé Rainha.

 

Como identificar amores, familiares e inimigos de vidas passadas

 

De acordo com as teorias que acreditam na Reencarnação - segundo a qual vimos à Terra, em sucessivas vidas, com o propósito de evoluirmos enquanto almas para ascendermos à perfeição espiritual e alcançarmos a Luz Divina - é normal que as pessoas que nos são mais próximas ou que têm um papel mais significativo nesta vida já tenham, em vidas passadas, partilhado experiências importantes connosco.

Os nossos pais já foram, provavelmente e de acordo com esta teoria, nossos filhos, irmãos ou amores noutras vidas, e por esse motivo encarnaram nesta num papel que está intimamente ligado a nós, desde o nosso nascimento. 

Também os amores mais marcantes podem ter nascido há muitos séculos atrás, tendo por vezes até perpassado mais do que uma vida. Se alguma coisa não permitiu que esses amores tenham sido vividos na sua plenitude, há fortes probabilidades de que os dois amantes se voltem a juntar nesta vida, para enfim cumprirem aquilo que ainda não puderam viver.

Nem todas as pessoas que reencarnam connosco vieram de relações com conflitos para resolver. Aquelas que, noutras encarnações, tiveram experiências especialmente positivas connosco podem também surgir na nossa vida como aqueles "anjos na Terra" a quem recorremos sempre que precisamos de amparo e aceitação. 

Descobrir uma relação, seja de que tipo for, de outra vida, não é difícil, mas requer atenção. Pode pensar que é fruto da sua imaginação ou da vontade de acreditar que aquilo que sente é anterior a esta encarnação. No entanto, há alguns sinais que validam os seus sentimentos e pressentimentos e confirmam-lhe que já se conheceram antes. 

Quais são esses sinais?

1 - Simpatia ou antipatia imediatas

Quando acabamos de conhecer uma pessoa, a não ser que tenhamos ouvido falar muito bem ou muito mal dela, não temos uma opinião formada a seu respeito. E, por vezes, ouvimos falar bem dela, mas quando a conhecemos a nossa impressão não condiz com aquilo que ouvimos ou, pelo contrário, sentimos simpatia por alguém de quem era suposto não gostarmos. Sentir uma forte simpatia - ou antipatia - por alguém que acabámos de conhecer e, além disso, ter um imediato à vontade que nos faz ficar horas à conversa com essa pessoa é uma pista sobre uma possível relação de outras vidas. Este indício é ainda mais forte se houver uma imediata conexão mental, como se aquela pessoa compreendesse perfeitamente o que você diz e sente, e se esse tipo de empatia não desaparecer com o tempo. Pode acontecer, no sentido inverso, haver sempre "qualquer coisa" nessa pessoa que não lhe inspira confiança, ainda que, ao longo dos anos, ela nunca lhe dê motivo algum para ter desconfianças - pode ter sido alguém que foi traiçoeiro consigo numa vida passada, e a sua memória inconsciente continua a deixá-lo de pé atrás em relação a ela.

 

2 - Inquietação ou nervosismo

Química ou atração sexual à parte, há pessoas que nos causam nervosismo - positivo ou negativo - sem que tenhamos um real motivo para que isso aconteça. Por vezes pode até haver uma relação amorosa com essa pessoa nesta vida, mas por qualquer motivo é alguém que o deixa sempre inquieto e nervoso, sem conseguir relaxar na presença dessa pessoa nem confiar totalmente nela. Mesmo que esteja tudo bem, você lá no fundo está sempre à espera que a situação mude e que se torne perigosa ou desconfortável.

                   Veja também: Relações conflituosas - desamores que vieram de outras vidas

3 - Esteve sempre lá

Em muitos casos, as pessoas que vieram de vidas passadas surgem cedo nas nossas vidas, precisamente para que tenhamos tempo de cumprir, com elas, aquilo que ainda não vivemos. Atenção, existem também pessoas que chegam à nossa vida apenas numa dada fase, quando estamos "prontos" para esse encontro, ou porque o que têm a viver connosco exige mais intensidade do que tempo. Ainda assim, aquele amigo de longa data com quem partilhamos outros indícios de vidas passadas juntos, ou aquele amor da juventude que nunca deixou de o ser, têm boas probabilidades de ser afetos de outras vidas.

 

4 - São naturalmente cúmplices e companheiros

A cumplicidade é algo que nasce espontaneamente entre duas pessoas e que se vai construindo ao longo dos anos, mas há casos em que tudo flui de forma tão natural (e essa harmonia não se desvanece), fazendo com que façam uma "equipa de sonho", que pode revelar uma prática e um conhecimento mútuo de encarnações anteriores. Quando há gostos inusitados partilhados, ou estranhos hábitos que ambos seguem de modo natural, possivelmente já o faziam antes juntos, há muito, muito tempo atrás. Também a atração partilhada por uma cultura ou país pode indicar que ambos já viveram lá, assim como a facilidade em alcançar metas em conjunto e trabalhar em sintonia pode revelar antigos parceiros de negócio.

 

5 - Raiva e discussões inexplicáveis

Uma pessoa que, sem que você lhe tenha alguma vez feito algum mal, se mostra sempre antipática em relação a si, podendo ser dissimulada mas ainda assim deixando sempre escapar um comentário desagradável a seu respeito, um olhar de desdém, ou ter mesmo atos que o prejudicam, pode já ter vivido uma situação negativa consigo. Por vezes magoamos os outros sem nos apercebermos, e nem sempre temos consciência do dano que causámos a outra pessoa. Alguém que hoje, faça você o que fizer, não gosta de si, pode revelar alguém que já sofreu por sua causa em vidas passadas. Do mesmo modo, uma mãe e um filho ou dois irmãos que estão sempre a discutir por causa de um determinado assunto, não importa o número de vezes que fazem as pazes e se comprometem a ultrapassar a situação, também podem revelar alguém que teve experiências conflituosas no passado mais remoto, juntos.

                          

6 - Medo e sentimentos de culpa

Embora sejam geralmente originados na vida presente, por vezes ter um estranho sentimento de culpa, remorso ou sentimento de dívida para com alguma pessoa pode ser um indício de que houve um relacionamento numa encarnação anterior que deu origem a esse sentimento. Quando procuramos fazer sempre tudo por essa pessoa, mesmo que ela nos mostre que não o merece, e ainda assim sentimos que lhe devemos isso, podemos estar perante um relacionamento muito antigo, que deu origem a esse padrão negativo na nossa vida. É importante ter consciência disto, para que possa perdoar-se a si próprio e libertar-se da culpa, criando então um padrão de relacionamento saudável nesta vida.

A culpa e o ressentimento são dois dos principais motivos pelos quais duas almas reencarnam juntas, para que possam resolver esses nós Kármicos e dissipá-los.

Do mesmo modo, podemos sentir medo - uma importante defesa natural do nosso organismo, que instintivamente nos protege de situações de perigo - em relação a uma pessoa que, presentemente, não nos dá motivos para nos sentirmos assim. É importante reconhecer este padrão para que possamos avaliar até que ponto temos ou não motivos para ter medo, protegendo-nos, se for caso disso, ou libertando-nos desse sentimento, se não houver motivo para tal.

 

7 - Atração, química e física

Uma mãe e um filho que partilham um amor com uma atração física que precisam de controlar, uma estranha atração por alguém muito mais velho ou muito mais novo, que se encontra numa situação de compromisso, a atração estranha por aquele amigo de infância que é do mesmo sexo, a química entre um professor e um aluno, um padre e uma cidadã... Os amores impossíveis existiram sempre, ao longo da História, dando vida aos romances e à ficção, como retratos que são da vida real. Nem todos se justificam através da partilha de vidas passadas, mas uma atração que de algum modo representa um tabu pode, sem dúvida, indiciar duas almas que já partilharam uma forte intimidade. 

Conheça o significado de usar anéis em cada dedo!

 

Segundo a Quiromancia, cada dedo da mão é regido por um planeta específico, que corresponde a determinadas caraterísticas da nossa personalidade. Os magos antigos usavam, muitas vezes, anéis com cristais para potenciar as qualidades correspondentes ao dedo em que os usavam, aproveitando as propriedades energéticas dos cristais escolhidos e dos metais de que eram feitos. Hoje em dia existem muitos acessórios feitos com cristais, nomeadamente anéis. Saiba como usá-los!

Em primeiro lugar, conheça o planeta correspondente a cada dedo da mão e os traços a ele associados:

Dedo Indicador - Júpiter

Está associado à ambição, à vontade de expandir horizontes, aos dotes de liderança. Por estar associado ao poder, era comum os reis usarem um anel neste dedo. 

Uma pessoa que gosta de usar anéis no dedo indicador quer destacar o seu poder pessoal, embora o faça inconscientemente. Se usar anéis em ambos os dedos indicadores tem necessidade de fortalecer a sua auto-confiança. Uma pessoa com dedos compridos que escolhe usar um anel no dedo indicador é segura de si própria e das suas capacidades e valor; se tem os dedos curtos, está a procurar aumentar a sua confiança. Quem usa anéis neste dedo gosta de ter o controlo das situações e de ser o centro das atenções, mas pode ter tendência para o egocentrismo.

 

Dedo Médio - Saturno

Este dedo está ligado à individualidade, ao sentido de segurança, à estabilidade e também à sabedoria e à voz da experiência. Usar um anel neste dedo traz equilíbrio à sua vida.

As pessoas que usam anéis no dedo médio estão, sem saber, a aumentar o seu sentido de segurança e procuram sentir-se importantes no Mundo. Muitas vezes vêem o Mundo como um lugar que não é seguro, podem ter sofrido um trauma na infância ou têm dificuldades em assumir responsabilidades. Podem, também, ser pessoas muito materialistas e que estão sempre em busca de novos objetos e que gostam de ser precursores de novas modas. O tipo de anel escolhido também revela muito sobre a pessoa: se for um anel fininho, clássico, é alguém que valoriza muito as tradições e que procura ser aceite pelos outros. Se a pessoa tem um dedo comprido e mesmo assim escolhe usar um anel no dedo médio, trata-se de alguém que frequentemente negligencia a família porque é muito absorvida pelo seu trabalho. 

 

Dedo Anelar - Apolo

Este é o dedo em que se usam as alianças de casamento ou de compromisso afetivo. Regido pelo Sol, a ele se associa o afeto, o amor, o coração. Também está relacionado com a criatividade e com a imaginação.

Usar um anel no dedo anelar atrai o otimismo e a positividade. Uma pessoa ue escolhe fazê-lo está, ainda que inconscientemente, a valorizar a emotividade, procurando ser mais sensível ou mais criativa. Uma pessoa comprometida que opta por não usar aliança está a manifestar necessidade de firmar a sua independência ou esconde problemas no relacionamento, enquanto que uma pessoa não comprometida que escolhe usar um anel em forma de aliança no dedo anelar manifesta, na verdade, a vontade de encontrar um amor duradouro. 

 

Dedo Mindinho - Mercúrio

Associado à comunicação, à partilha de informação, ao conhecimento e à fala, este dedo mostra a forma como nos relacionamos com os outros e com o Mundo à nossa volta, assim como a atitude que adotamos para com eles. 

Usar anéis no dedo mindinho ajuda-nos a ter uma melhor relação com os outros mas, por outro lado, denota alguém que deseja preservar a sua independência sexual, especialmente se a pessoa também usar uma aliança no dedo anelar. Alguém que usa um anel neste dedo apenas durante um certo período revela uma pessoa que, durante esse tempo, não quis estar emocionalmente nem sexualmente ligada a ninguém. Poe tabém manifestar inibições sexuais e dificuldade em soltar-se mesmo com um companheiro.

 

Dedo polegar - Vénus

Assim como o dedo mindinho se relaciona com o mundo exterior e a nossa atitude para com ele, no outro extremo da mão, o dedo polegar aponta para o nosso mundo interior e para a nossa relação connosco próprios. Este é o dedo mais egocêntrico (lembre-se que é normal os bebés chuparem o dedo polegar enquanto dormem) e relaciona-se com a força de vontade e com o livre arbítrio de cada um - quem "eu" sou. 

Usar um anel no dedo polegar potencia a força de vontade e ajuda a catalisar mudanças na sua vida. Uma pessoa que use anéis neste dedo deseja ser mais independente e organizar melhor a sua vida. Tende a ser impulsiva e pouco paciente, mostrando-se prática e direta.

Agora que já conhece o significado de cada dedo, saiba também quais são as principais caraterísticas desenvolvidas por cada cristal, para poder escolher os cristais adequados:

Quartzo transparente - novos começos, alargamento de horizontes, proteção espiritual, pureza. 

Citrino - alegria de viver, motivação, otimismo, entusiasmo, facilidade de comunicação.

Quartzo Rosa ou Ágata Rosa - atraem e desenvolvem o amor e a sensibilidade.

Sodalite ou Quartzo Azul - desenvolve a concentração, potencia o intelecto, fortalece o espírito para manter a calma, estimula o sentido prático.

Turquesa ou Quartzo Verde - atrai e preserva a saúde.

Ónix ou Turmalina negra - confere proteção contra energias negativas e ataques espirituais, dissipa a negatividade.

Hematite - melhora o funcionamento do organismo e transforma as energias negativas em energias positivas. 

Granada - dá força para vencer obstáculos e potencia a sensualidade.

Pedra-do-Sol - estimula os dotes de liderança.

Pedra-da-Lua - potencia a intuição e desenvolve a espiritualidade.

Ametista - atrai a paz e o desenvolvimento espiritual, conferindo maior poder pessoa.

Como detetar más energias em casa com um copo de água

 

Existem várias formas de detetar a presença de más energias negativas em casa ou no trabalho invejas, mau olhado. Esta é das mais simples e acessíveis. 

Todos os lugares possuem energia, porque tudo é energia. A energia das pessoas que se encontram num espaço espalha-se ao ambiente envolvente, "contagiando-o". Se for uma energia positiva, o espaço torna-se positivo e sentimo-nos leves e bem-dispostos quando nele nos encontramos; se for densa, pesada, de baixa vibração - negativa - o espaço torna-se desconfortável, o ar é "pesado", fazendo-nos sentir desvitalizados, desmotivados, por vezes com vontade de chorar sem motivo aparente, ou com uma intensa dor de cabeça, por exemplo. Quando recebemos visitas em casa, ou se um vizinho nos for visitar, a energia dessas pessoas e o tipo de sentimentos que têm para connosco afetam também o espaço. As pessoas vão embora, mas a sua energia permanece na nossa casa. Numa casa de família, onde (con)vivem várias pessoas, as tensões que muitas vezes surgem resultam da acumulação de energias que vão permanecendo como resíduos. Por exemplo, se o seu marido discutir com um colega de trabalho e chegar a casa tenso, mesmo que não discuta com ninguém, vai libertar essa energia densa. Se o seu filho teve problemas na escola, mesmo que não diga nada a ninguém, vai também deixar essa energia pesada em casa, quando chega. Se você teve um problema no trânsito e se irritou com outro automobilista, vai também contribuir com uma carga energética negativa. Todas essas energias densas acumulam-se em casa e, talvez não nesse dia, mas em dias próximos, inevitavelmente causam mal-estar às pessoas da família, que podem começar a discutir por um assunto insignificante ou ficar mesmo cansados, por exemplo. Outras vezes, são os aparelhos elétricos que avariam subitamente, os armários ou a loiça que se partem, criando ainda maior tensão e mal-estar entre nós.

Por esse motivo, é essencial manter a boa energia em sua casa (veja aqui como pode fazer).

Para detetar se existem más energias, inveja ou mau olhado em sua casa (no local de trabalho, ou no seu negócio) com a ajuda de um copo de água, faça o seguinte:

- Pegue num copo de vidro que nunca tenha sido usado e encha até cerca de dois terços com sal grosso.

- Encha o copo até ao cimo com água (pode ser da torneira, mas será melhor usar água mineral engarrafada ou água da chuva).

- Deixe o copo na divisão de sua casa onde costumam estar mais tempo e onde as energias se podem acumular mais. Convém que esteja escondido (por exemplo, no cimo de um armário, na parte de trás de uma prateleira, atrás de uma porta) mas não fechado (não ponha dentro de um armário fechado).

- O copo deve ficar nesse sítio durante pelo menos 24 horas.

- No dia seguinte, examine-o. Se estiver exatamente como o deixou, não existem más energias no espaço. 

- Pode repetir o mesmo processo (mas deite fora a água e o sal, e volte a encher o copo de novo) noutra divisão da casa. 

- Se o copo não estiver como o deixou, existem más energias em casa. Pode ter bolhas de ar, maiores ou menores, ou a água estar um pouco turva. Se for esse o caso, repita, usando diariamente água e sal renovados, até que a água esteja como a deixou, passadas 24 horas.

Para obter melhores resultados deve proceder a uma limpeza energética em sua casa, como por exemplo:

Ritual para limpar a casa de más energias

Ter em casa uma Rosa de Jericó

Benzedura poderosa para cortar o mal

Ter em casa a planta Espada de São Jorge

Saiba que, se gosta de animais e, especialmente, de gatos, ter em casa um gato ajuda a equilibrar as energias do local, mantendo afastados espíritos malignos e energias negativas.

Pág. 1/4