Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Astrologia

Domingo de Páscoa

 

Hoje celebra-se o Domingo de Páscoa, o dia mais importante do Catolicismo, que resume o maior mistério da Fé: a esperança da Ressurreição. Jesus Cristo ressuscitou ao 3º dia, deixando-nos para sempre o seu maior ensinamento: tudo na vida renasce para aqueles que ACREDITAM.

O Domingo de Páscoa é o dia da Ressurreição de Jesus, e representa a comemoração mais importante do Catolicismo, que celebra a vida, o amor e a misericórdia de Deus. Este é o último dia do Tríduo Pascal e o último dia da Semana Santa. Ao terceiro dia, Jesus levantou-se da sua sepultura, vencendo a morte e trazendo aos fiéis o tão aguardado milagre. 

Depois da morte, da terra renasce a vida: Maria Madalena foi ao sepulcro onde Jesus se encontrava e viu que a pedra que o fechava fora retirada. O sepulcro tornou-se um lugar de esperança, de vida e de fé.

A força do amor é aquilo que nos salva: Jesus ressuscitou no lugar onde as mulheres iam ungir o seu corpo, num profundo ato de amor. Quando João, o discípulo amado, chegou ao sepulcro, viu os sinais e acreditou na Ressurreição. É no amor que encontramos Jesus e que chegamos a Deus. 

A palavra Páscoa deriva do hebraico e significa "passagem", e coincide com uma festividade pagã que celebrava a passagem do inverno para a Primavera. A Páscoa é a data mais importante da Igreja, ela traz a consigo a mensagem da ressurreição: assim como Jesus morreu para nos salvar e ressuscitou ao fim de 3 dias, também nós conseguiremos sempre reerguer-nos mesmo depois das mais duras batalhas na nossa vida, desde que acreditemos, com verdadeira fé, no poder de Deus. Na Páscoa celebra-se a passagem de Cristo da vida terrena para a vida eterna.

A Páscoa é, pois, uma época de esperança. Por essa razão, está associada aos ovos, que simbolizam o nascimento, e com os coelhos, que representam a fertilidade, por se reproduzirem muito facilmente. Os ovos são pintados de cores alegres para celebrar a alegria da vida, o renascimento da natureza e, na tradição cristã, a alegria da ressurreição de Cristo.

O Domingo de Páscoa é sempre celebrado na primeira Lua Cheia depois do equinócio de Primavera. O Domingo de Páscoa marca o fim do período de Quaresma, em que os fiéis se abstêm de comer carne. É tradição comer um cordeiro, porque segundo a Bíblia Moisés anunciou que Deus lançaria 10 pragas sobre o Egipto, mas pouparia as casas dos fiéis que seguissem as suas instruções: deveriam sacrificar um cordeiro, cujo sangue devia ser passado pelas ombreiras das portas de sua casa, para assinalar que seguiam a lei de Deus, que assim os pouparia.

Nesta Páscoa, reflita sobre a sua vida, e tome consciência que, para alguma coisa poder renascer mais forte, temos de deixar partir o que já não  faz falta ou o que já não nos faz  bem, para desta forma podermos receber, com espaço no coração, as maravilhosas bênçãos que Deus tem para nos dar.

Oração de Páscoa

Jesus Cristo Ressuscitado,
da morte vencedor,
pela tua vida e amor,
deste-nos a Luz de Nosso Senhor.
Na Páscoa o Céu à Terra uniste
e os nossos pecados redimiste.

Por ti, abriram-se as portas dos Céus.
E nós que Te amamos e bendizemos
a tua proteção e compaixão
agora temos.

Que o teu tão puro amor em nós renasça
e que das maiores dores nos liberte
que haja harmonia e paz com a Tua graça
e que o melhor de nós
em nós desperte.
Ámen.

Oração para o Sábado de Aleluia

 

O Sábado de Aleluia representa a profunda dor e o luto de todos os cristãos: Jesus Cristo foi sepultado na Sexta-feira Santa e, antes da sua Ressurreição, no Domingo de Páscoa, há um Sábado de tristeza, em que se chora a morte de Jesus.

O Sábado de Aleluia é o dia de preparação para a Ressurreição de Cristo. Foi neste dia que Jesus salvou as almas presas no inferno. Não é celebrada Eucaristia neste dia, havendo como única celebração religiosa a Vigília Pascal, que começa pelas 18 horas, quando o Sol se põe, e que termina antes do nascer do Sol.

Na Vigília Pascal acende-se o Círio Pascal, uma vela especial onde se inscrevem os algarismos do ano vigente e onde são cravados cinco grãos de incenso como símbolo das cinco chagas de Jesus. No Círio Pascal inscrevem-se também as letras Alfa e Omega, que são a primeira e a última letras do alfabeto grego, dessa forma representando o início e o fim de todas as coisas. 

Neste dia, agradeça a Jesus pelo seu sacrifício e pelo seu profundo amor por nós. Mais do que qualquer oração, reze com o coração. Sinta, dentro de si, o profundo ato de amor de Jesus Cristo. Sinta o seu sacrifício para nos salvar e preste-Lhe a sua homenagem, da maneira que fizer mais sentido para si.

 

Oração para o Sábado de Aleluia

Bendito Senhor Jesus Cristo,
da escuridão da morte fizeste Luz.

Mesmo na solidão profunda vivemos 
a proteção poderosa do Teu amor
e enquanto aguardamos a Tua Ressurreição
o nosso coração alegra-se na tua Aleluia.

Bendito Senhor Jesus,
Reforça a nossa fé,
para que não se apague nas horas de escuridão,
nos momentos de abandono, quando tudo parece escuro.

Ilumina o nosso caminho e a nossa alma para que,
assim guiados pela incandescente chama do Teu amor,
sejamos sempre conduzidos até junto de Ti.

Aleluia, Aleluia, Aleluia!

Hoje é Sexta-feira Santa!

A Sexta-feira Santa, ou Sexta-feira da Paixão, assinala o dia em que Jesus Cristo foi condenado e pregado na Cruz. Teve de carregar a sua própria Cruz até ao Calvário, onde foi erguido, entre dois ladrões, por volta do meio-dia. Diz-se que às 3 horas da tarde  morreu, e ainda hoje se faz um minuto de silêncio em sentida homenagem ao seu profundo ato de amor, dando a vida para nos salvar do pecado.

Jesus Cristo foi pregado na Cruz, e esta tornou-se o símbolo mais profundo da fé Católica. No ano 325 d.C., Constantino decretou-a como o símbolo oficial do Cristianismo. Ela representa o sofrimento de Jesus e a sua paixão por nós. Na Sexta-feira Santa, os fiéis fazem jejum, abstendo-se de comer carne em sinal de respeito e devoção a Jesus. 

Hoje, páre um pouco nos afazeres da sua vida, tire alguns minutos do seu dia para refletir sobre o significado da Páscoa para si. Quantas vezes já se sacrificou pelo bem de alguém amado? Quantas vezes deu, quando pensava que não conseguia dar mais? Quantas vezes o seu amor foi posto à prova, que cruzes carrega na sua vida? Entregue a Nosso Senhor Jesus Cristo os seus martírios, as suas dores. Ele morreu para que fôssemos libertados do pecado original. E ensinou-nos que o AMOR é a única salvação que existe.

Reze a Oração que Jesus nos ensinou: 

Pai nosso, que estais no céu, 
santificado seja o Vosso nome. 

Venha a nós o Vossa reino, 
seja feita a Vossa vontade 
assim na terra como no Céu. 
O pão nosso de cada dia
nos dai hoje. 

Perdoai-nos as nossas ofensas 
assim como nós perdoamos 
a quem nos tem ofendido; 
e não nos deixes cair em tentação, 
mas livrai-nos do mal.

Ámen.

 
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PREENCHA O FORMULÁRIO E RECEBA A RESPOSTA AO SEU DILEMA

 

A história do coelhinho e os outros símbolos da páscoa

 

Os ovos, o coelho, as amêndoas, o folar, o cordeiro... a Páscoa é uma época especialmente rica em simbolismo. Conheça os significados dos símbolos da Páscoa!

Quando pensamos em Páscoa, uma das primeiras imagens que vêm à nossa mente é a do coelho da Páscoa, com os ovos coloridos, pintados de cores vivas. Mas se é sabido que os coelhos não põem ovos... de onde vem esta associação?

A história do Coelhinho da Páscoa

Conta-se que a história do coelho da Páscoa vem de tempos muito antigos, porque o coelho simbolizava, para os pagãos, a Lua e a fertilidade. A Páscoa, que já era celebrada como a passagem do Inverno para a Primavera, representa, nas suas origens, o renascer da vida. Uma vez que os coelhos se reproduzem muito e a Páscoa simboliza o renascimento, este animal foi escolhido como símbolo desta época. O Coelho da Páscoa não é um símbolo conflituante com a Igreja, pois representa a capacidade de esta propagar fecundamente a palavra de Jesus. 

Reza a lenda que havia uma mulher muito pobre que, não tendo nada para oferecer aos seus filhos no Domingo de Páscoa, cozeu alguns ovos, pintou-os e escondeu-os no quintal. Quando as crianças encontraram os ovos, apareceu por ali um coelho que fugiu, e então elas acreditaram que os ovos da Páscoa tinham sido trazidos pelo coelhinho. A partir daí, o coelhinho surgiu associado aos ovos da Páscoa. 

Os Ovos da Páscoa

Por ser do ovo que nasce a vida, os ovos foram associados à Páscoa, ainda nas suas origens pagãs. Os agricultores enterravam ovos para assim atraírem uma boa colheita, sendo o ovo o símbolo da vida "fertilizavam" o solo com este bom prenúncio. Por essa razão, as pessoas ofereciam ovos aos amigos, como um presente de sorte, abundância e uma vida próspera. Conta-se que na Pérsia Antiga se acreditava que a Terra surgira de ovo gigante, e por isso os ovos eram considerados sagrados. Na China envolviam-se os ovos com cascas de cebola, sendo estes depois cozidos com beterraba. Ao retirarem-se da água, os ovos tinham impressos os traços da casca da cebola, formando desenhos. Estes ovos eram oferecidos às pessoas amigas no início da Primavera, como auspício de boa fortuna.

Os Cristãos primitivos do Oriente já ofereciam ovos coloridos na Páscoa, simbolizando com eles a ressurreição, o nascimento de uma nova vida. Na Arménia decoravam-se ovos ocos com desenhos que retratavam Jesus, Maria e outras figuras bíblicas. No século XVIII a Igreja aceitou o ovo como um dos símbolos da Páscoa, chegando a doar ovos bentos aos fiéis. Devido à proibição de comer carne na Quaresma, e sendo o ovo um derivado animal, começaram a surgir os ovos de chocolate, que a indústria ainda hoje mantém como um dos símbolos mais populares da Páscoa. Outras teorias apontam para a Rússia do tempo dos Czares como a origem da tradição dos ovos de chocolate, outras ainda, para os pasteleiros franceses, que começaram por rechear ovos vazios e limpos com chocolate, decorando-os depois.

O Cordeiro da Páscoa

No almoço de Páscoa o cordeiro é o prato principal tradicional. Esta associação está ligada ao simbolismo profundo do cordeiro, associado a Jesus. Segundo o Antigo Testamento, a Páscoa era celebrada comendo pão ázimo, que não leva fermento, e com o sacrifício de um cordeiro, que representa o sacrifício de Jesus, que derramou o seu sangue por nós: "Este é o Cordeiro de Deus, que tira os pecados do Mundo".

Já na Páscoa judaica, o cordeiro representava a aliança de Deus com o povo judeu, libertado da escravidão do Egipto, pois Moisés comemorou a libertação do povo judeu da escravidão dos faraós imolando um cordeiro. 


Amêndoas de Páscoa

Também as amêndoas são um símbolo de Jesus, porque tal como o fruto se esconde sob uma capa dura, também a essência Divina de Jesus estava escondida sob a sua natureza humana. Por outro lado, pelo seu formato as amêndoas cobertas de açucar ou chocolate replicam os ovos, em miniatura, mantendo o seu simbolismo de fertilidade e vida.

O Folar de Páscoa - uma tradição muito nossa

O folar é uma tradição de Páscoa portuguesa, muito antiga, ligada à história de Mariana, uma jovem rapariga que desejava casar... Conheça aqui toda a história! É tradição, ainda hoje, as madrinhas oferecerem um folar aos afilhados, no Domingo de Páscoa. Em algumas localidades, os afilhados oferecem no Domingo de Ramos um ramo de violetas à madrinha, que depois no Domingo de Páscoa retribui com o folar.

A história do folar - uma tradição portuguesa

 

Embora haja uma grande variedade de bolos folares, todos eles associados à Páscoa, o mais popular é feito de uma massa seca e doce, com um suave travo a canela e ervas aromáticas, que se destaca por ter por cima um ou mais ovos cozidos e por se apresentar muito luzidio. As madrinhas oferecem, no Domingo de Páscoa, um folar aos afilhados. Saiba que este bolo está ligado, na sua origem, à amizade, à reconciliação. Conheça a história!

A palavra "folar" deriva do Latim "floralis" e é um dos símbolos mais marcantes da Páscoa portuguesa.

Conta-se que existia numa aldeia uma rapariga pobre chamada Mariana, cujo maior desejo era casar cedo. Tanto ela o desejava, que rezava fervorosamente a Santa Catarina para pedir esse milagre, com uma oração que dizia assim:

Minha roquinha esfiada,
Meu fusinho por encher,
Minha sogra enterrada,
Meu marido por nascer.
Minha Santa Catarina,
Com devoção e carinho
Tomai-vos minha madrinha,
Arranjai-me um maridinho.

(1)

A jovem rezou com tanta fé e devoção, que lhe apareceram dois prentendentes: um fidalgo rico e um lavrador pobre, chamado Amaro. Como ambos eram muito belos, e como se completavam, pois um trazia-lhe a segurança, a estabilidade, e o outro, a força da juventude e a garra da labuta, a jovem voltou a rezar, pedindo orientação Divina para fazer a escolha certa.

O lavrador pobre, então, bateu-lhe à porta e pediu-lhe uma resposta até ao Domingo de Ramos. Pouco depois apareceu o fidalgo, também com urgência numa resposta. A jovem não conseguia tomar uma decisão, o Domingo de Ramos chegou. Uma vizinha acorreu à casa de Mariana, dizendo-lhe que estavam ambos a travar uma luta de morte, em disputa pelo seu amor. A rapariga saiu então a correr em direção ao local onde eles se encontravam e, lá chegando, saiu-lhe da boca o nome "Amaro", o pobre lavrador.

A luta terminou, mas a rapariga andava angustiada porque lhe diziam que o fidalgo iria aparecer no dia do casamento, para matar o rival que o derrotara.

Uma vez mais a jovem apelou a Santa Catarina para que a santa a ajudasse a resolver este dilema. Pôs flores no altar da santa, pedindo-lhe que o fidalgo a perdoasse e que lhe desse uma prova desse perdão. Reza a lenda que Santa Catarina lhe sorriu... Certo é que, ao chegar a casa, Mariana encontrou em cima da mesa um bolo luzidio com ovos cozidos em cima, rodeado pelas mesmas flores que ela oferecera no seu altar.

Dirigiu-se então ao noivo, pensando ser um presente dele, e qual não foi o seu espanto quando soube que Amaro tinha recebido o mesmo bolo. Foram juntos a casa do fidalgo, pois julgaram que só ele, sendo tão rico, lhes poderia fazer tal oferenda. Quando o encontraram, porém, também ele vinha risonho ao seu encontro, para agradecer o bolo e as flores que recebera, e que tomara como um presente de Amaro. Assim, ficaram todos em paz pois compreenderam que o pedido de Mariana fora atendido, e que o desejo de Deus era que estivessem todos em união.

Desde então, o folar é oferecido na Páscoa, como símbolo da vontade de Deus e da mensagem de Jesus:

"Amai-vos uns aos outros como eu vos amei."

 

Superar desafios

Sabia que os desafios surgem na nossa vida para nos ajudar  a evoluir? Aquilo que mais nos paralisa é o medo de avançar, de correr riscos, de avançar. Se tivermos coragem para sair da nossa zona de conforto e arriscarmos fazer algo novo, ficaremos sempre a ganhar muito mais:

- Se formos bem sucedidos, conquistaremos um novo objetivo.

- Se não formos bem sucedidos, ganharemos experiência e aprendizagens que nos ajudarão a ser bem sucedidos no futuro.

- Os desafios são uma parte fundamental da nossa vida, pois são eles que nos obrigam a ir mais longe, a superar os nossos próprios limites e que nos ajudam a avançar.

- Qualquer que seja a situação em que se encontra, se for confrontado com um novo desafio que precisa de ultrapassar, reúna toda a força e toda a coragem que existem dentro de si e, de cabeça erguida, avance sem medo.

- Saiba que Deus caminha sempre de mão dada consigo, e nunca o deixará ficar desamparado quando o caminho se tornar mais estreito ou a estrada lhe parecer mais perigosa.

- Reze, com o coração cheio de fé e confiança, a Nossa Senhora Desatadora dos Nós, que ajuda a desatar os nós que nos impedem de avançar, que afasta os bloqueios e os obstáculos na nossa vida.

- Supere desafios na sua vida graças ao poder da fé!

 

Oração a Nossa Senhora Desatadora dos Nós

"Santa Maria Mãe de Deus, Virgem cheia de Graça
que desenlaças os nós com as tuas mãos
cheias de amor de Deus!
Desata, Virgem e Mãe, Santa Admirável,
todos os nós que criei na minha vida,
bem como aqueles que surgem no meu caminho.
Ilumina com os teus olhos todos os nós,
para que se tornem transparentes 
e para que com as tuas mãos 
eu possa desatar o que parece impossível. 
Ámen!
Nossa Senhora que desenlaçais os nós,
Rogai por aqueles que recorrem a Vós.

Estamos na Semana Santa! O significado da Semana da Paixão

Com o Domingo de Ramos começa a Semana Santa, a mais importante celebração Católica, que recorda a Paixão, a Morte e a Ressurreição de Cristo, o momento em que Jesus morreu por todos os homens e ressuscitou ao terceiro dia no mais profundo mistério da Fé.

A Semana Santa, também chamada Semana da Paixão, é o período compreendido entre o Domingo de Ramos e o Domingo de Páscoa, que relembra a paixão com que Jesus Cristo se deixou crucificar para pagar pelos pecados do seu povo. A tradição Católica revive os episódios mais marcantes desta semana fulcral na vida de Jesus.

O Domingo de Ramos

Conta a Bíblia que no Domingo de Ramos, aquele que antecede a Páscoa, Jesus foi a Jerusalém celebrar a Páscoa judaica com os seus discípulos. Entrou em Jerusalém montado num jumento, símbolo da sua humildade, e foi recebido com ramos de palmeiras estendidos no chão à sua passagem, sendo aclamado pelo povo como o Messias, o rei de Israel pelo povo que, dias depois, o condenaria à morte. As celebrações religiosas do Domingo de Ramos são feitas, ainda hoje, com uma procissão no Domingo de Ramos, na qual os fiéis levam nas mãos ramos de oliveira (ou palmeira), como símbolo da sua devoção a Jesus. 

Segunda-feira Santa 

Uma das histórias associadas a este dia (embora não haja consenso quanto à data em que ela ocorreu) relata que, estando Jesus a jantar em casa de Lázaro, seu amigo, e de Marta e Maria, irmãs deste, Maria terá pegado num vaso de nardo, um perfume autêntico, muito caro, e ungiu com ele os pés de Jesus, tendo-os depois enxugado com os seus próprios cabelos. Judas Iscariotes, que também lá se encontrava, desdenhou deste gesto, alegando que o dinheiro desse perfume podia ter sido dado aos pobres. Jesus, então, disse que Maria se antecipara a ungir o seu corpo para a sepultura, e que em qualquer parte do Mundo onde seja proclamado o Evangelho, se recordará para sempre este gesto de Maria. 

Outra das histórias que surgem associadas a este dia conta que, ao ver uma figueira sem frutos, Jesus a terá amaldiçoando, dizendo que ninguém dela se iria alimentar. No dia seguinte, a figueira secara, mostrando-se assim o poder de Jesus sobre a Natureza e a força inquebrável da Fé, que tudo alcança. Do Evangelho de São Marcos:

«No dia seguinte, saindo eles de Betânia, teve fome. Vendo ao longe uma figueira que tinha folhas, foi ver se, porventura, acharia nela alguma coisa. Aproximando-se, nada achou senão folhas; porque ainda não era tempo de figos. Disse-lhe: Nunca jamais coma alguém fruto de ti; e seus discípulos ouviram isto.» (Marcos 11:12-14)

«Ao passarem de manhã, viram que a figueira estava seca até a raiz. Pedro, lembrando-se, disse-lhe: Olha, Mestre, secou-se a figueira, que amaldiçoaste! Tornou-lhes Jesus: Tende fé em Deus. Em verdade vos digo que quem disser a este monte: Levanta-te e lança-te no mar, e não duvidar no seu coração, mas crer que se faz o que ele diz, assim lhe será feito. Por isso vos afirmo: Tudo quanto suplicais e pedis, crede que o tendes recebido, e tê-lo-eis. Quando estiverdes orando, se tendes alguma coisa contra alguém, perdoai-lha; para que também vosso Pai que está nos céus, vos perdoe as vossas ofensas.» (Marcos 11:20-25)


Diz-se que na Terça-feira Santa Jesus anunciou a sua morte, assim como a traição e o traidor. Este é o dia em que são celebradas as Sete Dores de Nossa Senhora:

- A profecia de Simeão sobre Jesus (Lucas 2:34-35);
- A fuga da Sagrada Família para o Egito (Mateus 2:13-21);
- O desaparecimento do Menino Jesus durante três dias (Lucas 2:41-51);
- O encontro de Maria e Jesus a caminho do Calvário (Lucas 23:27-31);
- Maria observando o sofrimento e morte de Jesus na Cruz (Stabat Mater) (João 19:25-27);
- Maria recebe o corpo do filho tirado da Cruz (Mateus 27:55-61);
- Maria observa o corpo do filho a ser depositado no Santo Sepulcro (Lucas 23:55-56).

Este é também o chamado dia da penitência, no qual os fiéis cumprem as suas promessas.


Na Quarta-feira Santa celebra-se, em algumas igrejas, a piedos procissão do encontro de Nosso Senhor dos Passos e Nossa Senhora das Dores. Outras igrejas celebram neste dia o Ofício das Trevas, lembrando que o Mundo já estava em trevas, pois estava a chegar a hora da morte de Jesus. Neste dia é também lembrada a traição de Judas, que se terá dirigido aos chefes dos sacerdotes, oferecendo-se para trair Jesus, recebendo em troca trinta moedas de prata.

Quinta-feira Santa - A última Ceia

Com a Quinta-feira Santa termina o período da Quaresma. Neste dia são abençoados os santos óleos que serão usados no Batismo, Crisma e Unção dos enfermos:

- o Óleo dos Catecúmenos, que são os que se preparam para receber o Batismo, adultos ou crianças, antes do ritual da água. Este óleo significa a libertação do mal, a força de Deus que liberta e prepara para o nascimento pela água e pelo Espírito. É de cor vermelha.

- o Óleo do Crisma – uma mistura de óleo e bálsamo, que representa a plenitude do Espírito Santo, usado no sacramento da Confirmação (Crisma),quando o cristão é confirmado na graça e no dom do Espírito Santo, para viver como adulto na fé. A cor que representa este óleo é o branco ouro.

- o Óleo dos Enfermos – de cor roxa, é usado no sacramento dos enfermos, sendo conhecido como a “extrema unção”. Este óleo significa a força do Espírito de Deus para a provação da doença, para o fortalecimento da pessoa para enfrentar a dor e até a morte, se for a vontade de Deus. 

Este dia é muito importante na Semana Santa, pois está associado à Última Ceia de Cristo, aquela em que Jesus se reuniu pela última vez com os seus doze apóstolos, tendo-lhes humildemente lavado os pés. Durante a cerimónia do lava-pés, que ainda hoje é reproduzida nas igrejas na Quinta-feira Santa, Judas Iscariotes saíu para trair Jesus. A este dia está associado o Mandamento de Jesus:

"Amai-vos uns aos outros como eu vos amei."

Para deixar aos homens um sinal da sua presença Jesus instituiu a Eucaristia, com o ritual do pão e do vinho, descrito na Bíblia:

"Tomando o pão e tendo dado graças, partiu-o e deu aos discípulos, dizendo: Este é o meu corpo que é dado por vós; fazei isto em memória de mim. Depois da ceia tomou do mesmo modo o cálice, dizendo: Este cálice é a nova aliança em meu sangue, que é derramado por vós." (Lucas 22:19-20)
Na noite desta Quinta-feira Jesus foi preso e interrogado. A igreja fica em vigília ao Santíssimo, são retirados os adornos dos altares em sinal de luto e respeito pelo sofrimento que Jesus passou nesta noite. Jesus já sabia o que ia acontecer.

Sexta-Feira Santa

A Sexta-feira Santa, ou Sexta-feira da Paixão, é aquela que recorda a crucificação de Nosso Senhor Jesus Cristo. Após ter sido preso, julgado e açoitado, colocaram-lhe na cabeça uma coroa de espinhos e foi levado a Pilatos. Tendo sido condenado, carregou a sua Cruz até ao monte Calvário. Ao meio-dia foi crucificado, entre dois ladrões. Às 3 horas da tarde, Jesus morreu. O seu corpo foi depois retirado da cruz e colocado num sepulcro cavado na rocha, que pertencia a José de Arimateia.

Neste dia os fiéis praticam o jejum, não comem carne em sinal de penitência e respeito pela morte de Jesus Cristo. Não é celebrada Eucaristia neste dia.


Sábado Santo

Este dia representa a espera dos fiéis que, junto ao sepulcro de Jesus, esperam pela sua Ressurreição. A principal celebração deste dia, também chamado Sábado de Aleluia, é a Vigília Pascal, que começa ao final do dia e só termina na manhã seguinte, que reproduz a esperança dos fiéis na Ressurreição, pois Jesus permanece no sepulcro. Neste dia também não é celebrada Eucaristia, e o único Sacramento permitido neste dia é o da Confissão. No início da Vigília Pascal o celebrante abençoa o fogo novo e acende o Círio Pascal, uma vela grande acesa que representa o esplendor de Cristo ressuscitado, a esperança na Ressurreição que dissipa as trevas do erro e do pecado. Uma vez aceso o Círio Pascal, são nele inscritos os algarismos do ano em que estamos, depois cravam-se cinco grãos de incenso que lembram as cinco chagas de Jesus, e as letras alfa e ómega, primeira e última letra do alfabeto grego, simbolizando o princípio e o fim de todas as coisas. 

 

 

 

A madrinha/ o padrinho de cada signo

 

De acordo com as caraterísticas do seu signo, conheça as caraterísticas de cada madrinha ou de cada padrinho!

Padrinhos do signo Carneiro

Prático, direto e sem grande paciência para os pormenores, o padrinho e a madrinha de Carneiro tratam das coisas principais e seguem a tradição, sem grandes floreados. São extremamente eficazes a coordenar as situações, não se atrapalham se há contratempos de última hora e lideram as operações. São muito orgulhosos dos seus afilhados, gostam que sejam os mais bonitos e distintos no batizado, na Primeira Comunhão ou no casamento. No dia-a-dia, os padrinhos do signo Carneiro gostam de levar os seus afilhados a sítios novos e de partilhar bons momentos com eles.

Padrinhos do signo Touro

Seguem a tradição à risca pois levam muito a sério a responsabilidade de ser padrinhos. Gostam que os seus afilhados se sintam mimados e protegidos por eles, dedicam especial atenção aos doces e nunca se esquecem do folar, dos ovos de Páscoa, de amêndoas especiais. Em cerimónias como o batizado, a Primeira Comunhão ou o casamento gostam de cuidar de todos os pormenores e escolher cuidadosamente a roupa dos seus afilhados, mas podem ser teimosos pois gostam que tudo seja feito à sua maneira. 

Padrinhos do signo Gémeos

Distraídos e geralmente desligados das tradições, os padrinhos do signo Gémeos nunca sabem muito bem o que têm de fazer e esquecem-se facilmente dos preceitos como oferecer o folar ou comprar a roupa dos afilhados. Têm, no entanto, um carinho especial por eles, e compensam a sua falta de cumprimento das regras com visitas divertidas e planos inesperados, gostam de levar os afilhados para passearem com eles, gostam de ser os primeiros a mostrar-lhes certos livros, filmes, exposições, etc.

Padrinhos do signo Caranguejo

Particularmente dedicados à proteção daqueles que amam, os padrinhos do signo Caranguejo encaram com grande carinho a missão que lhes foi incumbida e são muito dedicados aos seus afilhados. Levam-lhes sempre um presentinho, visitam-nos com muita regularidade, gostam de os convidar para fazerem programas com eles. Nos momentos especiais vivem com grande emoção todos os pormenores do Batismo, da Primeira Comunhão e especialmente do casamento. Eles são sempre aqueles que têm um saquinho de lenços de papel à mão...

Padrinhos do signo Leão

Carinhosos, protetores, generosos e muito expansivos, os padrinhos do signo Leão são extremamente orgulhosos dos seus afilhados, mas também exigem que eles sejam apenas e só "os melhores" em tudo! No Batizado, procuram que a sua roupa seja a mais bonita que já se viu nessa Igreja, na Primeira Comunhão, que eles sejam os mais aprumados e distintos e no casamento, bom, no casamento o padrinho ou a madrinha de signo Leão fazem mesmo TUDO para que este seja o casamento mais falado de sempre! Oferecem presentes generosos aos seu afilhados e gostam de manter uma relação presente com eles no seu dia-a-dia, mas podem ser por vezes demasiado exigentes.

Padrinhos do signo Virgem

Reservados e discretos, os padrinhos do signo Virgem levam as suas responsabilidades muito a sério. Dão extrema importância às tradições e são aqueles que se lembram dos mais ínfimos pormenores nas cerimónias. Não apreciam o espalhafato e podem ser muito modestos para afilhados mais voltados para as luzes da ribalta, mas nunca deixam que lhes falte nada. Cumprem à risca todos os preceitos e tradições, o que inclui um contacto regular com os seus afilhados, a quem gostam de oferecer pequenas lembranças e em cujas vidas gostam de estar sempre presentes, prontos para os ajudarem em qualquer situação.

Padrinhos do signo Balança

Vaidosos, elegantes e graciosos, os padrinhos do signo Balança têm muito orgulho nos seus afilhados e escolhem a preceito as roupas para o Batizado, a Primeira Comunhão ou o Casamento, deixando verdadeiramente impressionadas as outras pessoas, pois conseguem fazer dos seus afilhados autênticas estrelas de cinema. Perdem-se um pouco nas tradições, pois são distraídos, mas compensam esta sua distração tendo uma presença regular, mimos constantes, pequenos presentes e visitas atenciosas, sendo muito atentos àquilo de que os afilhados mais gostam.

Padrinhos do signo Escorpião

Embora sejam essencialmente práticos e não gostem de perder tempo (nem de gastar dinheiro!) com as roupas e os aparatos que as cerimónias religiosas envolvem, podendo facilmente esquecer-se de comprar um folar ou nem aparecerem no dia da Primeira Comunhão, os padrinhos do signo Escorpião, se tiverem uma ligação próxima com os afilhados, são verdadeiros "segundos pais", levando muito a sério este papel. Se, pelo contrário, não forem muito ligados aos pais do afilhado podem ser desligados e até um pouco negligentes, pois não gostam de "aparecer porque tem de ser".

Padrinhos do signo Sagitário

Embora sejam independentes e pouco convencionais, os padrinhos do signo Sagitário ficam absolutamente babados quando são escolhidos para serem padrinhos. Isso não quer dizer, contudo, que se lembrem dos preceitos que é suposto seguirem, pois têm dificuldade em cumprir com as tradições e não têm a mínima paciência para escolher roupas e adereços para o Batizado, a Primeira Comunhão... No caso do casamento, podem ser aqueles que "levam os afilhados a despedir-se em beleza" da vida de solteiros. Uma coisa é certa, o padrinho e a madrinha do signo Sagitário são grandes amigos dos seus afilhados, e estes podem sempre contar com o seu apoio e compreensão em tudo aquilo de que precisem.

Padrinhos do signo Capricórnio

Zeloso e cuidadoso com as suas responsabilidades, o padrinho ou a madrinha do signo Capricórnio levam a rigor todos os preceitos e regras, nunca se esquecem de uma data e surpreendem sempre pelos seus generosos presentes. Não se importam de abrir os cordões à bolsa e escolher a melhor roupa para o Batizado ou para o casamento, embora não sejam dados ao espalhafato e possam ser pouco flexíveis. No dia-a-dia nem sempre são muito presentes, mas asseguram-se sempre que os seus afilhados saibam que "quando precisares, eu estou aqui".

Padrinhos do signo Aquário

A não ser que o nativo do signo Aquário seja dedicado à vida espiritual, é pouco provável que o padrinho ou a madrinha do signo Aquário cumpram com algum dos preceitos que é esperado deles. Geralmente estes nativos são espíritos livres e não gostam de seguir as convenções, mas se tiverem uma ligação afetiva aos afilhados serão sem dúvida grandes amigos deles. A sua maior preocupação, se forem devotos, será que os afilhados compreendam a vertente espiritual e o verdadeiro significado do Batismo, da Primeira Comunhão, do Casamento, para além da festa e do aparato...

Padrinhos do signo Peixes

São dedicados e carinhosos, mas também muito distraídos, o que faz com que os nativos do signo Peixes facilmente se esqueçam daquilo que devem fazer, das tradições que devem seguir, do que é esperado que sejam eles a comprar. Atrapalham-se com as responsabilidades e podem ter dificuldade em dar assistência aos afilhados nos preparativos do casamento, por exemplo, mas são bons amigos e procurarão estabelecer com eles uma relação de grande amizade e cumplicidade.

5 coisas para fazer na Primavera

 

É oficial: chegou a Primavera! O que há de melhor do que a promessa do renascimento? Esta é a estação em que o tempo aquece e os dias se alongam, trazendo esperança e calor ao nosso coração. Para trás ficam as vicissitudes do Inverno, agora é tempo de celebrar. Assim como a Natureza floresce e se renova, deixe também que a sua energia pessoal resplandeça à luz do dia!

Os povos mais antigos, no início dos tempos da Humanidade veneravam com especial adoração o Equinócio da Primavera. Se imaginarmos uma vida sem luz elétrica, sem automóveis, aquecimento artificial, telemóveis, e até sem as roupas especificamente elaboradas para cada estação que hoje utilizamos, torna-se muito fácil compreender por que razão o Equinócio da Primavera era recebido com tamanha alegria. Voltar a ter dias mais longos e tempo mais quente é, ainda hoje, uma inspiração que nos anima os dias.

O Equinócio da Primavera no Hemisfério Norte coincide sempre com o Equinócio de Outono no Hemisfério Sul. Enquanto uma parte do globo celebra o renascimento e planta sementes para o futuro, a outra reflete sobre o que passou e colhe aquilo que plantou: assim são os ritmos da vida. 

Chamam-se "equinócios" porque são dias de equilíbrio, nos quais o dia e a noite têm precisamente a mesma duração. A partir do Equinócio da Primavera os dias são cada vez maiores do que as noites, crescendo sempre até ao Solstício de Verão. 

 

Na Magia e no Esoterismo os Equinócios são datas especialmente poderosas, pois a Natureza, que nos envolve, encontra-se nos seus picos máximos de viragem energética.

Assim, o Equinócio da Primavera é, por excelência, o período dos novos começos. O triunfo da luz, da vida. Neste período devemos plantar novas sementes, em sentido literal e figurado, daquilo que gostávamos de ver crescer no nosso jardim (exterior e interior, material e metafórico).

Este período está associado a novidades, aventuras, fé, esperança. Pode trazer viagens (o tempo melhora bastante), uma gravidez, um relacionamento. É tempo de acreditar nos sonhos, de lançar projetos, de projetos ideias mas, mais do que perder muito tempo a fazer planos, é tempo de nos deixarmos ir, de aproveitarmos as oportunidades à medida que elas surgem, de seguir os ritmos que a vida nos traz. 

As civilizações pagãs celebravam esta época como a festa da fertilidade, na qual o deus e a deusa se uniam para trazer aos homens a promessa de boas sementeiras, o nascimento do gado, a abundância de comida para todos. (A tradição dos ovos da Páscoa surge precisamente associada a esta ideia de fertilidade).

O Catolicismo usou esta ideia de renovação e fez coincidir a sua Páscoa com a celebração da Primavera. É por esse motivo que a Páscoa - a festa cristã da Ressurreição - coincide sempre com o primeiro Domingo após a primeira Lua Cheia depois do Equinócio da Primavera.

Há muito potencial à nossa espera se nos permitirmos ter esperança e fé no futuro. Não desanime, a Primavera está aí!

Aproveite em pleno a energia do Equinócio da Primavera, e siga estes 5 desafios simples que vão trazer mais cor à sua vida:

1 - Faça um piquenique e convide pessoas de quem gosta muito, alegres, com espírito positivo, que trazem boas energias ao seu coração! Procure passar mais tempo ao ar livre.

2 - Corra com um papagaio de papel. Se tem filhos, leve-os consigo. Se não tem, faça-o com o seu par, com amigos, ou até sozinho. Só precisa de um papagaio de papel, daqueles que as crianças usa(va)m, ir até ao campo, à praia, ou a um parque com espaços abertos e... correr! Vai fazê-lo revigorar o corpo e a mente!

3 - Faça um jantar romântico. Se está só, convide alguém especial para jantar. Se tem par, faça um jantar a dois, sem filhos, sem telemóveis, sem interrupções. Coloque um arranjo de flores frescas no centro da mesa (veja lá se o seu par não sofre de alergias...), escolha motivos florais para a decoração, sirva ovos cozidos (símbolo da fertilidade) e frutos da época, uma comida ligeira mas que seja apetecível só de ver, com muitos legumes e com um prato bastante colorido.

4 - Ofereça um cristal a um amigo. Os cristais têm uma energia positiva muito poderosa. Escolha um cristal da sua preferência - o cristal Citrino é especialmente indicado para esta época do ano - e ofereça-o como presente a um amigo, para que ele o use como amuleto nesta Primavera!

5 - Faça um passeio com as amigas. Convide as suas amigas para uma noite "diferente". Em vez de saírem, reúnam-se numa casa, ou num local sossegado, de preferência perto do mar, do campo, ou num sítio mais recatado, e partilhem histórias, oiçam música, falem sobre vós...

12 Banhos poderosos

 

Desde as épocas mais remotas que os banhos são considerados veículos de purificação do corpo e da mente. Trabalham as energias negativas como o cansaço, o stress, a irritação, etc. Os banhos místicos têm o poder de relaxar, acalmar, livrar das más energias, etc..

O sal, as plantas, as essências e as ervas são ingredientes que fazem parte dos banhos místicos. As plantas libertam substâncias que durante o banho entram pelos poros e atuam no organismo. A energia das plantas medicinais e aromáticas atua no campo áurico, trazendo grandes benefícios ao corpo físico e ao equilíbrio espiritual. As essências perfumadas e óleos essenciais obtidos a partir de flores, folhas e cascas têm propriedades terapêuticas que relaxam e afastam energias negativas.

Como tomar um Banho de limpeza e proteção?

Antes de tomar um banho de limpeza ou um banho de descarga para se livrar de pensamentos negativos e de más energias, deve primeiro tomar um banho normal com água e sabão e, de preferência, lavar a cabeça com champô, mesmo que o banho de descarga não passe pela cabeça.

Deve acender uma vela branca ao lado de um copo de água, antes de tomar o seu banho de limpeza, oferecendo-a ao seu Anjo da Guarda, pedindo-lhe proteção.

Depois de tomar o banho normal, sem secar o corpo, derrame do pescoço para baixo o banho de limpeza ou de descarga, aos poucos (salvo quando indicado que deve deitar da cabeça para baixo). Despeje-o sobre o corpo de forma a que passe lentamente pela maior área possível, mentalizando sempre os seus pedidos e a limpeza espiritual. O banho nunca deve estar muito quente, e muito menos frio!

 

Experimente fazer em casa estes 12 Banhos especialmente poderosos:

1 - Banho para abrir caminhos durante o Quarto Crescente da Lua:

Ingredientes:

- 7 pétalas de rosa branca

- 7 paus de canela 

- 7 moedas de qualquer valor

- 7 gotas de essência de alfazema

- 7 folhas de manjericão

Preparação:

Ferva 3 litros de água e, depois, junte todos os ingredientes, apague o lume e deixe repousar durante 3 horas, com a panela tapada.

Antes de tomar o seu duche, volte a aquecer ligeiramente a mistura, para que fique morna.

Tome um duche como faz habitualmente e, no final, despeje devagar a água sobre si, do pescoço para baixo.

Enquanto o faz, veja-se feliz, próspera, com aquilo que deseja alcançar, numa vida calma e serena.

Depois de tomar o seu duche, recolha todos os restos e as moedas que ficaram no duche e enterre tudo num jardim.

 

2 - Banho para realizar desejos (durante a Lua Cheia):

Ingredientes:

· 7 pequenos galhos de alecrim

· 7 pequenos galhos de manjericão

· 7 cravinhos da índia

· 1 pequeno pau de canela

· Pétalas de 1 cravo branco (ou de outra flor branca)

Preparação:

Ferva 3 litros de água e desligue o lume quando começar a ferver.

Coloque todos os ingredientes na panela e tape a infusão com um pano branco.

Deixe repousar durante pelo menos 30 minutos.

Coe a infusão e despeje sobre o seu corpo, do pescoço para baixo.

Ao despejar a infusão, faça os seus desejos com confiança e fé e visualize a sua felicidade.

 

3 - Banho para atrair a prosperidade

Ingredientes:

- arruda seca

- guaraná em pó

- 7 paus de canela

- mel

Preparação:

Aqueça um litro de água e, quando levantar fervura, deite-lhe um punhado de arruda seca. Apague o lume, tape o chá e deixe ficar em infusão durante 5 minutos.

Destape o recipiente e misture a canela, o guaraná e o mel. Deixe arrefecer até ficar morno.

Tome um banho (duche) como faz habitualmente e, no final, verta este preparado do pescoço para baixo.

MUITO IMPORTANTE: NÃO PODE INGERIR. A ARRUDA É EXTREMAMENTE VENENOSA.

 

4 - Banho de limpeza espiritual

Deite 3 punhados de sal marinho num litro de água. Passadas 4 horas, junte um punhado de alecrim ou de folhas de eucalipto e leve ao lume até levantar fervura. Apague e deixe repousar por 15 minutos. Passado esse tempo coe, tome um duche e derrame esta mistura, já coada, do pescoço para baixo.

NOTA IMPORTANTE: Deve sempre misturar ervas ao banho de sal pois o sal afasta tanto as energias negativas como as positivas. É por esse motivo que as ervas são usadas nos banhos de limpeza e proteção: para restabelecer as boas energias. 

 

5 - Banho para afastar pessoas invejosas

Ingredientes:

- 3 ramos de alecrim

- um punhado de rosmaninho

- um dente de alho

- uma pedra de cânfora

Preparação:

Depois de colocar um litro de água ao lume e deixar ferver, junte todos os ingredientes e apague o lume. Quando estiver morno, coe para outro recipiente e derrame sobre o seu corpo, do pescoço para baixo, depois do banho. Peça ajuda a São Miguel Arcanjo, enquanto o faz, pedindo-lhe que afaste do seu caminho as pessoas que o tentam prejudicar.

 

6 - Banho de ervas para ganhar novas energias

Prepare um banho juntando um punhado de alecrim, outro de alfazema e outro de arruda num litro de água. Deixe arrefecer e derrame do pescoço para baixo, depois do banho.

 

7 - Banho especial de atração

Ponha 2 litros de água ao lume e quando levantar fervura desfolhe para dentro da água as pétalas de 6 rosas brancas e 4 girassóis. Junte 20 gotas de essência de canela (ou 2 paus). Apague o lume e deixe repousar durante meia hora. Tome um duche e derrame esta mistura do pescoço para baixo, incluindo as pétalas. Seque-se com cuidado, com uma toalha branca. Recolha todas as pétalas e deixe-as num jardim.

 

8 - Banho para esquecer alguém

Tome, durante 9 dias seguidos, um banho feito com água onde cozeu arroz (1 chávena de arroz para 1 litro de água). Coe esta água e derrame-a do pescoço para baixo depois do duche. Ao décimo dia, cozinhe 1 chávena de arroz em água de flor de laranjeira (faça primeiro um litro de chá de flor de laranjeira, coza depois o arroz nesta água). Tome este banho sem coar, deixando que o arroz escorra pelo seu corpo. Peça, então, aos Anjos que o ajudem a libertar-se das lembranças que deseja tanto esquecer. 

 

9 - Banho para afastar a negatividade e atrair a riqueza

Coloque um punhado de erva-cidreira seca com meia pedra de cânfora e um pouco de canela em pó num litro de água a ferver, deixe repousar. Depois tome o banho do pescoço para baixo.

 

10 - Banho para atrair dinheiro

Junte 7 folhas de louro e um punhado de barbas-de-milho em 3 litros de água a ferver. Acrescente canela em pó. Apague o lume e, quando ficar morno, derrame este banho do pescoço para baixo. Durante uma semana, ande sempre com uma moeda de 1 euro no seu bolso (sempre a mesma moeda). Ao fim desse tempo, guarde essa moeda num lugar escondido de sua casa (nunca a gaste).

 

11 - Banho para atrair a energia positiva

Junte as pétalas de um girassol, um punhado erva-doce e uma pastilha de cânfora e sândalos em 3 litros de água fervida. Depois de coar, tome o banho da cabeça aos pés, tendo antes tomado um banho normal.

 

12 - Banho para atrair a prosperidade

Junte 3 folhas de Espada-de-São Jorge, 3 folhas de erva-de-Santa Bárbara, e 3 ramos de alecrim a dois litros de água. Ferva tudo e, depois da água fervida e retirada do lume, deixe em infusão durante uma hora. Depois, coe tudo, aqueça ligeiramente e tome este banho do pescoço para baixo.

Pág. 1/4