Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Astrologia

Pedido a são Miguel Arcanjo para situações desesperadas

 

Nos momentos mais difíceis da sua vida, mantenha acesa a chama da esperança. São Miguel Arcanjo, o Anjo guerreiro, ouve as nossas súplicas e defende-nos corajosamente. Reze esta oração durante 3 dias seguidos, de preferência sempre à mesma hora. Acenda uma vela branca em cada um dos 3 dias e deixe cada vela arder até ao fim.

Pedido a São Miguel Arcanjo para situações desesperadas
(para rezar em três dias seguidos)

 Deus, vinde em nosso auxílio.
Senhor, socorrei-nos e salvai-nos.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre.
Ámen.

Primeiro Dia

São Miguel, 
vós que defendeste a honra do Senhor 
empunhando o estandarte Divino 
e exclamando:
"Quem é como Deus"?, 
alcançai-nos zelo ardente 
e fé inabalável para que saibamos como vós 
combater todos os males 
e conquistar a salvação.

Rezar um Pai-Nosso, uma Avé Maria e uma Glória ao Pai.

Segundo Dia

São Miguel, 
vós a quem o Senhor confiou 
a guarda da Igreja, 
dignai-vos ouvir as nossas preces em seu favor.
Guardai-a do espírito de soberba dos seus filhos, 
e das falsas doutrinas.
Reuni as ovelhas desgarradas 
e apressai a hora da unidade de todos os seus filhos.

Rezar um Pai-Nosso, uma Avé Maria e uma Glória ao Pai.


Terceiro Dia

São Miguel, 
compadecei-vos de nós,
que estamos no meio de tantos perigos 
e ajudai-nos nos combates desta vida.
Livrai-nos do inferno 
e dai-nos com que possamos viver 
a bem-aventurança eterna no céu.

Rezar um Pai-Nosso, uma Avé Maria e uma Glória ao Pai..

Oração a Santa Águeda, protetora contra o cancro da mama

 

Santa Águeda é celebrada, pela Igreja Católica, no dia 5 de Fevereiro. Ela é a protetora especial de todos os que sofrem de cancro da mama ou de outras doenças relacionadas com os seios.

Embora não se saiba ao certo o local e a data de nascimento de Santa Águeda (também chamada santa Ágata), sabe-se que nasceu por volta do ano 235 e que terá vivido na Sicília. Oriunda de uma família rica, prometeu, aos 15 anos, a sua vida a Cristo, razão pela qual jurou manter-se virgem e foi, por isso, perseguida por Décio, imperador romano. Os relatos da sua história contam que foi torturada, tendo-lhe sido cortados os seios, sem que isso a fizesse recuar no seu voto de dedicação a Deus. Terá recebido uma aparição de São Pedro, que ajudou a curar os seus ferimentos, e quando, dias depois, voltou a ser torturada, abateu-se sobre a região um violento tremor de Terra, que fez com que o sacrifício fosse interrompido. Faleceu no dia seguinte, a 5 de Fevereiro de 251.

Santa Águeda é, pelas torturas que sofreu, considerada a santa protetora de todas as doenças relacionadas com os seios, nomeadamente o cancro da mama.

Se está a sofrer com esta doença ou quer pedir proteção para outra pessoa, reze esta oração:

Ó gloriosa virgem e mártir, Santa Águeda,
que, para não trair a fé em Jesus Cristo,
preferiste ter os seios arrancados no martírio
e miraculosamente curados na prisão,
olha por teus filhos que,
cheios de confiança, se dirigem a ti.

Tu, que soubeste conservar-te íntegra diante de Deus,
liberta-nos da tentação de trocar a nossa fé
por valores passageiros que nos afastam de Deus.
Jovem que foste, livra os nossos jovens das drogas,
do consumismo, da prostituição
e de todo tipo de exploração.

E, como disseste ao teu torturador:
“Não te envergonhas de mutilar na mulher
o que tua mãe te deu para dele tirares o alimento?”,
livra-nos de todos os males da mama para que,
a cada dia, vivendo como verdadeiros cristãos,
possamos dizer contigo:
“Tenho na minha alma os seios íntegros,
com os quais nutro todos os meus sentidos
que desde a infância consagrei a Cristo Jesus”.
Ámen.

Reze um Pai-Nosso, uma Ave-Maria e um Glória ao Pai.

 

 

Oração a Santa Águeda


Hoje brilha o dia de Águeda,
ilustre virgem;
Cristo une-a consigo
e coroa-a com duplo diadema.
De ilustre prosápia, formosa e bela;
Mais ilustre, porém, pelas obras e pela fé,
reconhece a vaidade da prosperidade terrena
e sujeita o coração aos divinos preceitos.
Mais forte que os seus cruéis verdugos,
expôs os membros aos açoites.
A fortaleza do seu coração
mostra claramente o seu peito torturado.
Ao cárcere, que se converteu
em delicioso paraíso,
desce o pastor Pedro
para confortar a sua ovelhinha.
Recobrando novo alento
e acesa em novo zelo,
alegre corre para os açoites.
A multidão pagã,
que foge amedrontada
diante do fogo do Etna,
recebe as consolações de Águeda.
A todos os que recorrem
fiéis à sua proteção
extingue-lhes Águeda
os ardores da luxúria.
Agora que ela, como esposa,
resplandece no céu,
interceda perante o Senhor
por nós, miseráveis.
E queira, sim, enquanto nós lhe celebramos a festa,
ser-nos propícia a todos
quantos deferimos as suas glórias".

Oração a Nossa Senhora das Candeias

 

Nossa Senhora das Candeias, da Luz, da Candelária ou da Purificação são vários nomes para a apresentação de Maria, Mãe de Jesus, no Templo do Senhor, 40 dias depois de ter dado à luz o seu santo Filho.

Conta-se que, no tempo em que Jesus nasceu, uma mulher que tivesse dado à luz ficava impura, e que só 40 dias depois do parto podia voltar a apresentar-se no Templo, perante o sumo-sacerdote, levando um cordeiro, duas pombas ou duas rolas para apresentar o seu sacrifício e, desse modo, voltar a purificar-se.

A festa de Nossa Senhora das Candeias, que é também a festa da Apresentação do Senhor, retrata esse momento em que Maria voltou ao Templo, levando pela primeira vez o Menino Jesus. Considerando-se que o nascimento de Jesus aconteceu a 25 de Dezembro, o dia 2 de Fevereiro perfaz os 40 dias que teriam decorrido até ao dia da purificação de Maria e da Apresentação do Senhor.

Conta a Bíblia, também, que no Templo São Simeão pegou no Menino Jesus ao colo e, erguendo-o, profetizou que Ele traria ao mundo a Luz e a salvação:

"E pelo Espírito foi ao templo e, quando os pais trouxeram o menino Jesus, para com ele procederem segundo o uso da lei,
Ele, então, o tomou em seus braços, e louvou a Deus, e disse:
Agora, Senhor, despedes em paz o teu servo, Segundo a tua palavra;
Pois já os meus olhos viram a tua salvação,
A qual tu preparaste perante a face de todos os povos;
Luz para iluminar as nações, E para glória de teu povo Israel."


(Lucas 2:27-32)

Esta passagem bíblica representa também a primeira dor de Nossa Senhora das Dores, pois Simeão prosseguiu com a sua profecia:

"E José, e sua mãe, se maravilharam das coisas que dele se diziam.
E Simeão os abençoou, e disse a Maria, sua mãe: Eis que este é posto para queda e elevação de muitos em Israel, e para sinal que é contraditado
(E uma espada traspassará também a tua própria alma); para que se manifestem os pensamentos de muitos corações.
E estava ali a profetisa Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser. Esta era já avançada em idade, e tinha vivido com o marido sete anos, desde a sua virgindade;
E era viúva, de quase oitenta e quatro anos, e não se afastava do templo, servindo a Deus em jejuns e orações, de noite e de dia.
E sobrevindo na mesma hora, ela dava graças a Deus, e falava dele a todos os que esperavam a redenção em Jerusalém.
E, quando acabaram de cumprir tudo segundo a lei do Senhor, voltaram à Galiléia, para a sua cidade de Nazaré."
Lucas 2:33-39

 

Desta passagem bíblica surgiu, pois, o culto a Nossa Senhora das Candeias, lembrando que Jesus veio trazer a luz aos povos. Esta festividade começou por ser celebrada com uma procissão de velas.

Nos momentos em que precisar de uma "Luz" especial, reze a seguinte oração a Nossa Senhora das Candeias:

Virgem Santíssima das Candeias,
vós que, pelos merecimentos do vosso Filho Omnipotente,
tudo alcançais em benefício dos pecadores
de quem sois igualmente Senhora e Mãe,
Vós que não desprezais as súplicas humanas
e que não lhes fechais o vosso coração compassivo e misericordioso,
Iluminai-me, peço-vos, na estrada da vida,
dai-me coragem e orientai os meus passos e as minhas orações
para o verdadeiro Bem.
Livrai-me de todos os perigos a que está exposta a minha fragilidade.
Defendei-me dos meus inimigos,
como defendeste o vosso amado Filho
das perseguições que sofreu enquanto Menino.

Não consintas que eu seja atingido por ferro, fogo ou doença alguma e,
epois de todos estes benefícios da vossa clemência nesta vida,
conduzi a minha alma para a morada dos Anjos, onde com Jesus Cristo,
vosso Filho e Nosso Senhor,
viveis e reinais, pelos séculos.
Ámen.

O Salmo 6 ajuda a recuperar as forças

 

Quando o desalento parece estar a tomar conta de si, rezar o salmo 6 pode ajudá-lo a reencontrar o ânimo e a força de que precisa para seguir em frente.

Este é um Salmo da autoria de David, e nele é relatada a aflição causada por uma grande doença, a qual o autor pensa não ter cura e, por isso, está muito assustado com ela. O autor do Salmo pede, então, ajuda a Deus, prometendo-lhe total devoção.

Na parte final deste Salmo, a resposta de Deus à súplica de David traz o alívio para a sua aflição e dor.

 

Para o mestre de música. Com instrumentos de cordas. Em oitava. Salmo davídico.

1. Senhor, não me castigues na tua ira

nem me disciplines no teu furor.

2. Misericórdia, Senhor, pois vou desfalecendo!

Cura-me, Senhor, pois os meus ossos tremem:

3. todo o meu ser estremece.

Até quando, Senhor, até quando?

4. Volta-te, Senhor, e livra-me;

salva-me por causa do teu amor leal.

5. Quem morreu não se lembra de ti.

Entre os mortos, quem te louvará?

6. Estou exausto de tanto gemer.

De tanto chorar inundo de noite a minha cama;

de lágrimas encharco o meu leito.

7. Os meus olhos consomem-se de tristeza;

fraquejam por causa de todos os meus adversários.

8. Afastem-se de mim todos vós que praticam o mal,

porque o Senhor ouviu o meu choro.

9. O Senhor ouviu a minha súplica;

o Senhor aceitou a minha oração.

10. Serão humilhados e aterrorizados todos os meus inimigos;

frustrados, recuarão de repente.

Rezar em tempo de pandemia

 

É nos momentos mais difíceis que a fé aparece, muitas vezes, como a luz que nos ajuda a continuar, mesmo quando não está ao nosso alcance ver o caminho à nossa frente. Perante uma situação como aquela que presentemente vivemos, saber rezar pode ser a ajuda de que precisamos para seguir em frente.

Perante a incerteza trazida pos situações que escapama ao nosso controlo, é fácil deixarmo-nos levar pelo medo e, com ele, perder as forças e a capacidade para enfrentar as situações. Seja qual for a sua religião, ter fé - mesmo que seja em si próprio, na Humanidade - é fundamental para superar os momentos de aflição e para seguir sempre em frente.

Manter a chama da fé acesa é, pois, o melhor que podemos fazer, para além de fazer, no dia-a-dia, tudo o que nos é possível para melhorar as situações com que temos de lidar.

Ter fé significa ter uma relação com Deus  seja qual for a ideia que Dele tivermos, Deus é a essência Divina da nossa existência, é confiar que há algo superior que nos mantém seguros, mesmo quando temos de passar por provações.

É relativamente fácil duvidar da existência de Deus, quando somos confrontados com dor, sofrimento, injustiça e aquilo que nos parece ser cruel. Também não é fácil manter a fé quando estamos exaustos, quando nos sentimos a chegar ao limite das nossas forças. A revolta, a frustração e a raiva podem tomar conta de nós - e elas surgem sempre no extremo oposto da fé. Elas são o oposto da fé.

Quando temos fé, confiamos.

Mesmo que as circunstâncias sejam totalmente diferentes daquilo que gostaríamos que elas fossem.

Fazemos a nossa parte porque temos a certeza que a situação vai melhorar.

Por isso, em tempos particularmente difíceis como aquele que a Humanidade está a viver, é ainda mais importante saber rezar. Para que possamos manter sempre acesa a chama da fé, mesmo que por vezes ela esteja trémula e pareça estar prestes a apagar-se.

O silêncio é uma forma de oração.

Saber rezar não significa repetir palavras que não sentimos. Estar em silêncio mas sentirmo-nos em comunhão com Deus sim, é rezar. Aceitar o sofrimento que sentimos, olhar para ele como se o estivéssemos a ver de fora, ouvir com atenção o que o nosso corpo nos diz, o que a nossa alma nos diz, permitir que nos sintamos vazios - é através do silêncio que entramos em comunhão com Deus. É ao parar o que estamos a fazer para simplesmente contemplar, olhar para dentro, que as respostas podem chegar até nós. Não nos apercebemos delas se estivermos a fazer sempre alguma coisa. Nem tão pouco se a nossa mente não parar de arquitetar os piores cenários possíveis. Se o nosso medo tomar conta da voz que ouvimos em nós.

O silêncio, pelo contrário, pode oferecer-nos outra perspetiva das situações.

Não temos de nos remeter a uma vida de silêncio. Mas é importante aprender a integrar o silêncio na nossa vida, como uma prática regular. Silêncio não significa apenas não falar. Significa, também, não pensar. Mesmo que o façamos apenas cinco minutos por dia. 

Pedir, com sinceridade, que as respostas venham até nós. E estar recetivos e disponíveis para as recebermos.

Aceitar que nem sempre controlamos tudo. Que na maior parte das vezes é a vida que nos dá o caminho. Temos sempre o poder da escolha. Através dele, construímos a nossa vida, pois são as escolhas que fazemos que vão desencadeando novas situações. Mas confiar que há um plano maior do qual fazemos parte ajuda-nos a sentir que não estamos sozinhos nem destinados ao sofrimento e ao fracasso.

Há sempre um propósito para tudo aquilo que acontece.

Muitas vezes é nos períodos em que nada parece acontecer que as sementes germinam e crescem, dando lugar ao crescimento de algo.

Por isso, nos momentos em que parece que nada podemos fazer, podemos e devemos sempre cuidar das nossas sementes. Continuar a alimentar sonhos e esperanças. E fazer, por pouco que seja, o que for possível para que eles estejam cada vez mais perto de ser realizados.

Lamentar.

Um lamento é uma dor expressa. Desde que não fiquemos presos às nossas queixas e lamúrias, elas são importantes porque nos ajudam a exteriorizar a dor que sentimos. Por isso, rezar também pode ser queixarmo-nos, como fazíamos quando éramos pequenos e recorríamos ao nosso pai, à nossa mãe, ou a um adulto em quem confiávamos que cuidaria de nós. Rezar também pode ser queixarmo-nos a Deus e invocarmos a sua ajuda e proteção quando mais precisamos delas. Não devemos, porém, ficar presos a esse lamento e encontrar nele desculpas para não fazermos a nossa parte.

Deus, como Pai generoso e compassivo que é, ouvirá as nossas queixas e olhará por nós. Não desviará os obstáculos do nosso caminho, mas ajudar-nos-á a ter força para superá-los.

Rezar é ser honestos connosco próprios, com os outros, e com Deus.

Obrigar-nos a ter uma atitude positiva quando não nos sentimos positivos é "tapar o sol com a peneira". É fundamental ter e alimentar pensamentos, SIM! Mas é essencial sentir aquilo que estamos a pensar. É fundamental confiar naquilo em que pensamos. E, para que isso seja possível, muitas vezes precisamos primeiro de lamentar, de nos permitirmos o sofrimento, para que ele seja exteriorizado. E só depois, através do silêncio, chegamos à confiança e ao otimismo.

Porque a verdade é que não estamos sozinhos. Nunca estivemos, e nunca iremos estar.

Rezar é pedir ajuda.

Não são precisas muitas palavras. Um simples "Meu Deus, ajuda-me!" é rezar, quando é dito com total sentimento e entrega ao poder Divino.

"Senhor, tende piedade de nós." é uma das mais poderosas orações.

 

Dica útil:

Uma forma de rezar em momentos de aflição consiste em inspirar fundo enquanto diz "Jesus Cristo, Filho de Deus", e expirar soltando o ar enquanto diz "Tem piedade de mim, vem ajudar-me.".

Poderá substituir estas por outras palavras que façam sentido para si. Mas combinar a prece com a respiração, e repetir durante alguns minutos, ajuda a sua mente a serenar e, a partir daí, a recuperar as forças de que tanto precisa.

Poderá, também, inspirar e expirar enquanto diz, em vez de frases, palavras, como "amor", "paz", "luz", ou aquilo que fizer sentido para si.

 

Ler a Bíblia ou ler orações antigas, pode ajudar a enfrentar períodos difíceis como aquele que estamos a viver, pois mostra-nos que outras gerações já enfrentara pragas e dificuldades e que, apesar delas, a Humanidade conseguiu reerguer-se.

Ter fé é também compreender e aceitar que o nosso caminho não é nem poderá ser sempre fácil. A nossa vida é feita de um misto de felicidade e de sofrimento - ambos estão ligados e fazem parte do nosso processo de evolução enquanto almas. Somos confrontados com desilusões, contradições e injustiças, mas elas servem para nos obrigar a reagir, para nos ensinar, para de alguma forma nos ajudar a sermos mais fortes.

Oração a Nossa Senhora dos Remédios

 

Se estiver a atravessar um período de sofrimento ou se tem um grande desgosto guardado no seu coração, peça a Nossa Senhora dos Remédios que lhe traga a paz e a confiança. 

Oração a Nossa Senhora dos Remédios para acabar com o sofrimento

Virgem Santíssima, Rainha do Céu e da Terra,
Senhora dos Remédios,
traz o remédio para os meus males,
as minhas dores e aflições.
Seca as minhas lágrimas
e liberta o meu coração desta dor
que me pesa no peito.
Eu te louvo e agradeço,
Senhora dos Remédios,
pela doce cura que me trazes,
pelo alento e pela coragem
com que agora vivo cada novo dia.

Ámen. 

Pedido aos Anjos da Família para ter harmonia e união

 

O Natal é o período em que a família se reúne e em que o amor e a compreensão devem falar mais alto. Se isso não acontecer, peça ajuda aos Anjos da Família para que restabeleçam a paz, a união e a harmonia entre todas as pessoas da sua família.

A família é o grupo especial de almas que Deus nos deu para amar por toda a vida, e a nossa história está intimamente ligada à dela. Agradeça todos os dias pela família que tem, pelo amor que vos une, pelas bênçãos que recebem. Mesmo que um ou mais familiares não tenha consigo a relação de harmonia que gostaria de ter, agradeça aos Anjos e a Deus pela oportunidade de crescimento que essas almas trazem à sua própria evolução espiritual. Reze, com fé no coração, sempre que estiver inquieto ou preocupado com alguma situação familiar. Eu peço ao Anjo Gabriel que zele pelos meus filhos e netos, pelo meu marido e por mim, e por isso tenho visto muitos milagres acontecerem na minha vida.

Segundo a Bíblia, o Arcanjo Gabriel apareceu a Maria para lhe anunciar que daria à luz Nosso Senhor Jesus Cristo, razão pela qual é chamado "o Anjo da Anunciação". O seu nome significa "força de Deus", ou "Deus é a minha força", sendo o portador das boas notícias. Associado à luz branca da purificação, este Arcanjo ajuda-nos a ouvir o coração e a agir da melhor forma. É muitas vezes representado segurando lírios na mão, os quais simbolizam a pureza. Outras vezes, surge com uma pena e um papel, já que este Arcanjo é também o protetor da comunicação, ajudando-nos a expressarmo-nos. Peça-lhe ajuda para resolver mal-entendidos e problemas de comunicação entre a família, pois Gabriel ajudará a que superem as diferenças e vivam em harmonia, facilitando o diálogo e o entendimento entre todos.

Oração aos Anjos Guardiões

Divinos Mensageiros, Anjos Guardiões,
enviados de Deus para protegerem a minha família,
nas vossas douradas asas entrego
as pessoas que mais amo.

Com todo o coração vos agradeço por nos guiarem
sempre no caminho do amor, do bem
e da verdade.

Obrigada por nos manterem em união,

por fazerem com que a paz e a harmonia
orientem as nossas acções
e por nos defenderem em todas as horas.

Que a luz do vosso amor e da vossa bondade
seja sempre a chama ardente
a iluminar os nossos corações.

Assim seja.

 

Oração ao Arcanjo Gabriel para manter a família unida

São Gabriel Arcanjo, mensageiro de Deus,
envia-me a tua luz radiosa
e envolve com ela toda a minha família.

Obrigada por nos manteres unidos
e por fazeres sempre falar mais alto
a voz do amor, do entendimento e da harmonia.

Obrigada por nos fazeres superar todas as diferenças
e nos lembrares que a força da união
nos conduz a todas as vitórias.
Ámen. 

 

11 de Novembro - Dia de São Martinho

 

"No dia de S. Martinho, vai à adega e prova o vinho." O dia de São Martinho é celebrado a 11 de Novembro e traz consigo o ritual de fazer um magusto - assar castanhas e comê-las numa celebração com amigos e familiares e, também, de provar o vinho novo da colheita do verão anterior. O fenómeno do "verão de São Martinho" - nesta altura costumamos ser brindados com alguns dias de sol - está relacionado com a lenda deste bom santo. Conheça esta história que aquece os corações!

Conta a lenda que num chuvoso e frio dia de Novembro um nobre soldado romano, ao regressar a casa depois de uma dura e longa batalha, encontrou um mendigo com as roupas todas rasgadas, cheio de frio e de fome. Sem pensar duas vezes, o soldado pegou na sua aconchegante capa de lã e com um rápido golpe de espada cortou-a ao meio, dando uma das metades ao pobre homem. Este ficou muito emocionado e revelou-lhe que muitas pessoas haviam passado por ali, mas nenhuma delas tinha sequer olhado para ele.

O soldado, apesar de  cansado da longa e dura batalha que travara, apiedou-se do homem que se encontrava no caminho e, como recompensa, Deus fez com que a chuva e o vento parassem. As nuvens abriram e deram lugar a um sol radioso que os aqueceu e secou. Este homem chamava-se Martinho e, a partir desse dia, e durante pelo menos três dias, o sol aquece o frio e chuvoso mês de Novembro. É o chamado Verão de São Martinho.

 

São Martinho nasceu na actual Hungria, no ano de 313, em pleno domínio romano. Este Santo lutou contra tudo e contra todos, inclusive contra o seu próprio pai, para defender a sua vocação e a sua crença em Deus. Apesar de ter feito parte de um contingente militar romano, para agradar a seu pai, São Martinho nunca deixou de defender os fracos e oprimidos e de lutar contra a injustiça.

Ao chegar à conclusão que a sua vida não tinha sentido, Martinho abandonou o exército e partiu de casa, abraçando uma vida de isolamento e reflexão. Desenvolveu um importante trabalho de evangelização, ajudando a converter ao Cristianismo inúmeros povos.

É habitual festejar-se o Dia de São Martinho comendo castanhas e bebendo água-pé. Aparentemente não existe uma relação directa entre estes acontecimentos. Pensa-se, no entanto, que a tradição teve a sua origem porque em Novembro é a época das castanhas, coincidindo com o final das vindimas e com a preparação dos primeiros vinhos. E os ditados populares não nos deixam dúvidas:

“No Dia de S. Martinho, lume, castanhas e vinho.”

"Por S. Martinho semeia fava e o linho.

"Se o inverno não erra o caminho, tê-lo-ei pelo S. Martinho."

"No dia de S. Martinho, castanhas, pão e vinho."

"No dia de S. Martinho com duas castanhas se faz um magustinho."
 

Oração a São Martinho

Meu querido São Martinho
Tu que és protetor das causas difíceis
E defensor dos oprimidos,
Neste teu dia peço-te que me protejas
Assim como a minha família
E que intercedas por nós a Deus
Para que ele nos dê o melhor,
Pois sei que a tua fé no Senhor
É grande e que rogarás por nós.

 

 

Oração a Nossa Senhora de Fátima

nossa-senhora-de-fatima-15123.jpg

A 13 de Outubro celebra-se uma efeméride muito importante ligada ao milagre de Nossa Senhora de  Fátima: a última aparição de Fátima. A 13 de Outubro de 1917 uma multidão de pessoas foi à Cova da Iria e assistiu ao milagre do Sol: a chuva parou e o sol girou três vezes sobre si próprio, lançando feixes de luz coloridos, até parecer despegar-se do firmamento e cair sobre a multidão.

Nossa Senhora pediu que fizessem ali uma capela e que rezassem o terço todos os dias pela redenção dos pecadores. Anunciou que a guerra iria terminar, mas que se o pecado permanecesse entre os homens viria outra guerra. 

Oração a Nossa Senhora de Fátima

Minha querida Nossa Senhora de Fátima
Virgem Maria, Mãe de Deus,
Rogai por Nós.
Fica sempre ao meu lado, Tu que és Mãe,
ajuda-me a educar os meus filhos
dentro da Verdade e da rectidão,
faz com que eu saiba passar-lhes
os verdadeiros valores da Vida, que são:
Honestidade, Confiança,
Respeito e Amor ao próximo.

Ritual atrair o amor

 

Este Ritual especial para 2 corações apaixonados vai atrair o amor de quem mais deseja e fará com que tenha um romance feliz.

 

 

Precisa de:
- 2 velas lamparinas vermelhas
- 1 taça grande
- 2 chávenas de leite
- 2 colheres sopa de mel
- 2 colheres chá de canela
- 2 rosas vermelhas
- 2 Hematites Magnéticas

 

Preparação:

  1. Acenda as velas lamparinas vermelhas
  2. Misture o leite, o mel e a canela dentro da taça para preparar o seu banho de amor.
  3. Desfolhe as duas rosas e deite as pétalas no leite.
  4. Pegue nas duas hematites e diga em voz alta, enquanto as une.

"Que o Poder do Amor
atraia quem mais desejo.
Que seja suave como o leite,
doce como o mel,
perfumado como as rosas,
ardente como estas velas
e bom como a canela."


5. Tome um duche e derrame a mistura de leite do seu pescoço para baixo. Limpe com cuidado, sem passar por água.
6.  Quando as velas terminarem de arder, deite fora os restos.
7.  Coloque as hematites no seu quarto.