Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Astrologia

A semana das grandes mudanças - o início de uma nova era

 

Esta semana há grandes mudanças nos Céus: ao longo dos próximos dias teremos eventos planetários com um forte significado e impacto nas próximas décadas. Segundo algumas teorias, este será o momento do início da chamada Era de Aquário, que traz uma mudança na maneira de pensar e em todos os sistemas que regem a nossa vida. 

Há uma célebre frase que diz "assim em cima como em baixo": tudo o que acontece no Cosmos reflete-se cá em baixo, na Terra. A Astrologia estuda os movimentos planetários e o impacto que eles têm nas nossas vidas. E  esta semana tem alguns dos mais marcantes acontecimentos a nível planetário que, por conseguinte, dão continuidade a um caminho de profundas mudanças que 2020 já iniciou.

A semana começou com o eclipse total do Sol e a Lua Nova em Sagitário, que trouxe um novo fôlego e abriu caminho às mudanças que se seguem.

Logo no dia 17 de Dezembro Saturno deixa Capricórnio, o signo do qual é regente, onde esteve desde 2017. Saturno em Capricórnio mexeu profundamente com as questões ligadas à economia, ao poder. Houve sérias mudanças na forma como a sociedade é gerida e, a nível individual, foram apresentadas duras provas à estabilidade e à segurança, principalmente a nível material. Saturno é chamado o senhor do Carma e da responsabilidade, porque é o planeta que nos apresenta aquilo que temos de superar para que possamos aprender, crescer, evoluir. Em Capricórnio a energia de Saturno foi intensificada, porque é o planeta regente deste signo, tornando-se ainda mais pesada e austera. Assim, a entrada de Saturno em Aquário, no dia 17, marca o início de uma profunda viragem energética. Em 2020, Saturno já havia estado em Aquário entre Março e Julho mas, como voltou a estar retrógrado, retornou ainda a Capricórnio, de onde sai agora definitivamente. Os temas com que lidou nesse período podem agora voltar a ser postos em destaque - de facto, este período marcou o início do confinamento em muitos países que estão, agora, novamente a reforçá-lo.

Saturno em Aquário traz desenvolvimentos nas áreas que são mais caras a este signo: as novas tecnologias, o espírito de grupo, a força coletiva. As questões relacionadas com a liberdade individual estão também em destaque, assim como os movimentos de contestação, a luta pela defesa de direitos e maior voz a minorias, entre outros. Embora a energia de Aquário seja, à partida, bastante diferente da energia de Saturno, a verdade é que, depois de Úrano, Saturno é o segundo regente de Aquário e, como tal, quando se encontra neste signo, Saturno encontra terreno fértil para plantar e muito que pode desenvolver.

A um nível individual, Saturno em Aquário traz solidez e segurança em nós próprios e nas nossas convicções, ajudando-nos a definir melhor os nossos limites e a solidificar a nossa identidade.

Saturno em Aquário ensina-nos, também, a deixar para trás os padrões antigos que nos limitam. É tempo de experimentar fazer de outra maneira, de tentar novas abordagens. Até Março de 2023, quando Saturno deixa Aquário, temos muito para aprender.

 

Dois dias depois da entrada de Saturno em Aquário é Júpiter que lhe segue os passos, entrando também neste signo, no dia 19 de Dezembro.

Júpiter passa aproximadamente um ano em cada signo (pois tem um movimento mais rápido do que Saturno) e esteve em Capricórnio desde o final de 2019. Este é o planeta da expansão e, no signo da lentidão e das provas, a sua ação não foi fácil nem pacífica. Ao longo de 2021 Júpiter transitará entre Aquário e Peixes, regressando a Aquário quando ficar retrógrado. Os temas em destaque são, uma vez mais, a ajuda humanitária, o pensamento para além do material, o conhecimento intuitivo, a transcendência, a espiritualidade. Júpiter é considerado o planeta da sorte e das oportunidades. Ele ajudará, através da força da fé e da esperança, a encontrar novas soluções e respostas diferentes para resolver problemas antigos.

Assim, Júpiter em Aquário (e mesmo em Peixes) reforça a ideia de que é preciso fazer as coisas de maneira diferente, deixando para trás as perspetivas materialistas em que assentámos antes a nossa segurança. A ênfase é agora colocada no valor humano, nas pessoas, na capacidade de agir em união com outros e de, através da cooperação e da cedência mútua, chegar a bom porto.

No dia 21 teremos o Solstício de Inverno no Hemisfério Norte, a noite mais longa do ano, um dos quatro dias-chave em que há uma mudança de energia (os outros três eventos-chave são o Solstício de Verão e os Equinócios de Primavera e de Outono, que marcam o início das estações). A partir daqui os dias vão voltando a ser maiores, ganhando tempo à noite, o que representa o retorno da luz. Para os povos antigos, o Solstício de Inverno simbolizava o "regresso do deus sol invencível", a promessa de que voltava o fulgor solar mesmo depois das trevas e das sombras da noite. Este ano o Solstício de Inverno tem um impacto ainda maior, já que coincide com o encontro de Júpiter e Saturno, que estarão juntos no primeiro grau de Aquário, formando aquela que é chamada A Grande Conjunção.

Saiba mais sobre o significado da Grande Conjunção - clique aqui

Este é um acontecimento considerado muito importante e, segundo algumas teorias, ele marca o início da Era de Aquário.

Cada era astrológica tem uma duração de cerca de 2.149 anos e define o padrão de pensamento dominante nos Homens que vivem nessa era. Não há consenso em relação à data de início da era de Aquário, havendo quem defenda que ela já começou ou que só iniciará daqui a 150 anos, mas muitas teorias apontam para a entrada conjunta de Júpiter e Saturno em Aquário como uma importante data de mudança de paradigma mental - que é, na verdade, aquilo de que uma era astrológica trata.

Acredita-se que, sendo Aquário o signo ligado à mudança e à inovação, a era de Aquário trará grandes avanços e progresso a muitos níveis, desenvolvendo principalmente o espírito humanitário e de grupo (não deixa de ser interessante o facto de que só através da imunidade de grupo a Humanidade conseguirá vencer a pandemia com que agora se debate). 

As mudanças que são assinaladas pelos acontecimentos desta semana não se fazem sentir de um momento para o outro. As datas em que os eventos ocorrem expressam uma energia mais intensa e podem deixar mais inquietas as pessoas que são mais sensíveis às energias envolventes mas, no entanto, só ao longo do tempo iremos dando conta das mudanças e do impacto trazido por estes planetas. Quando, à beira de um lago de águas lisas, atira uma pedra, vão-se desenhando círculos à volta do sítio onde a pedra caiu. O mesmo acontece com os eventos astrológicos: a sua ação propaga-se, de forma lenta mas muito consistente, e vai-se manifestando ao longo do tempo, em acontecimentos que surgem encadeados noutros que lhes deram origem.

Abra, pois, o coração e os braços à mudança na sua vida, esteja atento aos sinais e aceite o que o Universo tem para lhe oferecer, mesmo que o leve por caminhos que jamais julgou vir a seguir.

Como estão os astros em Dezembro?

 

2020, o ano que nos apresentou os maiores desafios das últimas décadas, está prestes a terminar. Este mês traz acontecimentos astrológicos de grande impacto, e o mesmo acontecerá em Janeiro de 2021. Saiba quais são as tendências planetárias para a viragem deste ano fatídico.

Dezembro começa sob a influência do eclipse lunar e da Lua Cheia em Gémeos, a 30 de Novembro, cuja energia de libertação pode trazer ao de cima situações que precisam de ser resolvidas ou um esclarecimento súbito em relação a determinados assuntos, que pode fazer com que o rumo dos acontecimentos se altere. Com o Sol a trasitar por Sagitário até dia 21 a tendência é para querer agir, para avançar, para pôr em prática, motivados por uma clareza mental que a Lua Cheia em Gémeos pode ter trazido. Mercúrio, o planeta que rege as ideias e a comunicação (e que é o regente de Gémeos), entra em Sagitário logo a 1 de Dezembro, acentuando esta energia voltada para a expressão, a ação, o progresso. Sagitário é um dos signos mais dinâmicos do Zodíaco, detesta estar parado e não gosta de sentir-se limitado por convenções nem por ideias impostas por outros.

A meio do mês, no dia 14, a energia de Sagitário volta a ser enfatizada porque temos um novo eclipse, desta vez do Sol, que coincide com a Lua Nova neste signo. Esta é outra data que pode trazer informações bastante importantes e despoletar acontecimentos que irão alterar o rumo que as situações estão a tomar. 

No dia 15, também Vénus entra em Sagitário e, até ao dia 21, um dos dias mais importantes do ano a nível energético porque é o Solstício de Inverno, a noite mais longa do ano, teremos, durante cerca de uma semana, uma forte incidência da energia de Sagitário a orientar as nossas ações e a motivar-nos a agir, a avançar, a resolver. Essa semana é marcada por duas importantes mudanças planetárias: Saturno, a 16, e Júpiter, a 19, entram em Aquário, o que nos aproxima de um dos acontecimentos cósmicos mais importantes dos últimos anos. A energia de Aquário vem, assim, juntar-se à de Sagitário, trazendo um poderoso impulso dinâmico que nos ajuda a sair, finalmente, da pesada energia que o domínio de Capricórnio em 2020 nos trouxe.

A chamada Grande Conjunção é um evento raro que sucede a cada vinte anos, aproximadamente. Esta é a conjunção entre Júpiter e Saturno, que se encontram no dia 21 de Dezembro, o dia do Solstício de Inverno, estando ambos no grau 0 do signo Aquário.

Júpiter e Saturno são dois planetas de trânsito lento, que descrevem órbitas grandes e que têm um forte impacto a nível social. Júpiter está associado à expansão, aos avanços, Saturno impõe restrições, relaciona-se com as tradições e cria, muitas vezes, entraves que provocam atrasos. Haverá, assim, um choque de energias divergentes, num ano que já nos trouxe inúmeros acontecimentos astrológicos de grande impacto. A Grande Conjunção de Júpiter e Saturno ocorre em Aquário, o signo da contestação, do progresso, da liberdade e da revolução, o que inaugura uma nova era a nível mental, com uma profunda mudança de pensamento, que irá refletir-se na vida prática e a todos os níveis. Para muitos astrólogos esta Grande Conjunção marca o início da tão falada Era de Aquário. Nunca é demais esclarecer que qualquer acontecimento astrológico, até uma mudança de fase lunar, não tem impacto apenas no dia em que ocorre nem causa uma mudança súbita (embora possa precipitar acontecimentos que despoletam mudanças abruptas). Todos os acontecimentos astrológicos, principalmente aqueles que ocorrem com menos frequência, operam transformações profundas, que começam por manifestar-se de forma muito subtil e que se prolongam durante meses, operando essas mesmas transformações de forma muito completa. Só quando, passado muito tempo, olhamos para trás, compreendemos o quanto mudou.

Um dos aspetos mais significativos desta Grande Conjunção é o facto de ela ocorrer num signo de Ar, ao contrário de outros aspetos planetários significativos que, nos últimos tempos, têm acontecido em signos de Terra. A energia do Elemento Ar abre outras dimensões - as questões relacionadas com o poder, o dinheiro, as bases em que a vida assenta, mudam, tornando-se menos concretas e mais voltadas para as questões humanitárias, encaradas de uma perspetiva mais global, menos "terra-a-terra".

Aquário é regido por Úrano e é um signo que se relaciona com as tecnologias, com as novas abordagens, com o espírito humanitário e, também, revolucionário. Face à pandemia que veio revolucionar toda a nossa vida temos assistido a inúmeras manifestações e revoltas - e esta energia de Aquário será cada vez mais evidente nos próximos tempos. O mesmo acontece com o trabalho, sendo que o mundo digital ganhou um peso ainda maior em virtude da necessidade de haver menos contacto físico entre as pessoas. A energia de Aquário é bastante positiva na medida em que centra a atenção na comunidade. Este é o signo do altruísmo e do idealismo, aquele que mais se preocupa com a entreajuda, com as classes mais desfavorecidas, com a igualdade. E, sob esta energia, será cada vez mais crescente a preocupação da sociedade com estes assuntos, a união como forma de encontrar uma nova força, a cooperação, mesmo que ela nem sempre seja pacífica.

Uma vez que Mercúrio entra em Capricórnio no dia 20 e que a 21 também o Sol passa a estar neste signo, a última semana do ano será mais calma a nível energético, havendo um abrandamento das situações e da evolução dos acontecimentos. É tempo de fazer uma avaliação mais ponderada de tudo o que conseguimos fazer ao longo deste ano tão desafiante e é, sobretudo, tempo de definir metas concretas para o futuro. A energia com que 2021 se aproxima promete maior expansão e incentiva-nos a ir mais longe, desafiando o que precisa de ser mudado na vida de cada um de nós.

2020 despede-se sob a influência de uma calorosa Lua Cheia em Caranguejo, a 29, que chamará a atenção para tudo aquilo que aquece os nossos corações, enfatizando o que precisamos de saber oferecer a nós mesmos, aquilo com que precisamos de nutrir-nos, o que podemos e devemos dar aos outros.