Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Astrologia

O Natal nas várias religiões

 

O Natal é um feriado e festival religioso cristão originalmente destinado a celebrar o nascimento anual do Deus Sol no solstício de inverno e adaptado pela Igreja Católica, no terceiro século d.C., pelo imperador Constantino para comemorar o nascimento de Jesus de Nazaré.

Dezembro é o mês da maior festa cristã do mundo. No dia 25 de dezembro, as pessoas em todos os cantos decoram as suas casas e celebram o aniversário de nascimento de Jesus Cristo, sem esquecer a espera pela visita do Pai Natal. Apesar de a data ser mundialmente conhecida e divulgada, há muitas pessoas que passam o período de maneira diferente.

Porém, nem todas as culturas absorveram a tradição de celebrar o dia 25 de dezembro, seja como uma homenagem ao nascimento de Jesus, ou, pela adoração da passagem do sol ao redor da Terra.

"Natal" é o nome da festa religiosa cristã que celebra o nascimento de Jesus Cristo, a figura central do Cristianismo. O dia de Natal, 25 de dezembro, foi estipulado pela Igreja Católica no ano de 350 através do Papa Julio I, sendo mais tarde oficializado como feriado.

A Bíblia não diz nada sobre o dia exato em que Jesus nasceu e por isso a comemoração do Natal não fazia parte das tradições cristãs no início. O Natal começou a ser celebrado para substituir a festa pagã da Saturnália, que por tradição acontecia entre 17 e 25 de dezembro. A comemoração do Natal em substituição dessa celebração foi uma tentativa de facilitar a aceitação do cristianismo entre os pagãos.

 

Católicos

Como tradição, os católicos costumam comemorar a data em família, em alusão à Sagrada Família, formada por Maria, José e o Menino Jesus. Tal importância tem esse aspeto para os católicos, que as pessoas costumam reunir-se num único lugar. Quem mora noutras cidades ou países, costuma viajar para comemorar a data com os familiares. Antes da tradicional ceia e da troca de presentes, entretanto, os católicos costumam ir à igreja para a comemoração religiosa, que começa na véspera e se estende até o dia 25 de dezembro. A Missa do Galo, realizada na véspera, é a principal.

Existe a tradição da troca de presentes traduzida na chegada do Pai Natal e as mesas são fartas em iguarias como Peru, bacalhau, cabrito, rabanadas, filhós, sonhos, arroz doce, bolo rei etc…

 

Evangélicos

O Natal é uma das principais comemorações do cristianismo e, assim como os católicos, os protestantes celebram o nascimento de Cristo. Os cultos são mais simples, realizados como de costume. O diferencial, entretanto, está no acréscimo de músicas e apresentações que traduzem a importância da data

 

Judaísmo

Os judeus não comemoram o Natal e o Ano Novo na mesma época que a grande maioria dos povos mas, para eles, o mês de Dezembro também é de festa. Apesar de acreditarem que Jesus existiu, os judeus não mantêm uma relação de divindade com ele.

Na noite do mesmo dia 24 de dezembro os judeus comemoram o Hanukah, que do hebraico significa festa das luzes. Esta data marca a vitória do povo judeus sobre os gregos conquistada, há dois mil anos, numa batalha pela liberdade de poder seguir sua religião.

As lojas que vendem enfeites de Natal também vendem o menorah (candelabro de 8 velas considerado o símbolo da festividade judaica). "Para cada um dos 8 dias acendemos uma vela até que o candelabro todo esteja aceso no último dia de festa.

O peru e bacalhau típicos do Natal católico são substituídos por panquecas de batata e bolinhos fritos em azeite. E em vez de desembrulharem presentes à meia-noite, as crianças recebem habitualmente dinheiro.

 

Budismo

Não há envolvimento do budista com a característica particular da comemoração do Natal do mundo ocidental, ou seja, da comemoração do nascimento de Jesus Cristo. Mas, os budistas admiraram as qualidades daqueles que lutam pela humanidade e, por isso, respeitam a tradição já estabelecida, respeitando a figura de Jesus Cristo, que para eles é considerado um “Bodhisattva” – um santo ou aquele que ama a humanidade a ponto de se sacrificar por ela. Para os budistas ocidentais, o dia 25 de Dezembro tem um cunho não cristão, mas sim, espiritual.

 

Protestantismo

Embora seja uma religião cristã, é subdividida em diversas “visões” da Bíblia. Algumas comemoram o Natal como os católicos, outros procuram na Bíblia e no histórico religioso, cuja data de nascimento de Cristo é discutida, um fundamento para não comemorar a data tal como é comemorada no catolicismo. É o caso das testemunhas de Jeová, por exemplo. Já a Assembleia de Deus e a Presbiteriana comemoram o Natal com o simbolismo da presença de Cristo entre os homens, onde a finalidade é levar a uma instância reflexiva a respeito de Cristo. Festejar condignamente o Natal é uma bênção e inspiração para todos quantos nasceram do Espírito ao tornarem-se filhos de Deus pela fé em Cristo, para os evangélicos.

 

Taoísmo

O taoísmo, religião maioritariamente vista na China, não tem qualquer celebração no Natal. No entanto, a religião tem inúmeras datas onde se comemora o nascimento de grandes mestres ou sua ascensão. O Ano Novo Chinês, assim como no budismo, é a data mais comemorada para os taoístas. Nesse dia se celebra o Senhor do Princípio Inicial.

 

Islamismo

Para o Islamismo, Cristo não é o filho de Deus, mas sim um profeta. Apesar de atribuírem grande importância ao Messias, não possuem uma data especial para comemorar o seu nascimento. Para os islâmicos, as duas principais festas sagradas são a Eid al-Fitr que consiste na celebração do desjejum após o Ramadã e o Eid al-Adha que marca o encerramento da peregrinação a Meca.

 

Umbanda

Para a Umbanda, Cristo é relacionado à Oxalá, o maior de todos os Orixás. Portanto, em 25 de Dezembro, assim como no Cristianismo, os umbandistas comemoram agradecendo à entidade que, segundo a sua crença, comanda todas as forças da Terra.

 

Wicca
Desde tempos pré-cristãos, os adeptos das tradições pagãs comemoram o solstício de inverno, batiza de Yule, em 21 de dezembro. As comemorações estendem-se até janeiro, e deram origem às festas de fim de ano adaptadas pela cultural cristã ocidental.

 

Kemetismo
Os seguidores dessa religião do Antigo Egito comemoram em 21 de dezembro o Dia do Retorno da Deusa Errante, desde 4.500 a.C. Celebra-se o retorno da deusa Hathor a seu pai Ra, e a restauração de sua relação.

 

Neopagãos
O grupo que idolatra deuses da Roma Antiga celebra as tradicionais festas da Saturnália, que coincidem com o solstício de inverno (21 de dezembro).

 

Zoroastrismo
Os adeptos desta religião fundada na antiga Pérsia relembram o aniversário de morte de Zaratustra em 26 de dezembro. É o dia mais importante do calendário dos fiéis, que aproveitam para recitar preces e visitar templos de adoração.

 

Xintoístas

Religião com forte adesão no Japão, o Natal portanto é celebrado como um feriado importado com valor comercial assim como o Halloween (Dia das Bruxas) e Valentine’s Day (Dia dos Namorados), embora a sua popularidade aumente a cada ano que passa.

A partir de novembro, belas decorações de Natal enchem as ruas, especialmente das grandes cidades. Também há iluminação noturna especial em vários locais turísticos, parques e locais públicos. As lojas e o comércio em geral também contam com muitas decorações de Natal com o objetivo de impulsionar as vendas.

Mas o conceito de Natal no Japão, como podemos presumir é bem diferente da do Ocidente. Seu significado tem muito mais valor comercial do que religioso. As famílias japonesas, por exemplo, costumam celebrar o Natal com o frango frito do e com o tradicional e delicioso bolo de creme com morangos.

 

O Natal em Espanha

Cada lugar tem o seu estilo próprio de celebrar datas especiais, como o Natal. Em Espanha algumas coisas são diferentes. O prato principal da ceia não é o peru e sim os mariscos. Na ceia fazem vários pratos diferentes, que não se costumam comer durante o ano. Muita gente prepara peixe, camarão, lagosta, ostra, cordeiro. De sobremesa comem biscoitos variados, bombons e torrone um delicioso doce à base de amêndoa.

Quando Jesus nasceu foi presenteado pelos Reis Magos, então nada mais justo que presentear as crianças no dia dos Reis Magos e não no Natal. Em Espanha as crianças esperam ansiosamente o dia 6 de janeiro. Este é o dia de dar brinquedos, então conforme o tempo vai passando e as crianças vão crescendo, elas deixam de ganhar presentes nessa data.

Neste dia durante a tarde, lancha-se o "Roscón de Reys". Um bolo em forma de rosca, enfeitada com fruta cristalizada. Este bolo, pode ser recheado de creme ou natas. Dentro deste bolo, existe uma fava escondida e um rei. A quem calhar a fava tem de pagar o bolo.

Oração de Natal

 

Faça com que todos os dias sejam dia de Natal! Mantenha sempre acesa a luz do amor dentro do seu coração. Escolha ver as pessoas e as situações de uma forma positiva. Escolha amar, partilhar, manter a esperança! Acenda uma velinha ao Menino Jesus, e peça-lhe que ilumine o seu Natal:

Oração de Natal

Menino Jesus,

Ensina-me a viver com todo o coração
o mistério profundo do teu Natal.

Abençoa as pessoas que amo,
onde quer que estejam,
e faz com que no nosso lar
haja sempre a doçura de Nossa Senhora,
o cuidado do teu pai, São José,
e a pureza e a bondade
que só o teu coração possui.

Menino Jesus, meu Menino adorado,
protege a minha família
com o teu manto sagrado!

Oração para a noite de Natal

 

Na noite de Natal, antes de partilhar a ceia de Natal com a sua família, guarde alguns momentos para si só e agradeça, de coração, tudo aquilo que Deus lhe dá. 

Reze, em silêncio para si próprio, ou em conjunto com a sua família, esta oração de agradecimento e pedido de bênção para a ceia de Natal.

Senhor, reunimo-nos hoje aqui para cear

porque numa noite como esta, há muito tempo,

quiseste ser uma criança com nome e apelidos

entre as crianças mais pobres da terra.

 

Abençoa a nossa mesa. Ao menos por uma noite,

gostaríamos que o mundo fosse uma grande Família:

sem guerras, sem miséria, sem drogas e sem fome,

com um pouco mais de música e muito mais justiça.

Que ao menos esta casa, Jesus recém-nascido,

acolha a Tua palavra de amor e perdão.

 

Conserva-nos unidos. Dá-nos pão e trabalho

durante todo o ano. Dá-nos força e ternura

para sermos pessoas úteis que lutem por um Mundo

onde haja dias bons e muitas noites boas

como esta em que quiseste nascer entre nós.

 

Senhor, Tu serás bem-vindo a esta casa

até que um dia nos reúnas na Tua.

Os signos e o Natal

 

O Natal é época de paz, amor e união, mas é também a fase do ano de maior azáfama, correria às lojas, filas intermináveis nos supermercados, listas de coisas para fazer, agitação e stress... Saiba como cada signo vive a quadra natalícia, aquilo de que mais gosta e o que é mais importante para si, consoante a sua personalidade. Tenha em atenção que estas são descrições gerais dos signos, cada pessoa é influenciada pelos outros aspetos do seu Mapa Astral e, é claro, pela sua história de vida, que é também determinante na forma como vivemos o Natal. Divirta-se a ler e partilhe com a sua família!

Carneiro

O espírito de festa, a alegria de reencontrar os familiares espalhados pelo Mundo que se reúnem ano após ano na casa dos avós, as celebrações com amigos, colegas, conhecidos, as inúmeras mensagens de Boas Festas recebidas por telemóvel e no Facebook são aquilo que faz o coração de Carneiro vibrar nesta data. Carneiro é muito prático no que diz respeito aos presentes, e é capaz de os comprar todos de seguida numa loja à beira da liquidação total, meses antes. Gosta de estar "despachado" cedo, para que nesta altura possa simplesmente desfrutar do convívio, da alegria e da felicidade de estar com quem ama. Comete alguns excessos e, nas semanas seguintes, anda de dieta para recuperar.

Touro

Para o nativo de Touro, Natal rima com "comensal", que é alguém que adora a boa mesa e se deleita a partilhar refeições em boa companhia. Esta é a época do ano preferida para a maior parte dos nativos deste signo, pois as sobremesas generosas e as mesas fartas enchem a sua alma de alegria e felicidade. Touro é capaz de passar horas na cozinha a preparar todo o tipo de pratos de época, pois adora ver a sua família toda reunida a degustar uma refeição de sonho. Os chocolates são a sua predileção, principalmente se forem saboreados à lareira, ao longo da noite de Natal, com as pessoas que mais ama, gargalhadas e um bom vinho. Para além da comida, Touro também adora o convívio com a família, pois é um signo que dá grande valor às tradições e, claro está, os presentes.

Gémeos

Prático e descontraído, este é um dos signos que encara o Natal com maior leveza... ou ansiedade! Deixa os preparativos para a última hora e é capaz de tentar negociar com os funcionários do Centro Comercial para ainda o deixarem comprar "o presente para a minha mãe!" mesmo depois da hora de encerramento. Nos dias que antecedem o Natal, anda numa roda-viva, pois acaba por convidar toda a família para sua casa (nem ele sabe muito bem como foi que isso aconteceu) e não tem outro remédio senão comprar filhozes, rabanadas, coscorões e até o peru já prontos. A nova tendência de passar a noite de Consoada em hotéis foi, certamente, criada por um Geminiano em apuros!

Caranguejo

Este é, sem dúvida, um dos signos que mais vibra com o Natal. A eterna criança que permanece dentro de cada nativo de Caranguejo deleita-se com esta época de magia, e facilmente volta a sentir que tem 6 anos e está a escrever  uma carta ao Pai Natal. Do que é que Caranguejo mais gosta? De tudo! Desde as luzes nas ruas e nas lojas logo ainda em Novembro, à alegria de escolher presentes - Caranguejo adora mimar as pessoas que ama -, aos preparativos para a Consoada, pois Caranguejo é muito guloso e, acima de tudo, à felicidade imensa que é poder estar com a família toda junta. Caranguejo adora, também, receber presentes, deleita-se a tentar adivinhar o que lhe ofereceram. Quer saber um segredo? No fundo, adoraria receber um brinquedo, pois traz emoções muito fortes ao seu nostálgico  coração.

Leão

Leão gosta de ter a família toda reunida em sua casa pois, como qualquer rei, adora receber. Preocupa-se em escolher presentes que deixem a pessoa que os recebe completamente surpreendida e rendida aos encantos de Leão, e investe também numa mesa farta, opulenta - camarão é indispensável na mesa de Consoada de um nativo de Leão. Embora ande agitado pois tem de dar conta de tudo, mantém um ar de quem tem tudo sob controlo - e tem mesmo. Quando finalmente chega a Consoada, adora poder desfrutar do alegre convívio com as pessoas que ama, apreciando aquilo que ele sabe que proporcionou aos outros: e esse é, para Leão, o seu melhor presente.

Virgem

Este nativo é muito organizado e é sem dúvida um dos que maior ansiedade ganha com o Natal. Tem tendência a comprometer-se com mais tarefas do que aquelas que deveria, na verdade, realizar - "Eu levo o bolo rei! Eu faço as azevias! Eu demolho o bacalhau!" e, não raras vezes, chega à noite de Consoada pronto para ir para a cama, exausto com toda a azáfama em que andou. No entanto, quando recebe o devido reconhecimento por tudo o que fez e quando vê os rostos felizes dos seus filhos, irmãos, do parceiro e dos pais, se os tiver, todo o cansaço desaparece e Virgem adora o prazer de conviver, conversar noite fora e saborear a noite de Natal... até se lembrar que alguém tem de preparar o almoço do dia seguinte!

Balança

Balança adora a estética do Natal. Este é o signo que muda de árvore de Natal todos os anos, que pensa antecipadamente na decoração, que escolhe todos os adereços a condizer, que começa a preparar a lista de presentes de Natal logo depois do seu aniversário, que vai escolhendo mimos para oferecer a quem mais ama, que gosta de surpreender os colegas, vizinhos e alguns conhecidos com uma pequena lembrança. Balança esquiva-se, sempre que possível, às tarefas culinárias, pois o seu domínio é o das relações públicas: este é o signo que gosta de receber os convidados, fazer as honras da casa (mesmo que não esteja em sua casa), por a conversa em dia - "há tanto tempo que não nos vemos!", visitar amigos e parentes afastados... No final da noite, adora os cânticos de Natal desafinadamente cantados em família, à mistura com muitas gargalhadas.

Escorpião

Escorpião gosta do Natal, mas passa bem sem ele. O que mais gosta é poder estar com as pessoas que ama, o que pode restringir-se a um núcleo apertado. Não tem muita paciência para conversas de salão nem para ter de fazer um sorriso amarelo àquele primo que nunca se lembra da família mas aparece sempre para receber a prenda, nem para a tia sovina que todos os anos oferece peúgas brancas. Por isso, muitas vezes o nativo de Escorpião assume a responsabilidade pelas tarefas que o vão obrigar a passar a maior parte do tempo fora de casa: "eu vou tratar do bolo rei!", "não se preocupem que eu levo o presente ao tio Manuel que mora a 30 km e ainda chego a tempo de jantar"... Quando Escorpião está, realmente, entre aqueles que mais ama, o caso é completamente diferente, e este é o signo que se entrega de alma e coração a preparar uma noite inesquecível para a família. Adora oferecer presentes, escolhidos cuidadosamente, mas apenas para os eleitos wdo seu coração.

Sagitário

Sagitário, o signo das festas, vibra com o Natal em tudo o que ele traz. Volta a sentir-se criança, adora surripiar doces das travessas, espreitar as prendas de Natal, fazer apostas para adivinhar o que irá receber, contar as suas últimas piadas aos irmãos e primos com quem não tem estado, brincar com as crianças e pregar partidas aos familiares desesperados de roda dos tachos. A festa de Natal, para Sagitário, é capaz de se prolongar por tanto tempo quanto os restantes convidados aguentarem. É ele o DJ de serviço, adora por músicas que toda a gente conhece e desafiar a família a cantar, inventa jogos e atividades que resultam sempre em gargalhadas explosivas. Com tanta comida e bebida à discrição Sagitário acaba sempre por cometer excessos mas... festa é festa!

Capricórnio

Pouco dado ao espalhafato, Capricórnio é um dos signos que encara o Natal com maior sobriedade, embora seja muito exigente e perfeccionista. Se lhe couber a ele receber - o que evita - procurará que a mesa seja farta e exuberante, mesmo que tenha de comprar comida já pronta, num restaurante conceituado. Nas decorações de Natal prima pela classe mas é discreto. Oferece presentes apenas aos familiares mais chegados, mas é capaz de gastar tanto ou mais dinheiro do que se oferecesse prendas a metade da sua cidade. Este nativo gosta de oferecer - e de receber - presentes de qualidade, exclusivos, marcantes e inesquecíveis. Se não tiver um núcleo familiar de quem seja próximo, Capricórnio é capaz de oferecer um bilhete de avião a si mesmo e ir passar a noite de Natal a Paris, sozinho, sem qualquer aperto no coração.

Aquário

Aquário desdenha as convenções e, a não ser que outros elementos do seu Mapa Astral contrariem esta tendência, não tem grande paciência para o Natal. Gosta, no entanto, da tagarelice com os irmãos e os primos, aprecia o convívio e as boas conversas à volta da mesa, mas evita responsabilidades e descarta-se de tarefas domésticas, tanto quanto puder. Para ele, o verdadeiro espírito de Natal é o da solidariedade, e é capaz de comprometer-se com uma associação solidária onde vai logo depois do seu jantar de Natal. Pode, também, integrar uma equipa missionária e ir passar o Natal a terras distantes, a fazer algo que seja "realmente útil". 

Peixes

Sonhador, romântico e com um quê de eterna criança, Peixes gosta da magia do Natal, e só lamenta que a idade adulta o tenha feito deixar de acreditar no Pai Natal. Adora as luzes, as decorações, adora ir ver a árvore de Natal pública e as iluminações das ruas. Gosta mais de desfrutar de todo o encanto da quadra do que propriamente de trabalhar para ele. Oferece-se para fazer um doce, mas pouco mais do que isso. Gosta de receber presentes mas é capaz de se sentir tão hesitante naquilo que deseja oferecer que acaba por ter de comprar grande parte das prendas à última hora. Sente-se sempre um pouco nostálgico nesta data, nem sabe explicar bem porquê. Se tiver filhos ou netos, o Natal terá para si uma magia especial.

Qualquer que seja o seu signo, tenha um santo e feliz Natal, e desfrute da bênção que é poder estar com as pessoas que mais ama!

O presépio - simbolismo e tradição

 

Muito antes de adotarmos a tradição de "fazer a árvore de Natal", os lares e as famílias portuguesas já assinalavam esta época natalícia com o Presépio - a réplica do lugar sagrado onde veio ao Mundo o Menino Jesus.

A palavra "presépio" vem do latim e significa estábulo, manjedoura. Foi São Francisco de Assis quem iniciou a tradição do presépio como celebração do Natal em 1223, em Itália. O seu objetivo era de celebrar o natal da maneira mais realista possível. Para explicar aos camponeses como foi a noite do nascimento de Jesus, São Francisco pegou num pouco de argila, e com muita paciência moldou vários bonequinhos de barro. Primeiro, fez um bebé. Em seguida, o pai e a mãe. Depois, os três reis montados em camelos, alguns pastores, um boi, um burrinho e, por fim, uma bela estrela!

Mais tarde, com a autorização do Papa, São Francisco montou um presépio de palha utilizando uma imagem do Menino Jesus, com um boi e um burro vivos perto dela. Teve tanto sucesso que passou a ser feito por toda a Itália, primeiro nas casas dos nobres até chegar às dos mais pobres. O Rei Carlos III levou esta tradição para Espanha e para a América Latina, e daí passou a ser usada em todas as culturas cristãs.

Outras cerimónias mais antigas já tinham feito referência à cena do nascimento do Menino Jesus. Em Roma, na basílica de Santa Maria Maggiore, durante a Idade Média (século VIII), o papa costumava celebrar a missa de Natal com uma manjedoura cheia de palha sobre o altar. E, no século XI, representava-se em muitas igrejas europeias, o officium pastorum: uma imagem do Menino Jesus era colocada atrás do altar onde se celebrava a missa de Natal e cinco cantores, desempenhando o papel de pastores, perguntavam ao sacerdote onde estava o Salvador recém-nascido; a imagem era então trazida por eles para a frente do altar e, ao som de cânticos e hinos, todos se ajoelhavam.

O presépio, com a sua manjedoura, simboliza uma das maiores e primeiras lições que Cristo nos ensinou: a humildade. Apesar de poder ter nascido num palácio, Jesus escolheu nascer no lugar mais simples, em Belém.

A Estrela de Belém é um dos maiores símbolos de Cristo, que veio à Terra para, com o seu brilho, iluminar a Humanidade. 

 

As 7 plantas especiais de Dezembro

 

A celebração do Natal com todas as decorações e rituais que hoje repetimos anualmente assenta em tradições ancestrais, profundamente ligadas à sabedoria antiga e ao conhecimento da Natureza. Saiba que o pinheiro, o azevinho, o visco e outras plantas que usamos nas decorações que em nossa casa dão conta da época natalícia têm todas significados antigos, sendo consideradas mágicas. 

Pinheiro

O pinheiro, o zimbro, o abeto e o cedro são árvores que se mantêm verdes mesmo durante os invernos mais rigorosos. Assim, ao ter em casa um pinheiro representamos o ato simbólico de levar para o nosso lar a promessa de que a primavera regressará, e estas árvores estão todas elas associadas à proteção e à prosperidade, assim como à renovação da vida. Utilize ramos secos destas árvores nas suas decorações, atraindo desta forma para a sua casa a proteção da Natureza, a abundância e a renovação.

Azevinho

O azevinho é considerada uma planta sagrada porque desde tempos muito antigos está associada ao deus Sol, ao Solstício de Inverno, e acredita-se que afasta os maus espíritos, protegendo todos aqueles que habitam no lar onde se encontra. Devido aos picos que as suas folhas têm, esta planta era usada pelos antigos druidas em magias e rituais de proteção, afastando os inimigos e todos os que fossem mal-intencionados. É uma planta associada à energia masculina e à força física, e as civilizações mais antigas usavam a madeira do azevinho para fazer as suas armas. Tenha em casa decorações com azevinho, para manter toda a sua família protegida contra energias negativas.

Hera

Em algumas imagens alusivas ao Natal vemos a imagem de heras representadas. A hera mantém-se viva mesmo depois de o ramo principal ter morrido, simbolizando a continuidade da vida no seu eterno ciclo. Os ramos de hera, que se adaptam ao local onde se encontram e se enrolam em redor de outros ramos ou estacas, representam a capacidade de adaptação e a sobrevivência, assim como a lealdade e a fidelidade. Aproveite esta altura do ano para investir em atividade que o tornem uma pessoa melhor e mais satisfeita consigo mesma e coloque uma barreira entre si e tudo aquilo que é tóxico para si. Utilize decorações com hera na sua casa para atrair e manter a união, a cooperação e o amor. A hera era uma planta usada em magias de união, cura, proteção e para unir casais.

Visco

A tradição de beijar alguém debaixo do visco é originária de uma lenda nórdica, que associa esta planta a Frigga, a deusa escandinava do amor e da fertilidade. Conta-se que esta deusa sonhou que o seu filho Balder, o deus da primavera, iria morrer, e com a sua morte a Terra ficaria imersa num inverno permanente. Frigga, então pediu ajuda aos 4 Elementos e a todos os seres vivos para que não permitissem que o seu filho morresse, mas esqueceu-se do visco, pois considerava-o inofensivo. Foi precisamente com visco que Loki, deus da magia, fez uma lança, com a qual matou Balder. Frigga, desolada, chorou compulsivamente, a tal ponto que os deuses se apiedaram dela e devolveram a vida a Balder e castigaram a planta, amaldiçoando-a. Balder, contudo, libertou-a da sua maldição, e ordenou que, daí em diante, sempre que duas pessoas se encontrassem sob o visco teriam de se beijar, como simbolo de perpetuação do amor na Terra.

Desde então, os escandinavos consideraram-na uma planta de paz, usando-a para declarar tréguas e mantendo a tradição de fazer as pazes, abraçar e beijar debaixo do visco. A partir do século XVIII os ingleses adotaram a tradição de pendurar decorações feitas com visco, bolas e fitas, sob as quais as meninas inglesas teriam de aceitar um beijo, pois de contrário não teriam sorte no amor. 

O visco era considerado uma planta mágica pelos druidas, que a colhiam sem a deixar tocar no chão. Acreditava-se que tinha propriedades curativas, pois mantinha-se sempre verde, mesmo não tendo raízes (é uma planta parasita que cresce nos ramos de outras árvores). Era costume usar-se como amuleto no berço de um bebé, para o proteger contra qualquer mal. Era, também, associada à fertilidade, sendo usada para tratar a infertilidade e para afastar espíritos malignos.

Use o visco na decoração em sua casa e atraia, dessa forma, o amor verdadeiro, a lealdade, a fertilidade e a harmonia para a sua vida.

Vidoeiro

Quando uma floresta arde, uma das primeiras árvores a regenerar-se é o vidoeiro, sendo associada por isso ao renascimento e à capacidade de regeneração. Na magia e nos rituais, o uso de ramos de vidoeiro potencia a energia, sendo especialmente auspiciosa para novos empreendimentos. Está associado à criatividade e à fertilidade, assim como à cura e à proteção. Utilize os ramos de vidoeiro na decoração para atrair novas oportinidades para a sua vida, favorecendo a renovação a todos os níveis na sua vida e protegendo os novos começos.

Carvalho

Reza a lenda Celta que, no Solstício de Inverno, o Rei Carvalho derrota o Rei Sagrado à medida que o antigo ano solar se despede. Esta árvore representa o poder e a resistência e, mesmo ficando sem folhas, mantem o seu vigor e poder. O carvalho está associado à vitória e ao triunfo, os antigos governantes usavam coroas adornadas com folhas de carvalho como símbolo da sua ligação ao plano Divino. Os generais do exército Romano eram coroados com coroas de folhas de carvalho quando regressavam vitoriosos das batalhas. Sendo considerado uma árvore sagrada, ter em sua casa decorações com troncos, ramos e folhas de carvalho atrai a proteção Divina.

 

Teixo

O teixo representa o final do ano solar, que culmina com o Solstício de Inverno e corresponde ao período em que as noites parecem intermináveis e frias. O teixo está associado à imortalidade e à longevidade sendo também considerado, por muitos, como a ponte que faz a ligação ao mundo para além daquilo que vemos. O teixo ajuda a encarar a mudança como um processo natural e necessário ao crescimento e à evolução. Usá-lo em sua casa ajuda a enfrentar os novos ciclos como algo positivo, abraçando os novos desafios com confiança e segurança.

Natal

 
 
 
 

 

 
O Natal é a data em que se celebra o nascimento de Jesus Cristo. O primeiro natal foi celebrado no ano de 336 d.C. Hoje em dia é festejado pelo mundo inteiro e tornou-se numa festa da família e o período do ano de maior consumo.
 
Natal vem do termo Natalis que significa “nascer” ou o local onde alguém nasceu. A data de 25 de Dezembro não é a verdadeira data de nascimento de Jesus. No tempo dos Romanos, nesse período do ano havia vários festejos pagãos. A 21 de Dezembro celebrava-se o Solstício de Inverno, o nascimento de Deus Sol Invencível. De 17 a 22 de Dezembro celebrava-se o Deus Saturno. Nessa festa os Romanos penduravam máscaras de Baco em pinheiros – uma das referências mais antigas à árvore de Natal.
 
 
 
A Igreja Católica, em vez de proibir as festas pagãs, deu-lhes um novo significado Cristão, estabelecendo que no dia 25 de Dezembro se celebraria o nascimento de Jesus Cristo quando o mais provável é que Cristo terá nascido entre Março e Abril.
 
Segundo a lenda, a estrela, que é representada no presépio e na árvore, indicou aos Reis Magos o local do nascimento de Jesus. Existem várias explicações do que terá provocado essa estrela brilhante. Podia ter sido o planeta Vénus, o cometa Halley ou segundo a teoria de Johannes Kleper, uma conjugação rara dos planetas Júpiter e Saturno passando pelo Sol e ao mesmo tempo por Peixes.
 
 
Nos tempos de hoje, o Natal comercializou-se e as pessoas esqueceram-se ou desconhecem o verdadeiro significado mas continua a ser um tempo de estar com a família, de amizade e de amor. É um período de grande consumismo mas a tradição de dar prendas, que tem as suas origens nos presentes que os Reis Magos levaram a Jesus, também lembra que é um tempo de partilha e de generosidade. 
 
Feliz Natal para todos!
 
Um beijinho,
 
Maria Helena
 

 

Um presente muito especial para si, da nossa querida taróloga da SIC, Maria Helena Martins para este Natal!

PASSATEMPO DE NATAL MARIA HELENA


passatempo Natal blog.jpg

 OFERTA DE:

- O Anjo Celestial com castiçal para acender uma vela todos os dias e pedir a Deus que ilumine a sua vida;
- O Menino Jesus com almofada;
- O Presépio em barro (que se fecha em forma de concha);
- O Anjo da Paz com oração no verso;
- O lindíssimo Terço da Anunciação de Jesus

Haverá 3 vencedores! Serão anunciados dia 19 de Dezembro no facebook Maria Helena!

 

Veja aqui grátis: Horóscopo diário ! 

 

Clique aqui para marcar uma consulta de Tarot, ou falar comigo! 

maria helena.jpg


Envie-me um e-mail em branco e receba uma surpresa!

Clique aqui!

 

Mais informações para:

Telefone: (00351) 21 092 9000

E-mail: mariahelena@mariahelena.pt

Site: http://www.mariahelena.pt/

Facebook: www.facebook.com/MariaHelenaMartinsMHM

logo dra.png

Dia de São Nicolau

 

São Nicolau
Bispo (séc. IV, Turquia)
 
Hoje recomendo que faça este pedido a S. Nicolau:
 
 
protege a minha casa e família!
 
 
  
São Nicolau nasceu na Ásia Menor na segunda metade do século III e faleceu no dia 6 de Dezembro de 342. Foi Bispo de Mira em Licia, na actual Turquia e é o Santo Padroeiro da Rússia, Grécia e Noruega. No local do santuário onde foi sepultado diz-se que surgiu uma nascente de água. Foi mais tarde transladado para Bari na Itália e é também conhecido como S. Nicolau de Bari. Foi construída uma basílica em seu nome que se tornou local de peregrinação de devotos. É o santo protector dos marinheiros, prisioneiros (também ele esteve preso), das crianças e da família entre muitos outros. A ele foram associados vários milagres especialmente relacionados com dinheiro e presentes.
 
São Nicolau era um homem bondoso e generoso que era conhecido por salvar marinheiros das tempestades, defender crianças e oferecer generosos presentes aos mais pobres. Diz-se que herdou uma grande fortuna dos seus pais que distribuiu pelos pobres e necessitados.
 
Há muitas lendas associadas a São Nicolau mas a mais conhecida conta como ele ajudou 3 filhas de um vizinho com dificuldades financeiras. São Nicolau deixou um saco de moedas de ouro às escondidas na janela da casa para cada uma das filhas puder casar. Ao deixar as moedas para a terceira filha, o Pai que estava escondido descobriu quem era o benfeitor, ficou-lhe para sempre grato e espalhou palavra das suas boas acções.
 
A sua imagem serviu para inspirar o ícone do Natal – um velhinho de barba com um saco de presentes às costas. O próprio nome Santa Claus vem de Santus Nicolaus. Alguns diziam que ele se deslocava num trenó puxado por 8 renas, o transporte utilizado na Escandinávia, outros que ele aparecia montado num burro com um saco cheio de presentes às costas, e mais tarde, que descia pelas chaminés das casas de noite para deixar os seus presentes nas meias e sapatinhos das crianças. A sua imagem dura até aos dias de hoje como a figura do Pai Natal e lembra-nos que o Natal é tempo de partilha, amor, esperança e generosidade.
 
Conheça mais Santos na minha Agenda Caminhando com os Santos.
 
Desejo-vos um dia de São Nicolau cheio de amor!
 
Um beijinho,
 
Maria Helena