Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Astrologia

Organizando o seu pensamento!

Por Bráulio Candian Jr., empresário, Diretor Executivo da empresa MACROLAZER, no Brasil, especializado em Administração do Lazer e Qualidade de Vida, Coaching Executivo e Practitioner em PNL.

E-mail:  candianjr@yahoo.com.br

 

Para concluir o tema central que discutimos por aqui em várias edições, quero trazer uma reflexão extremamente importante para que possa efetivamente ter o controle da sua vida e com isso, como o título dos nossos artigos sugerem, VIVA MAIS E MELHOR.

 

Desde o primeiro artigo, procurei mostrar o quanto amplo era discutir sobre esse tema e que dividiria em partes como um quebra-cabeças, e a cada edição juntar mais um pedacinho para assim podermos termos uma visão mais abrangente.

 

 

 

Falamos sobre a longevidade dos dias de hoje e como isso impactará na nossa vida daqui para frente, e com isso conectamos imediatamente para temas como a nossa saúde, a nossa qualidade de vida, equilibrando a carreira e família, o que nos conduz a refletir em gestão do nosso tempo e as suas divisões como tempo de trabalho e também tempo de  lazer. Falámos de muita coisa importante, sem esquecer de como nos relacionamos neste mundo onde as relações virtuais parecem por momentos estar à frente das relações reais. Perguntando-nos sempre: - E a nossa felicidade? – Somos Felizes? – O que é felicidade para nós? – E o que precisamos para sermos felizes? Todas essas indagações foram colocadas para que pudesse inspirar-se e promover mudanças que irão contribuir para que tenha uma vida melhor. Mas, como prometi inicialmente quero propor-lhe para refletir COMO ter pontos de partida para todos os aspetos que abordei nas matérias anteriores. O tema em que vamos entrar agora foi deixado para o final exatamente pela sua importância para mostrar soluções fundamentais para criar o seu mapa de ações daqui para frente. Vamos falar hoje sobre a GESTÃO DO PENSAMENTO.

 

Não é novidade para ninguém, o volume de informações que recebemos diariamente das mais diferentes fontes como TV, Rádio, Jornais, Revistas e principalmente pela internet. O nosso quotidiano é bombardeado por um volume cada vez maior de informações e, muitas vezes, stressamo-nos por não darmos conta de tantas notícias, e-mails, redes sociais, novidades tecnológicas e mudanças que geram impactos na nossa vida.

A forma como os nossos filhos estudam, aprendem e se relacionam, seguramente não é parecida com a que vivemos na nossa época e frustramo-nos, muitas vezes, por não conseguirmos acompanhar essa velocidade e entender efetivamente as novas linguagens.

 

Pergunto:
Quantas horas gastamos na nossa vida inteira a estudar Matemática? E História?  Português? Geografia? Química?
Física? Resposta: Certamente cada uma delas consumiu milhares de horas do nosso tempo e muitas noites de sono, não é verdade?

E pergunto agora, quantas horas gastou até hoje a estudar o seu cérebro e a sua mente?  E gostaria que refletisse também quem é o nosso Gestor do Conhecimento? Acertou se respondeu que é o nosso CÉREBRO, que por consequência dirige a nossa mente e os nossos pensamentos.

 

Mas então pergunto-lhe quem é o Chefe do Gestor do Conhecimento? Resposta: Sim, claro, somos nós o chefe do gestor do conhecimento. Mas como podemos ser chefe do gestor do conhecimento, se não sabemos como ele funciona. Imagine ser convidado para dirigir uma empresa sem a conhecer profundamente! Como irá conseguir gerir os empregados? O mesmo se passa connosco, como dirigir a nossa mente e assumir a gestão dos nossos pensamentos?

 

 

O desafio de hoje lhe proponho é:  PENSAR O PENSAMENTO e com isso poder dirigir a sua vida com maior poder e autonomia, atingindo resultados que não conseguia de forma alguma, pois sempre foi boicotado pela sua mente manifestada pela falta de vontade, falta de perseverança e falta de atitude. Isso pode mudar na sua vida, depende de realmente QUERER assumir o controle. Tenho certeza que agora posso ter criado uma confusão enorme na sua forma de ver as coisas e convido-o a parar por alguns instantes, fechar os olhos e tentar lembrar-se de situações em que se frustrou por não tomar atitudes mais pontuais  e assertivas ou mesmo por não ter reagido  a determinadas situações.

Pense também POR QUE, muitas vezes, não consegue ter força de vontade para fazer uma dieta ou mudar hábitos? POR QUE não têm o comando dos seus Pensamentos? Novamente, levando para o exemplo de uma empresa, pense como dono de uma empresa onde os seus funcionários é que mandam, porque não sabe dar as ordens adequadamente.

 

Por isso convido-o a procurar estudar a sua mente, lendo mais sobre o tema, procurar interessar-se por publicações, frequentar cursos e palestras que
abordem o tema. Tudo isso irá abrir-lhe ainda mais a visão sobre como efetivamente funciona o seu cérebro e os comandos que deve acionar para
conseguir resultados.

Mas fica uma receita simples para começar a ser o chefe dos seus pensamentos e com isso promover as mudanças que sempre quis na sua vida.

O exercício é muito simples. Vamos criar espelhos da sua mente, e assim como se olha no espelho e vê o seu corpo, aprenderá a ter um espelho da mente refletido externamente o que se passa internamente na sua mente. Como disse, o exercício é simples e basta uma folha de papel e caneta. Coloque no alto da folha um tema que queira pensar. Escreva em Letras grandes o seu tema.

 

Exemplo: A MINHA SAÚDE ( veja que determinou um FOCO).

 

Agora responda às perguntas abaixo, sempre relacionadas ao tema que escolheu:

1ª. O QUE EU QUERO FAZER? (A sua meta para o tema)

2ª. POR QUE EU QUERO ISSO?( O meu valor e motivação)

3ª  O QUE É COMO EU VOU FAZER  ISSO ? (O meu Plano de ação)

4ª SE EU TIVER DIFICULDADE QUE OUTRAS COISAS POSSO FAZER? ( O meu plano B)

 

Lembre-se para que cada tema, escreva essas perguntas e responda também escrevendo e depois leia em voz alta, pois assim estará a dar comando (ordens) ao seu cérebro e a conduzir os seus pensamentos. Estará sempre a olhar literalmente de frente para as suas expectativas e com isso poderá criar o hábito de dar comandos aos seus pensamentos. Como outros temas importantes para sua vida sugiro: O MEU TEMPO LIVRE, A MINHA VIAGEM DE FÉRIAS, A MINHA DIETA, COMPRAR O MEU APARTAMENTO, COMPRAR O MEU CARRO, FAZER O MEU CURSO DE... Os temas serão obviamente os mais importantes na sua vida e as perguntas são flexíveis e você mesmo poderá moldá-las desde que entenda que elas deverão determinar Meta, Valor, Motivação, Plano de Ação e Plano B ou Plano Alternativo. Com esse exercício simples, com certeza, já verá transformações, pois agora é consigo. Assuma de uma vez o controle da sua vida. Isso irá aumentar a sua autoestima, autoconfiança e gerar um sentimento de realização pessoal.

Outro conselho importante: Não faça apenas esses exercício, mas ensine também a alguém, pois quanto mais ensinar, mais conseguirá dominar o tema. Espero ter conseguido mostrar a importância de você mesmo ser o Gestor do seu Pensamento e com isso realmente poder VIVER MAIS E MELHOR, com metas claras e realistas.  

 

 

 

Tempo de Lazer…Viva mais e melhor!

Por Bráulio Candian Jr., é empresário, Diretor
Executivo da empresa MACROLAZER, no Brasil, especializado em Administração do
Lazer e Qualidade de Vida, Coaching Executivo e Practitioner em PNL.

 

Partilhe as suas opiniões comigo através do e-mail: canduanjr@yahoo.com.br

 

Nas edições anteriores sobre o tema “Viver Mais e Melhor, analisámos vários aspectos que considero importantes para permitir aos que partilham comigo esta leitura possam sentir-se motivados para reflectir sobre acções que possam promover melhoras no seu dia-a-dia e, principalmente, ajustes que tragam novas perspectivas e resultados ainda melhores para equilibrar a vida e ampliar o sentimento de felicidade.

Apenas para recordar, falámos em artigos anteriores sobre temas como longevidade, cuidados com a saúde, alimentação - não apenas no aspecto de equilíbrio ou nutrição, mas alimentação como alquimia para melhores relacionamentos - além de termos abordado também aspectos importantes da nossa vida profissional e como a carreira exerce também uma importância na nossa vida. Falámos também sobre felicidade e demos uma leve, mas muito branda abordagem, sobre a Gestão do Tempo. Porém, trata-se de um tema fundamental, pois para discutirmos a qualidade das nossas vidas, teremos que discutir a qualidade do uso de nosso tempo e iremos dedicar esta edição e a próxima focando esse tema, o Tempo.


E dentro do conteúdo TEMPO, gostaria de abordar um assunto que particularmente me fascina e o qual tenho pesquisado e estudado, tornando-se  a base para a realização dos meus projectos, nos últimos 30 anos. Vamos falar do LAZER, tema que a grande maioria das pessoas ainda desconhece o sentido e cujo o impacto social da sua aplicação correcta pode melhorar,  muito, o quotidiano de uma pessoa, da família, da empresa e da comunidade e a sua importância para o equilíbrio da saúde, dos relacionamentos e das actividades tradicionalmente stressantes.

 

Mas o que é LAZER?

Muitos fazem-me essa pergunta em palestras e respondo de forma simples que LAZER quer dizer TEMPO LIVRE BEM APROVEITADO COM ACTIVIDADES À SUA ESCOLHA. Ou seja, todas as actividades em que participar por vontade própria, no seu tempo livre, é Lazer. Ler um livro é uma actividade de Lazer, assim como fazer uma viagem, praticar um desporto, ir ao cinema, a uma festa, etc. Lazer tem origem no latim “LICERE” que quer dizer, ser permitido. Quando você se permite fazer aquilo que gosta no seu tempo livre, realizou uma actividade de lazer.


Mas para entender é igualmente importante separar bem as coisas, pois LAZER é aquele tempo realmente seu, onde realmente decide o que fazer. Não confunda com os períodos livres do trabalho ou da escola, os quais na realidade são intervalos e nos quais não tem a liberdade de escolha, pois está limitada ao tempo que pertence às suas actividades profissionais ou de estudo e portanto não é LAZER.

 

Quando entende isso, percebe o quanto somos sufocados pela falta de lazer real. O nosso tempo de 24 horas, universal para todos, deveria em tese ser dividido em 8 horas de trabalho, 8 horas de sono e 8 horas divididas para os deslocamentos, refeições, higiene pessoal e para o lazer. Mas se fizermos uma equação simples de 3 horas para 3 refeições diárias, 1hora para actividades de higiene pessoal e 2 horas para os deslocamentos, verá que restou apenas 2 horas diárias de segunda a sexta-feira para o nosso tempo livre. Mas espere um pouco... E os estudos? Como sobrar tempo? Mesmo aqueles que já concluíram a universidade, estão às voltas com mestrados, pós-graduação ou mesmo cursos complementares aos fins-de-semana? Sim, muitos já estão a entrar nos fins-de-semana como alternativa para cursos complementares.

Perguntamos então como pensar em LAZER se não nos sobra tempo nem para comer ou dormir adequadamente? E se até os fins-de-semana começaram a serem preenchidos com tarefas que não conseguimos cumprir na semana, como resolver essa complicada equação social das nossas vidas? FIQUE TRANQUILA... Boas notícias.... Tudo tem solução e ao longo deste artigo iremos apresentar algumas sugestões para reduzir essa angústia que o sentimento da falta de tempo nos proporciona.

O destaque desta artigo, cara amiga, é justamente provocá-la para reflectir na gestão do seu tempo, pois cada um tem uma rotina e as suas respectivas PRIORIDADES.  Da mesma forma como planeia a gestão financeira da sua vida dividindo o seu salário entre as suas prioridades (e que
geralmente entra em défice), iremos discutir maneiras para que o seu lazer encontre espaço, pois ele é um combustível para que tenha mais energia para realizar as outras actividades. Sem a consciência da importância vital que o lazer tem na sua vida, o resultado será uma vida stressada, frustrante e vazia. E pior... sem saber para onde ir! Agora, reflicta comigo: - Qual a sensação que tem quando termina uma actividade desportiva que gosta, ou
mesmo quando sai de uma festa com seus amigos e amigas? Uma actividade onde deu boas risadas e falaram de tudo (menos do trabalho, claro...), enfim extravasaram os vossos sentimentos e com certeza as sensações mais comuns são de alívio, alegria, relaxamento, felicidade e principalmente... de ter esquecido dos chamados aborrecimentos do quotidiano como trabalho, contas para pagar, problemas familiares, provas na escola e tantos outros... E olhe que nem mencionei férias e os passeios de fim de curta duração! Para conhecer ainda um pouco mais sobre o lazer, podemos dizer que em relação às actividades que realizámos nesse tempo livre, cujo termo seria recreação, ou seja, o conjunto das actividades realizadas no tempo livre. Recreação, também tem origem no latim “ re-creare”, (recriar, recuperar). Como já mencionámos, o lazer tem a função de recuperar as suas energias, de renovar a sua alma, de onde temos outra palavra em latim, “ANIMA” e de onde encontramos a nossa conhecida palavra chamada ANIMAÇÃO


As actividades de lazer, portanto podem ser: actividades culturais, artísticas, desportivas, físicas, turísticas, sociais e recreativas. E como saber que tudo isso poderá ajudar? Simples. Quando tem a real dimensão do que faz e porque faz ou como deveria e poderia fazer, o seu poder de gestão aumenta, alimentando decisões mais assertivas, mais pontuais e mais conscientes do acerto. Mas se o LAZER tem esse poder recuperador e tão importante para o sentimento de felicidade, por que então o deixamos sempre como a última prioridade? E PRIORIDADE é a palavra-chave quando falamos em cuidar do nosso tempo. A gestão do tempo, nada mais é do que estabelecer prioridades claras para si. Por isso conhecer os conceitos e o impacto do lazer faz a diferença, pois irá perceber como poderá recuperar energia e promover uma renovação na sua vida com soluções simples, mas conscientes. Como falei anteriormente vamos partir para as soluções e a primeira delas será fazer um balanço, uma contabilidade, não das suas finanças, mas do seu tempo, como se ele fosse uma moeda. Não é por outra razão que dizem há muito que TEMPO É DINHEIRO.
 

Pegue uma folha de papel na horizontal e faça colunas, de segunda a domingo, e anote nelas os seus tempos fixos (trabalho, escola, cursos etc) e os tempos variáveis (ida e volta ao trabalho, escola, refeições, sono, banho etc). No final da folha coloque o tempo total gasto para que tenha uma noção exacta do que terá de tempo para planear as suas actividades complementares e actividades de lazer.

 

Comece a reflectir depois de olhar para essa folha completa. Com certeza já perceberá como ajustar e mudar certas actividades economizando tempo para gastar com outras actividades. Trabalhar essa conscientização fará toda diferença na sua vida. Pense nisso! Na próxima edição iremos
falar de como ajustar a sua contabilidade do tempo e como usar outras ferramentas para planear ainda mais as suas acções. Falaremos também sobre o ócio e de como reconhecer e combater a perda de tempo tornando-se mais eficiente e ganhando maior produtividade.

Sucesso!!!

 

 

VIVA MAIS E MELHOR (continuação)

 Sedentarismo é o nosso grande inimigo

O tempo cobra do corpo um preço alto. A partir dos 30 anos, o metabolismo fica mais lento, a capacidade pulmonar diminui, coração e vasos sanguíneos perdem elasticidade. Ossos e articulações tornam-se mais frágeis, o que mais tarde pode comprometer a mobilidade e o bem-estar. Combater de maneira eficaz os efeitos da idade é um dos grandes desafios da medicina. Para os especialistas, o recurso que mais se aproxima de um elixir da juventude é simples: a prática regular de exercícios físicos. Os médicos são unânimes em afirmar que as pessoas que se exercitam vivem mais e com melhor qualidade. 

 

Como escolher o exercício ideal? Depende do gosto de cada um, mas os que mais ajudam a melhorar a saúde física e a desenvolver a capacidade cardiorespiratória são os aeróbicos, ou seja, aqueles que fazem suar.

 

Muita gente tem dificuldade em conciliar as actividades diárias com a prática de exercícios físicos. Vale a pena tentar, já que os riscos do sedentarismo são consideráveis. A Organização Mundial de Saúde recomenda a prática de, no mínimo, vinte minutos de actividade aeróbica vigorosa – como a corrida – três vezes por semana. O sedentarismo, somado a outros factores de risco, como o fumo ou os maus hábitos alimentares, pode resultar em doenças como a hipertensão e favorece a ocorrência de derrames.

 

  • E quais seriam as recomendações de quem parece não envelhecer?

 

A genética ajuda, mas não faz milagres. O visual jovem depende de muitos factores.

A ciência diz que diversos factores concorrem para a aparência física, entre eles a predisposição genética, a alimentação e os níveis de stress. Há muitas outras variáveis, como o clima em que se vive e até os remédios que se tomam. Como cada um envelhece de uma maneira, não há receita única para preservar a aparência com o passar dos anos.

A maioria das pessoas que parece mais jovem, costuma cultivar hábitos que favorecem essa característica.

Se conversarmos com essas pessoas iremos perceber que eles possuem em comum aspectos como cuidado com o tipo de alimentação, prática de actividade física regular desde a juventude, atitudes positivas em casa e no trabalho e principalmente, cultivam relacionamentos de amizade e uma boa vida social. Os amigos exercem um papel fundamental na qualidade de vida e no sentimento de felicidade.  

 

  • Falar em Felicidade – a nossa percepção

 

A nossa percepção é a nossa Bússola, que nos mostra a todo o momento a direcção a seguir, o nosso norte. Para isso é preciso que tenhamos todos os nossos sentidos aguçados para percebermos as mensagens que recebemos do Universo.

 

A todo o momento são-nos passadas várias mensagens, sejam através das leituras em livros, publicações, mensagens que recebemos dos amigos, ou mesmo através de inspiração quando assistimos a um filme ou mesmo em conversas no trabalho. Tudo pode inspirar-nis se estivermos com os nossos "radares e sensores ligados".

 

Os nossos filhos, os nossos companheiros, a nossa família, são sinais constantes e se estivermos receptíveis a eles iremos perceber o mundo a girar à nossa volta e com isso promover atitudes que nos permitirão sentir o
significado da vida, de estarmos a viver, de estarmos em evolução constante.

 

Estudos recentes que associam o modo de vida à longevidade mostram que as relações afetivas são tão determinantes para ganhar anos a mais no calendário quanto os cuidados com a saúde. Os casados, desde que mantenham uma relação harmoniosa com o cônjuge, vivem mais que os solteiros. Quem tem um círculo de amizades grande e atividade social intensa leva vantagem sobre os solitários. A explicação para isso está nos estímulos positivos que a pessoa recebe nos relacionamentos;

 


  Viver é um espectáculo

 

 

Pode ter defeitos, viver ansiosa, chorar e ficar irritada algumas vezes, mas não se esqueça de que sua vida é o maior tesouro do mundo.

Lembre-se sempre de que ser feliz não é ter um céu sempre azul, caminhos sem obstáculos, trabalhos sem fadigas, relacionamentos sem decepções.

Para falar um pouco de felicidade, deixo um pequeno acrónimo que resume um pouco essa palavra que contém uma amplitude imensa de definições, teorias, poemas e conceitos.

 

Felicidade não é ter um céu sempre azul, caminhos sem obstáculos, trabalhos sem fadigas,  relacionamentos sem decepções.

 

Esperança nas batalhas, segurança no palco do medo.

 

Lembrar-se de agradecer a cada manhã pela vida.

 

Inspiração para perceber a beleza da primavera, alegria do verão, a fertilidade do outono e o aconchego  do Inverno.

 

Comemorar as vitórias, mas aprender lições nos fracassos.

 

Deixar de ser vítima ou réu nos problemas, é tornar-se o autor da própria história.

 

Amar mesmo nos desencontros.

 

Desviar do caminho e começar tudo de novo, se o teu coração mandar.

 

Encontrar em cada cena do quotidiano, motivo para se inspirar e SER FELIZ.

 

 

O sentido da vida, em toda a sua amplitude, ainda está muito além da nossa capacidade de compreensão. Talvez a "verdade" seja uma região da qual nos aproximaremos eternamente sem nunca a tocar.

A própria ciência afirma que devemos contentar-nos sempre com verdades parciais. Esta colocação remete-nos a uma nova e instigante especulação: se todo o conhecimento que possuímos é provisório, o futuro reservar-nos-á sempre grandes revelações. Mas um aspecto já se tornou bastante claro. O que dá sentido às nossas vidas, pelo menos no estágio evolutivo em que nos encontramos, é o trabalho, particularmente o trabalho construtivo, realizado com criatividade e altruísmo. 

 

VIVA MAIS E MELHOR

 

Por Bráulio CANDIAN Jr. Director Executivo da empresa MACROLAZER, no Brasil, especializado em administração do Lazer e Qualidade de Vida, coaching executivo e practitioner em PNL. Compartilhe suas opiniões comigo através do email candianjr@yahoo.com.br

 

 

 

 

Ao compartilhar estes pensamentos com os leitores, espero poder antes mais, levar um pouco de inspiração e até de provocar uma reflexão sobre a sua vida, as suas rotinas, e desejo do fundo do coração que as mudanças possam ser feitas, se assim for seu desejo.

 

 

 

Falar sobre a vida talvez seja um dos temas mais complexos e amplos da literatura humana, tal a quantidade de mistérios, descobertas e pesquisas diárias que muitas vezes nos fazem rever tudo aquilo que tínhamos como certo e seguro. Nestas poucas páginas quero
convidá-la para reflectir sobre a sua vida, da sua família, dos seus amigos, colegas de trabalho e humanidade. Falar de vida é falar sobre o ser humano, esse complexo produto que veio ao mundo, sem MANUAL de instruções, sem PRAZO de validade e sem  GARANTIAS.
Falar de Viver Mais e Melhor é reflectir sobre verdades pessoais inspiradas naquilo que entendemos, o que nos poderá permitir realizar esta fantástica viagem pela vida com uma das palavras mais complexas do nosso quotidiano, a FELICIDADE.

 

A vida é aquilo que você faz dela!

 

São os sorrisos que deixa com as pessoas de quem gosta, as lágrimas que lhe escapam sem pedir permissão, os olhares que liberta, as palavras e acções que emite… Não adianta esperar um dia melhor amanhã, e não fazer nada para que ele realmente o seja. Tudo depende de si, e de mais ninguém, a vida é sua, é o seu momento, se não der tudo de si e viver, ninguém pode fazer isso por si.


 

Quase todas as pessoas sonham com uma vida melhor, o que significa qualidade de vida, prazer, felicidade... isso é na verdade estar bem consigo, em qualquer circunstância. Essa definição é individual, porque depende da personalidade, projectos, expectativas, experiências, crenças, valores , desejos...

Na verdade todos temos a percepção dos sinais indicadores do momento de mudar de rumo ou seguir em frente, basta estarmos atentos a isso e agir na hora certa.

A felicidade pode ser momentanea, pode ser duradoura ou simplesmente não existir, o que também é individual.

É preciso descobrir se somos felizes, se estamos felizes ou do que precisamos para sermos felizes.

 

A boa noticia é que se estamos infelizes ou somos infelizes é hora de pôr as mãos na massa e conquistar, construir a sua felicidade.

Ajude-se a si mesma, tenha ânimo e persistência:

1- Elimine o SE, e também lamentações do passado, desprenda-se , use os erros como aprendizagem e viva HOJE!

 

2- Aceite-se e lembre-se que todos têm defeitos, melhore o seu amor-próprio, eleve a sua auto-estima.

 

3- Esteja aberta a novas ideias, a vida é dinâmica! Recicle conceitos, inove... sem agredir os seus valores e desejos. 

 

4- Seja moderada, pois assim encontrará o equilíbrio para qualquer situação.

 

5- Trabalhe sem se escravizar, encontre prazer no que faz , e não sacrifique aspectos importantes da sua vida.

 

6- Aprenda a dizer não quando necessário. Não comprometa a sua saúde física e mental sobrecarregando-se.

 

7- Não adie soluções, resolver os problemas é melhor do que fugir, e cada um resolve os seus próprios problemas.

 

8- Dê prioridade a si, é possível encontrar prazer nas coisas simples da vida. Encontre na sua rotina atitudes que gerem prazer...

 

9- O autoconhecimento eleva a auto-estima, quem os tem não se abate facilmente. Identifique e valorize apenas o que realmente é importante.

 

10- É preciso reaprender a viver para fazer alguns ajustes e conquistar ou construir uma vida mais feliz. Não é uma tarefa fácil, mas é possível. Com dedicação e afinco praticamos atitudes que geram equilíbrio, fatores fisiológicos (actividade física, alimentação equilibrada e boa qualidade de sono), basta acrescentar o maior tempo possível para o lazer, o que favorece maior rendimento profissional e intelectual e apresenta menor taxas de stress.

Vamos falar um pouco de cada um dos fatores que nos permitirão ver os caminhos para VIVER MAIS E MELHOR.

 

O EFEITO LONGEVIDADE:  Os "SEM IDADE"

 

Nas últimas três décadas, a expectativa de vida aumentou mais do que em qualquer outro momento da história, na maioria dos países. Essa evolução fez com que o próprio conceito de velhice fosse reformulado. Já não se espera dos sessentões que se reformem e passem os dias de pijama numa cadeira de baloiço. Cada vez mais há mais reformados que voltam ao mercado de trabalho por motivos diversos, tal como manter-se actualizados ou aumentar os rendimentos. O aumento da longevidade propiciou o surgimento de outro fenómeno, desta vez no terreno do comportamento - o de pessoas maduras que cruzam as fronteiras entre as gerações e não agem apenas, mas também se sentem como se fossem mais jovens.

São homens e mulheres que já passaram dos 40 ou 50 anos, gozam de boa saúde, disposição e acreditam que os hábitos de vida e a forma de se expressarem não deve estar conectada à idade, mas sim à personalidade de cada um. Os americanos, sempre rápidos em dar nome aos fenómenos culturais, chamam-lhes de ageless (sem idade, em português).  

 

"No mundo de hoje, em que vivemos mais e melhor, a idade cronológica deixou de ser tão relevante para determinar o modo de vida de uma pessoa. O que mais importa é sua capacidade no terreno funcional, social e emocional", diz o gerontologista carioca Alexandre Kalache, conselheiro da Academia de Medicina de Nova York e ex-diretor do programa de envelhecimento da Organização Mundial de Saúde. Com esta espécie de democratização da juventude, produtos e serviços, antes direccionados exclusivamente ao público adolescente ou jovem, começam a ganhar adeptos entre os mais velhos.

 

"Os ageless rompem com o padrão convencional em que o comportamento é ditado pela faixa etária",diz a inglesa Ruth Marshall, da consultoria

internacional WGSN, especializada na análise e previsão de tendências de consumo.

 

A ascensão dos sem-idade pode ser notada na publicidade. Grande parte dos anúncios deixou de se dirigir ao público com mais de 50 anos com base na noção obsoleta de que ele só consome cremes anti-rugas, tinta para cabelo e fixadores de dentadura. O público com mais de 50 anos é hoje o grande centro de mudanças na publicidade.

 

Independentemente do comportamento que se adopte, toda a gente quer passar os anos a mais ganhos no calendário com boa qualidade de vida, livre das doenças associadas à velhice. Resumidamente, queremos registrar algumas mudanças que mostram claramente os diferentes comportamentos que percebemos e que influencia directamente toda a cadeia de negócios, media e tantas outras que poderíamos chamar de O EFEITO LONGEVIDADE.

  • Saúde

 

A fantasia de permanecer jovem para sempre, acompanha o homem, provavelmente, desde o início da civilização. Embora seja impossível deter a marcha do calendário, nos últimos 100 anos a medicina deu passos largos no sentido de retardar processos ligados ao envelhecimento. 

Primeiro vieram as melhorias nas condições sanitárias, a descoberta das vacinas, a invenção dos antibióticos e dos recursos para combater doenças como o diabetes, os males cardíacos e alguns tipos de cancro. Todos estes avanços resultaram na adição de anos na expectativa de vida da população. Agora, está em curso um novo e revolucionário capítulo da ciência da longevidade. O que se procura é proporcionar qualidade de vida e uma existência feliz às populações que estão a viver mais.

 

As doenças crónicas do coração e dos pulmões, bem como as artrites, aparecem, hoje, entre dez e 25 anos depois do que surgiam em gerações passadas. Os 60 anos de idade são os novos 50. Os 50, os novos 40, e assim por diante. ste actual cenário, em que os males associados à idade chegam cada vez mais tarde, promove mudanças profundas na maneira de encarar o envelhecimento.

 

Recentemente, descobriu-se que o envelhecimento, ao contrário do que se acreditava, não é produto de uma única variável, mas de uma equação complexa. Nela incluem-se factores tão diferentes quanto os genes, a alimentação e a quantidade de exposição ao Sol, ao longo da vida. Sabe-se, também, que o peso de cada um dos factores para o ritmo com que um organismo perde o viço não segue um único padrão – ele muda de pessoa para pessoa.

 

· Sedentarismo é o nosso grande inimigo

O tempo cobra do corpo um preço alto. A partir dos 30 anos, o metabolismo fica mais lento, a capacidade pulmonar diminui, coração e vasos sanguíneos perdem elasticidade. Ossos e articulações tornam-se mais frágeis, o que mais tarde pode comprometer a mobilidade e o bem-estar. Combater de maneira eficaz os efeitos da idade é um dos grandes desafios da medicina. Para os especialistas, o recurso que mais se aproxima de um elixir da juventude é simples: a prática regular de exercícios físicos. Os médicos são unânimes em afirmar que as pessoas que se exercitam vivem mais e com melhor qualidade.  

 

Como escolher o exercício ideal? Depende do gosto de cada um, mas os que mais ajudam a melhorar a saúde física e a desenvolver a capacidade cardiorespiratória são os aeróbicos, ou seja, aqueles que fazem suar.

 

Muita gente tem dificuldade em conciliar as actividades diárias com a prática de exercícios físicos. Vale a pena tentar, já que os riscos do sedentarismo são consideráveis. A Organização Mundial de Saúde recomenda a prática de, no mínimo, vinte minutos de actividade aeróbica vigorosa – como a corrida – três vezes por semana. O sedentarismo, somado a outros factores de risco, como o fumo ou os maus hábitos alimentares, pode resultar em doenças como a hipertensão e favorece a ocorrência de derrames.

 

  • E quais seriam as recomendações de quem parece não envelhecer?

 

A genética ajuda, mas não faz milagres. O visual jovem depende de muitos factores.

A ciência diz que diversos factores concorrem para a aparência física, entre eles a predisposição genética, a alimentação e os níveis de stress. Há muitas outras variáveis, como o clima em que se vive e até os remédios que se tomam. Como cada um envelhece de uma maneira, não há receita única para preservar a aparência com o passar dos anos.

A maioria das pessoas que parece mais jovem, costuma cultivar hábitos que favorecem essa característica.

Se conversarmos com essas pessoas iremos perceber que eles possuem em comum aspectos como cuidado com o tipo de alimentação, prática de actividade física regular desde a juventude, atitudes positivas em casa e no trabalho e principalmente, cultivam relacionamentos de amizade e uma boa vida social. Os amigos exercem um papel fundamental na qualidade de vida e no sentimento de felicidade.   

 

  •  Falar em Felicidade – a nossa percepção

 

A nossa percepção é a nossa Bússola, que nos mostra a todo o momento a direcção a seguir, o nosso norte. Para isso é preciso que tenhamos todos os nossos sentidos aguçados para percebermos as mensagens que recebemos do Universo.


 

A todo o momento são-nos passadas várias mensagens, sejam através das leituras em livros, publicações, mensagens que recebemos dos amigos, ou mesmo através de inspiração quando assistimos a um filme ou mesmo em conversas no trabalho. Tudo pode inspirar-nis se estivermos com os nossos "radares e sensores ligados".

 

Os nossos filhos, os nossos companheiros, a nossa família, são sinais constantes e se estivermos receptíveis a eles iremos perceber o mundo a girar à nossa volta e com isso promover atitudes que nos permitirão sentir o
significado da vida, de estarmos a viver, de estarmos em evolução constante.

 

Estudos recentes que associam o modo de vida à longevidade mostram que as relações afetivas são tão determinantes para ganhar anos a mais no calendário quanto os cuidados com a saúde. Os casados, desde que mantenham uma relação harmoniosa com o cônjuge, vivem mais que os solteiros. Quem tem um círculo de amizades grande e atividade social intensa leva vantagem sobre os solitários. A explicação para isso está nos estímulos positivos que a pessoa recebe nos relacionamentos;

 

 
  Viver é um espectáculo

 

 

Pode ter defeitos, viver ansiosa, chorar e ficar irritada algumas vezes, mas não se esqueça de que sua vida é o maior tesouro do mundo. 

Lembre-se sempre de que ser feliz não é ter um céu sempre azul, caminhos sem obstáculos, trabalhos sem fadigas, relacionamentos sem decepções. 

Para falar um pouco de felicidade, deixo um pequeno acrónimo que resume um pouco essa palavra que contém uma amplitude imensa de definições, teorias, poemas e conceitos.

 

Felicidade não é ter um céu sempre azul, caminhos sem obstáculos, trabalhos sem fadigas,  relacionamentos sem decepções.

 

Esperança nas batalhas, segurança no palco do medo.

 

Lembrar-se de agradecer a cada manhã pela vida.

 

Inspiração para perceber a beleza da primavera, alegria do verão, a fertilidade do outono e o aconchego  do Inverno.

 

Comemorar as vitórias, mas aprender lições nos fracassos.

 

Deixar de ser vítima ou réu nos problemas, é tornar-se o autor da própria história.

 

Amar mesmo nos desencontros.

 

Desviar do caminho e começar tudo de novo, se o teu coração mandar.

 

Encontrar em cada cena do quotidiano, motivo para se inspirar e SER FELIZ.

 

 

O sentido da vida, em toda a sua amplitude, ainda está muito além da nossa capacidade de compreensão. Talvez a "verdade" seja uma região da qual nos aproximaremos eternamente sem nunca a tocar.

A própria ciência afirma que devemos contentar-nos sempre com verdades parciais. Esta colocação remete-nos a uma nova e instigante especulação: se todo o conhecimento que possuímos é provisório, o futuro reservar-nos-á sempre grandes revelações. Mas um aspecto já se tornou bastante claro. O que dá sentido às nossas vidas, pelo menos no estágio evolutivo em que nos encontramos, é o trabalho, particularmente o trabalho construtivo, realizado com criatividade e altruísmo.